MENU

quinta-feira, 16 de julho de 2015 - 12:12F-1

RAIO-X MCLARIANO

SÃO PAULO (quem diria…) – A equipe do Grande Prêmio fez uma radiografia do momento da McLaren, que vem tendo sua pior temporada na F-1. O que é incrível. Ainda que ninguém esperasse que o time, na nova parceria com a Honda, chegasse ganhando de todo mundo, não dá para dizer que alguém achava que seria esse fiasco inominável.

Leiam tudo e, depois, tentem responder a algumas perguntas… A temporada de 2015 está acabando com a reputação da equipe? A Honda fez bem em voltar, se enfiando numa tecnologia que não domina? O time terá paciência até quando com os japoneses? E os pilotos, vão suportar essa maré por muito tempo? Qual a parcela de culpa da Honda e qual a da McLaren no desastre de 2015? A dupla será capaz de virar o jogo? Em quanto tempo? Qual a saída emergencial para essa situação?

Imagino que Ron Dennis, a japonesada da Honda, os pilotos, todos estão procurando pelo menos algumas das respostas.

alonso2015

47 comentários

  1. Caique de Paula Pereira disse:

    Essa McLaren parece a Spirit-Honda que estreou na F1 em 84…rsrsrs…

  2. Macário disse:

    Posso saber porque meus comentários não são publicados?

  3. Macário disse:

    Para mim, muito barulho por nada. A McLaren segue sendo uma potência, Alonso e Button uma dupla fortíssima e a Honda também merece respeito. Quem achou que eles começariam arrasando não analisou corretamente o atual cenário com tantas mudanças tecnológicas. Creio que ano que vem estarão entre as 3 ou 4 melhores e disputam o título em 2017. E a não ser que surja uma vaga na Mercedes, Alonso espera até 2017 epode ganhar uma prova ano que vem.

  4. Paulo Turra disse:

    Alonso é a merecida nuvem preta que insiste em não lhe abandonar…

  5. marcos disse:

    Pode estar vindo outra Brawn por ai. Vale lembrar que a Honda como equipe vinha das últimas posições ano após ano, e exatamente por isso podia pensar no carro do ano seguinte com muito mais antecedência. De repente veio a Brawn (honda com outro nome) e fez o que fez. Eu acho q a Mclaren já tá no carro do ano q vem a muito tempo, por isso essa tranquilidade toda nesse ano.

  6. Texugo disse:

    A culpa e 100% da McLaren por escolher uma pintura feia pra burro! A laranja adicionaria varios cavalos a mais…

  7. Celio Ferreira disse:

    A soberba japonesa , junto com a mitidez dos ingleses deu no que deu.
    Aí contrataram , o Piloto mais bocudo que se acha o supra sumo do volante
    Resultado : milhões jogado fora !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Cassius Clay Regazzoni disse:

    E isso porque o Picareta das Astúrias leva 7 décimos para todas as equipes em que corre #sqn

  9. Allez Alonso! disse:

    Vai ter raio X da Ferrari também? Depois de começar o ano com o segundo melhor carro, e investir 30% a mais pra 2015, já aparece estagnada e sem ritmo de desenvolvimento, perdendo espaço como o segundo melhor carro para a Williams.
    Um dia eu comento sobre o Arrivabene, o banheiro, e a Ferrari atual.
    Quero ver o que o nobre blogueiro vai escrever qdo a mclaren-honda liberar os pocotós e poder usar downforce, piloto lá não falta. Já na Ferrari, venho dizendo há tempo…

    • André Fonseca disse:

      Quando eu achava que ninguém superaria o “Mano” do Estádio 97 em fanatismo cego, eis que surge…

      HUAHUAHUAHUAHUA

      Esse “Allez” deve ser alguém do próprio site Grande Prêmio, ou até mesmo o Flávio Gomes relembrando os áureos tempos (nem tão distantes assim) do “Gola Profana”, um personagem criado para nos divertir.

      Ninguém pode viver “no mundo da Alice” dessa forma!!!

    • Paulo Pinto disse:

      Não chora, Vicellez. Olhe o lado bom da McLata. Os dois pilotos já conseguiram sair do zero.

      Ah, sim! Prepare o seu coração para o ano que vem. O “Arrastonso” comemorará 10 (DEZ) anos sem título! E eu mesmo direi:

      Alonso ´é dez!

      Hahahahahahaha! (sete, a marca inconquistável).

    • J Fernando disse:

      kkkkkk
      Quer comparar segundo ou terceiro lugar com vigésimo?
      Tem fanatismo para tudo mesmo!

    • André Fonseca disse:

      “Alonso é Dez”?!

      HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA

  10. Paulo F. disse:

    McLaren volta e meia se enrola com fornecedores de motor.
    Quando o regulamento mudou na década de 60 de 1,5 para 3.0 litros Bruce McLaren pegou um motor Ford Indy de mais de 4 litros e tentou converte-lo para 3000 cc. resultado: um fracasso ! Flertou com a Alfa Romeu, mas o namoro foi infrutífero. A parceria recorrente com a FoMoCo foi bem sucedida. Arrebentou a boca do balão com TAG (Porsche) e Honda , tanto na era turbo como no V10&V12!
    Depois anos mais tarde apostou em motores Peugeot, deu-se mal.
    A equipe de Woking esta acostumada a esperar resultados nesta área e o Ron Dennis acredita que o conjunto é sempre maior do que as partes (pilotos inclusos).
    Honda. Ano por ano os japoneses colecionam mais fracassos que sucessos.
    Colocaram um caminhão de dinheiro (para a época) na década de 60 e o resultado foi meio-amargo, meio-doce. Depois podemos dizer que como fornecedora de motores foi bem sucedida.
    Como equipe. Bem, Barrica e Button podem dar seu testemunho….
    Atual situação:
    Responsabilidades
    McLaren 20%
    Honda 70%
    Button 1%
    Alonso (pé-frio!) 9%

    O casamento vai dar certo? Esta mais para acontecer o que houve com Peugeot, do que repetir os anos dourados.

  11. Marcelo R. disse:

    Não acho que uma temporada pode acabar com a história de uma equipe, ainda mais considerando que ela não chegou ontem a F1 e que além de ser várias vezes campeã, teve pilotos como Lauda, Prost, Senna, Hamilton e Alonso.

    Acho que a volta da Honda poderá ser benéfica para a F1, caso resolvam os problemas com o motor. Vale dizer que o grande problema é com o MGU-K e MGU-H. Não é com o motor todo e considerando o que a Ferrari conseguiu do ano passado para cá, não será nada do outro mundo conseguir um salto de performance.

    A questão é que tudo vira um bolo de neve, pois sem velocidade (as Mclaren são quase 20 km por hora mais lentas do que as William’s e Mercedes em fim de reta) não se tem como desenvolver a aero do carro.

    Prosseguindo, o time vai ter paciência sim com os japas. Não por vontade própria, mas porque jamais voltaria a ter motores e ser cliente da Mercedes.

    Quanto aos pilotos, Alonso vai continuar a comer o pão que o diabo amassou (não se Button vai continuar ano que vem o que implica no fim do martírio esse ano), mas ele deve estar com uma gana de fazer muita gente engolir o que falaram dele, especialmente do lado de Maranello. Em suma, o desejo de vingança será o que o fará esperar além do que normalmente consegue.

    Acredito que a Honda tem dois terços na responsabilidade do que está acontecendo. Afinal, teve um ano para testar e não aproveitou e agora está correndo atrás (e já levando volta) do prejuízo.

    Acho também que os dois vão encontrar uma solução, a questão é quando ela virá pois dependendo do momento em que ocorra vai influir decisivamente na temporada do ano que vem.

    Não arriscaria dizer quando porque não existe solução mágica, especialmente quando se fala nesses motores híbridos e cheios de frescura e de parafernalhas eletrônicas.

  12. Sil disse:

    É simples, a Honda se meteu onde não devia. A McLaren entrou numa roubada e bem-feito para o Alonso, vai pagar todos os pecados até o final do ano…

  13. Kaka disse:

    Respondendo pontualmente:
    1.A temporada de 2015 está acabando com a reputação da equipe?
    Esta arranhando a imagem, mas se ano que vem o motroe o carro corresponderem, tudo será esquecido.
    2.A Honda fez bem em voltar, se enfiando numa tecnologia que não domina?
    Pra mim ela poderia ate voltar, mas teria que ter 1 ano ao menos numa equipe menor, tentando descobrir como e o motor, seus problemas, como desenvolver essas unidadas de potência tão complexas, pra depois assinar com uma Mclaren.
    3.O time terá paciência até quando com os japoneses?
    Acho que ano que vem é o limite, se a equipe ver que não tem evolução, no mieo da temporada, já correm atrás de outro motor.
    4.E os pilotos, vão suportar essa maré por muito tempo?
    Como esta se desenhando o mercado de pilotos, eles sóterão chance na Mclaren, então terão que aguentar mais um ano e trocer pro motor ser bom em 2016.
    5.Qual a parcela de culpa da Honda e qual a da McLaren no desastre de 2015?
    Pra mim e 50% de cada, a Mclaren por faltar planejamento,s er precipitada, tinha o melhor motor da F1 em seus carros, e Honda, que poderia ter desenvolvido melhor seu motores em uma equipe pequena, assim mais desenvolvido, fecharem um acordo mais tarde.
    6.A dupla será capaz de virar o jogo?
    Sim, nunca da pra duivdar de Mclaren e Honda, mas vão ter que trabalhar muito, os engenheiros quebrar a cabeça com o chassi e o desenvolvimento desse motor.
    7.Em quanto tempo?
    Acredito que com a equipe certa de desenvolvimento da pra melhorar ano que vem, mas o mais provavel e 2 anos, isso se a Mclaren não resolver trocar o motor, que eu acho mais provável se não der resultado.
    8.Qual a saída emergencial para essa situação?
    Como disse se não der resultado, procurar a Mercedes com o rabo entre as pernas, e voltar usar seus motores.

  14. Giuliano SPFC disse:

    Lendo a matéria, parece óbvio que a Mclaren tem seus problemas internos e de gestão, mas na minha opinião, a Honda é a maior responsável pelo fiasco da equipe esse ano, porque com o desempenho extremamente fraco do motor Honda, o real potencial do pacote aerodinâmico do chassi acaba sendo mascarado, vejam que Renault e Ferrari que estão dois anos na frente dos japoneses com essa Unidades de Potência, não conseguiram fazer motores que cheguem perto do desempenho dos Mercedes, imagina a Honda que chegou agora, se a Mclaren tivesse um motor Mercedes, poderia não estar liderando o campeonato, mas certamente não estaria largando no fim do pelotão e dando esse vexame todo, ainda assim, acho que estão na direção certa, preferiram ser independentes com a Honda mesmo correndo o risco do fiasco que se confirmou, a ser “capacho” da Mercedes e receber o motor de qualquer jeito.

  15. Osvaldo disse:

    O problema é que costumamos lembrar dos anos áureos de associação da Honda a Williams e Mclaren entre 1985 e 1992. Mas se considerarmos o retorno anterior da Honda à F1 entre 2000 e 2008, fornecendo motores para BAR, Jordan, Super Aguri e sua equipe própria de fábrica, foram apenas 3 poles, e uma única vitória com Jenson Button no GP da Hungria de 2006, em mais de 150 corridas. Em 2008, o último ano da Honda na F1, foram 14 pontos, 11 de Barrichello e 3 de Button e um 9º lugar geral no campeonato de construtores. Se considerarmos que no ano seguinte Ross Brawn comprou os restos da equipe e usou motores da Mercedes, conseguindo os títulos de pilotos e construtores, acho que grande parte da culpa do fracasso desse ano vem da Honda mesmo.

  16. Talles disse:

    Acho que o problema é a pintura. É bonita, mas me lembra não sei porquê, da Minardi.

    E falta um piloto desenvolvedor de carro. Que leva o mesmo até o limite.

    E ainda acho que a culpa é do regulamento. Precisa testar, ter liberdade de inovar, e tirar esse monte de cacareco que “otimizam a passagem do ar”. Carenagens lisas, pneus largos, Asas dianteiras e traseiras ao gosto do cliente, e senta o pé no da direita.

    F1 dos anos 80, basicamente.

  17. Rodrigo Luiz martins disse:

    Não acho que a situação da honda seja tão ruim assim, afinal, depois de tantos anos fora da F1 e com mudanças dramáticas no regulamento deixando os motores extremamente difíceis de se desenvolver e até mesmo de faze-los funcionar direito eu diria que era visto que o ano ia ser ruim, é claro que poderia ser melhor, mas eu acho que o ano da Renault é pior que da honda, afinal está ai a um bom tempo e os motores não chegam aos pés de ferrari e mercedes.

  18. André Fonseca disse:

    Nem de perto tenho toda capacidade de escrever como o FG e demais blogueiros / repórteres do GP, mas vamos lá…

    “A temporada de 2015 está acabando com a reputação da equipe?”
    Não, a McLaren é muito maior do que apenas um ano ruim. Se pilotos podem tirar um ano “sabático”, com as equipes deve ser da mesma forma. Além disso, a Williams atual é uma prova que de um ano para o outro as coisas podem mudar pra melhor.

    “A Honda fez bem em voltar, se enfiando numa tecnologia que não domina?”
    Sim, e quando acertarem a mão no motor e começarem a fazer frente para Mercedes e Ferrari vão usar isso como “marketing” mundial.

    O time terá paciência até quando com os japoneses?
    A temporada de 2016 poderá ser o “marco zero” para a Honda. Tiraram 2015 para “aprender” e terem embasamento com as novas tecnologias e na próxima temporada já precisaram estar, pelo menos, dando uns “passões” na Renault.

    E os pilotos, vão suportar essa maré por muito tempo?
    Acredito no Button, o “Choronso” deverá picar a mula logo no final do contrato, pois andando mais para trás no grid não dá pra fazer o que ele faz de melhor, que é “jogar pra galera”. Mesmo se a temporada 2016 estiverem andando junto aos motores Renault, o espanhol não ficará nada contente.

    Qual a parcela de culpa da Honda e qual a da McLaren no desastre de 2015?
    Pra mim, nenhum dos dois tem culpa, estão pagando caro em 2015 por iniciarem um projeto do zero, “motorssisticamente” falando. Não dá pra criticar a Honda pq é tudo novo, não dá pra criticar a McLaren pq os carros simplesmente não andam.

    A dupla será capaz de virar o jogo? Em quanto tempo?
    Se ficarem por mais tempo e com o carro começando a andar, a equipe toda vai entrar nos eixos. Com relação ao tempo, pra mim 2016 dirá se os pilotos vão continuar apostando na parceria.

    Qual a saída emergencial para essa situação?
    Hj, a saída seriam testes escondidos no Japão ou na casa do “caraio”, mas como não pode, só ter paciência e continuarem apanhando até as coisas se acertarem. Ou não…

  19. eraldo disse:

    A culpa é do Alonso, melhor piloto de microfone que a F1 já teve.

  20. Manoel Sena disse:

    Bom, eu acho que a Honda e a McLaren esperavam sim o que está acontecendo. E é simples. Todas as vezes que um novo fabricante introduz um motor na fórmula 1, é a mesma coisa. Aconteceu com a Mercedes (aspirado), que penou com a Sauber, em 1994, acho e, depois, com a própria McLaren de 1995 a 1996. Aconteceu com a própria Honda, que iniciou a sua vitoriosa era turbo com a Spirit, em 1983. E depois, ficou correndo no pelotão de trás com a Williams em 1984. Mas, naquelas épocas, os treinos eram livres, o que não acontece agora. Logo, eu comparo a situação como a da Honda em 1983, com a Spirit, ou em 1984, com a Williams. Os resultados são muito semelhantes.
    A Mercedes está a frente agora porque começou a desenvolver seu motor turbo muito antes da Renault e da Ferrari. E, mesmo assim, não está muito a frente. Além disso, como pode ser visto pelo caso da própria Williams e a Force India este ano, o segredo do sucesso parece ser do carro e dos pilotos, mais do que do motor.
    Para mim, o que está acontecendo com a McLaren este ano é exatamente o que seria de se esperar. Se daqui a dois anos eles não tiverem condição de brigar por vitórias, aí sim, a iniciativa poderá ser considerada um fracasso.
    Não acredito que os engenheiros e gestores de McLaren e Honda tivessem um pensamento muito diferente deste quando fizeram o seu contrato. O plano deve ser mesmo ser competitivo em 2017.
    Muito desta discussão vem da opinião de pessoas que fazem uma comparação, equivocada, com a situação onde a Honda já tinha vencido estas dificuldades nas décadas de 80 e 90.

  21. Moa - Canadá disse:

    A Honda nos anos 80 antes de ir para a toda poderosa Honda, estava com a Lótus! Eles não deveriam ter voltado com uma das nanicas primeiro? Mesmo que sem usar o nome Honda e só aí sim depois de tudo OM ir p McLaren??

  22. Marcos disse:

    Amigos,
    Qualquer um que tenha o mínimo conhecimento de engenharia sabe que não há como competir com empresas alemãs no “estado da arte” em que a F-1 se encontra.
    Vale lembrar o pulo que a BrawnGP conseguiu em 2009 com a simples troca do motor Honda pelo Mercedes. Lembro em coisa de 1 segundo por volta. A Honda reinou numa época que não havia motor alemão. Sempre que há motor alemão, ele domina! Imagine então uma equipe toda alemã e com a parafernália toda embarcada. Os alemães são engenheiros natos. Criança alemã já brinca com isso. Quem já foi a uma loja de brinquedos na Alemanha sabe do que eu estou falando.
    Mclaren “sifu”. Ou procura a BWM/Porsche/Audi ou tenta comprar unidades da Mercedes de novo.
    E os japas vão pular fora de novo, como sempre fazem!
    Abs a todos!

  23. Rodrigo Monassa disse:

    Até numa situação complexa como essa o fornecimento de motores é exclusivo? nao poderiam abrir uma brecha emergencial e pegar os paraguaios motores Renault?

  24. Speed Racer da Mooca disse:

    Não sei se a instituição McLaren terá a reputação diminuída até pela força de sua história. Mas a reputação dos atuais membros da cúpula da equipe sim. A Honda, na minha opinião, fez bem em retornar. A tecnologia pode ser dominada, basta tempo e estrutura. Mas infelizmente paciência não combina com orçamento e competitividade.

  25. Mentecapto disse:

    Flávio Gomes, desculpe, esqueci de fechar a tag nas ultimas perguntas e ficou tudo negritado, pode fechar por favor a tag? Valeu!

  26. Mentecapto disse:

    Pela ordem da suas questões, eu penso:

    A temporada de 2015 está acabando com a reputação da equipe?

    Eu diria que acabar com a reputação, não! Não se acaba com a reputação de uma equipe tradicional assim em uma temporada só, vide Williams 2013, por exemplo.

    A Honda fez bem em voltar, se enfiando numa tecnologia que não domina?

    Acho que o tempo responderá essa questão. Se eles conseguirem fazer um Unidade de Potência que desafie a da Mercedes, sim, caso contrário será um tiro no pé e um anti-marketing para os japas.

    O time terá paciência até quando com os japoneses?

    Enquanto o dinheiro estiver pingando em Woking a paciência se manterá.

    E os pilotos, vão suportar essa maré por muito tempo?

    Button e Alonso não tem muitas opções no mercado, então, se quiserem continuar na F1, vão ter que ficar firme no barco, mesmo que afunde.

    Qual a parcela de culpa da Honda e qual a da McLaren no desastre de 2015?

    “Leigamente” falando eu diria que 100% Honda e 0% Mclaren. Na minha visão, toda miséria provém da PU nipônica

    A dupla será capaz de virar o jogo?

    No começo da temporada era quase um mantra que dizia que era questão de tempo a virada de jogo da parceria. Passado nove corridas, acho que até mesmo eles têm dúvida se vão virar o jogo ou não.

    Em quanto tempo?

    Only God knows!

    Qual a saída emergencial para essa situação?

    Brilharecos. Esqueçam projetos conservadores e racionais. Vão com tudo, mesmo sabendo que vai arrebentar o motor, mas façam um brilhareco pra acalmar os leões famintos. Como diria o filósofo,: “Pra quem tá se afogando jacaré é tronco!”

  27. David Santos disse:

    Esta Mclaren (que sou torcedor) tá parecendo o MEU-VASCO… só ladeira-a-baixo!!!!

  28. Estevão disse:

    Como diz o outro, na F-1 o cabra é tão bom quanto sua última corrida.
    Daqui a pouco a McLaren engrena e essa maré baixa virará história.

  29. Chupez Alonso disse:

    A causa todos os problemas chama-se FezMerdando Alonso.

    A solução para todos os problemas é uma só: pé na bunda do FedeTanto cArmonso.

    O cara carrega o caos para onde vai. Não é o piloto no lugar errado na hora errada. É a equipe da vez com o piloto errado em qualquer hora.

    Chupa Alonso!

    • André Fonseca disse:

      Pois é, o “hiper mega blaster super” piloto multicampeão do Universo (paralelo de alguns doentes) sempre errando nas escolhas…

      Mas a culpa, sempre, é das equipes que levam esse medíocre para suas fileiras.

  30. Nelson Pasini disse:

    Respondendo pontualmente:
    1.A temporada de 2015 está acabando com a reputação da equipe?
    Não chegará a tanto a McLaren cairá fora antes do colapso total.
    2.A Honda fez bem em voltar, se enfiando numa tecnologia que não domina?
    Não deveria ter voltado dessa forma, primeiro deveria testar os novos motores à moda alemã lembre3m que a equipe Honda desistiu passou os carros par4a a Brawn que com motor Mercedes foi Campeã.
    3.O time terá paciência até quando com os japoneses?
    Penso que se melhoras significativas não acontecerem rapido o time deve anunciar novo motor antes do fim da temporada.
    4.E os pilotos, vão suportar essa maré por muito tempo?
    Tudo tem limite o Alonso vai procurar nova Equipe (sé é que tem) e o boa praça Buton deve se aposentar.
    5.Qual a parcela de culpa da Honda e qual a da McLaren no desastre de 2015?
    Falta de planejamento e testes preliminares com os motores antes de se aventurar nas pistas. Lembrem que Honda começou na F1 com a equipe Spirit patrocinada pela Disney, até o Emerson testou o carro que era uma porcaria. Muito tempo depois em pareceria com a Willians/Lotus/McLaren deu no que deu, isto é, sucesso.
    6.A dupla será capaz de virar o jogo?
    Não.
    7.Em quanto tempo?
    Esgotou.
    8.Qual a saída emergencial para essa situação?
    Voltar à Mercedes e quem sabe até a Renault.

    Pasini

  31. Mauro Andres disse:

    Ninguém que conheça um pouco de automobilismo pode descartar Mclaren ou Honda, juntas ou separadas.

    Entretanto, sendo um pouco mais crítico com a Honda, bastou ela sair da F-1 da última vez (quando era equipe), para o projeto do carro deles impulsionado por um motor Mercedes ganhar o campenato da Formula 1. Já faz algumas temporadas na Indy que eles não são tão mais competitivos quanto antes e perderam muita performance e vitórias para a Chevrolet.

    Que a Honda tem competência para dar a volta por cima, ninguém dúvida. Mas precisa encontar onde é que eles perderam a mão com seus motores e trabalhar nesse ponto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>