MENU

domingo, 9 de novembro de 2014 - 16:19F-1

S DA SALVELINA (22)

rbemituSÃO PAULO (onde está Wally?) – Pelo menos desde 1993, quanto estreou na F-1, presença garantida no GP do Brasil era Rubens Barrichello. Mesmo depois que parou de correr, em 2011. Creio que ele veio também a outros, depois que a categoria voltou a São Paulo. Afinal, já era conhecido no meio em 1990 e morava perto do autódromo.

Pois neste ano Rubens, demitido pela Globo, para quem vinha trabalhando como comentarista, não apareceu. Se veio, ficou bem escondido. É compreensível. Seria muito assediado pela imprensa, que teria um único interesse em falar com ele: sua saída da TV.

Seria metralhado de perguntas, e se tivesse de dizer a verdade nas respostas, causaria um bafafá danado.

A saída de Barrichello das hostes globais não foi suave, como alguém pode imaginar. Muito pelo contrário. Houve atritos pesados com muita gente. Inclusive com alguém que exerce uma função com a qual ele, digamos, sonhava.

Bom, o rapaz prometeu escrever um livro um dia para “contar tudo”, não é verdade? Então, esperemos.

Quanto ao seu fim de semana, a última notícia disponível está na sua página no Instagram. Rubens estava ontem em Itu jogando golfe. “Aberto Embrase de Itu… Pra foto ate q ficou bonito. Rss /// great open at Itu. Having fun… Need to practice more for my handicap 12″, escreveu.

96 comentários

  1. Paulo disse:

    Esse Blog é tendencioso.
    Faz censura de comentários onde não se concorda em nada com o autor.
    Mas se os comentários falam mal do Barrichello, é aprovado com louvor!

  2. José Morelli disse:

    Estou feliz porque acertei uma previsão que há muitos anos já dizia. Rubinho ainda um dia vai se arrepender muito de não ter aproveitado as chances que teve.

    Eu aposto que se tivesse desobedecido as ordens da Ferrari (principalmente aquela da Áustria 2002) ele não só teria se imposto na categoria como um piloto de personalidade como também teria tido chances em outras equipes de ponta. Na época, eu me lembro de pensar nisso, “um dia Barrichello irá amargurar em algum momento de sua aposentadoria suas cagadas”. Talvez este seja o momento, você um Barrichello amargurado, querendo voltar pra F1 em qualquer equipe, querendo provar alguma coisa, acreditando em milagre achando que de repente numa Caterham ele possa mostrar que mereça ser titular na Mercedes com mais de 40 anos……coisas desse naipe…..o Barrichello é um cara que hoje vive arrependido, “poxa, não deveria ter feito aquilo, arruinei minha carreira”, POIS É!! Eu sabia que isso ia acontecer um dia!!!

    Eis que eu acho que o Rubinho atualmente olha pra trás com mágoas. Outra coisa, levou o Campeonato de 2009 muito na flauta achando que a qualquer momento iria ultrapassar o Button no campeonato. Começou a temporada de 2009 em banho maria acreditando em progressão de desempenho enquanto Button já disparava no Campeonato….foram erros que o Rubinho espero um dia reconheça.

    Rubinho, se você estiver lendo isso, não se sinta ofendido, acontece que quem está em casa assistindo também intui algumas coisas. A pior viagem da tua vida foi o maldito segundo que você achou que deveria abrir passagem pro Schumacher na Áustria………Outro que caminha pelo MESMÍSSIMO rumo e procurando desculpas pra tudo é o Massa…..eu acho que o Massa consegue a proeza de ser pior que o Barrichello……

    Ô geração complicada essa do Brasil na F1…..espero que o Felipe Nasr traga de volta os dias de glória.

    • Razor disse:

      Entendo teu ponto de vista de torcedor, José Morelli.
      Mas existem mais coisas entre o céu e a terra do que aparece na telinha.

      Rubens foi fortemente pressionado pelo rádio para ceder a posição em 2002. Se não o tivesse feito, teria sido sumariamente demitido – como foram Arturo Merzario, Ivan Capelli, René Arnoux e Alain Prost antes dele. Qual equipe de ponta se interessaria por um piloto que desrespeita ordens de equipe? Até Ayrton Senna, no dia de seu TERCEIRO título, teve que abrir as pernas para as ordens da equipe e deixar o Berger vencer…

      Quanto a 2009, acho incrível que até hoje tenha gente que pense que uma equipe vai deixar um piloto sem contrato (RB tinha um acordo com Ross Brawn para apenas 4 corridas!) vencer enquanto o piloto a quem ela paga para correr fica para trás e deixa de somar pontos. RUBENS NÃO TEVE CHANCE NENHUMA EM 2009! Button era o único piloto da equipe. Barrica tinha um acordo e, se aparecesse alguém com US$ 4 milhonetas, sentava na barata. Você daria preferência a quem, neste caso?
      Sim, teve as duas vitórias. Mas ali entrou uma questão comercial sobre a qual não vou me alongar.

      • Glauson disse:

        Razor, vamos supor que ao impedir a vitória do Schumacher na Austria ele tivesse sido demitido da Ferrari, e vamos supor também que logo a seguir o Rubens desse com a língua nos dentes dizendo que não entendia o motivo de a equipe mandá-lo deixar o Schumacher passar naquele momento, que tava com sangue quente e tal, e que por isso não deu a vitória para o alemão… Viraria manchete de jornais, blogs, etc.

        Você acha que ele ficaria bem na fita e alguma outra equipe o contrataria? Ou não?

      • RODRIGO disse:

        Fora que algumas peças do carro de Rubens eram de fornecedores diferentes dos de Button. Um exemplo eram os kits de freios dos carros. Não lembro se era o kit completo ou só as partilhas, mas isso é uma clara diferença na hora da pilotagem. Não digo que seja a justificativa de RB ter tido um rendimento pior, mas com certeza influencia.

      • Paulo Pinto disse:

        Rubinho “gastou” as sete primeiras temporadas de sua carreira em equipes pequenas (Jordan e Stewart).
        Quando, finalmente, foi para uma grande equipe (Ferrari), pegou um Schumacher “faminto” por mais títulos, depois de quatro anos desenvolvendo o carro e “batendo na trave”. E lá se foram mais seis temporadas, totalizando 13.

        Mansell, o campeão mais atrasado, levantou o título na 13ª temporada pilotando um carro de outro planeta.

        A vitória cedida na Áustria foi devolvida nos EUA, no mesmo ano.

  3. Felipe disse:

    Se está nas transmissões é um péssimo ‘apresentador’ que nada agrega e não sabe de nada. Se está ausente é um bobalhão que um dia vai contar tudo… Pelo amor de Deus, deixem o cara em paz.

  4. Israel Franklin disse:

    Talvez, se o Schumacher pudesse, daria um conselho para o Rubinho: “Os títulos, despedidas e todo prestígio que eu adquiri não me dão aquilo que eu realmente preciso”. Talvez o alemão até lhe daria um dos seus vários títulos para mostrar de forma clara que isso é bom, mas não chega nem perto de ser tudo.
    Que o Rubinho se desprenda dessa aflição da F1 e viva com foco 100% na sua família e nas pessoas que realmente o querem bem.
    Não corra atrás de caixas vazias, Rubens!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>