MENU

domingo, 16 de agosto de 2015 - 22:35Fusca & cia., Vou de táxi

VOU DE TÁXI

dodiafuscas222

SÃO PAULO (salvem, salvem) – Dois Fusquinhas resistem no serviço de táxi do Rio. No Alto da Boa Vista, estão há mais de 20 anos na labuta, mas sua história tem data marcada para acabar: 23 de dezembro, por conta de uma nova regra da Prefeitura para carros de praça.

OK, sou a favor de tudo que represente segurança e conforto para os usuários. Mas é preciso abrir exceções quando a situação é especial. Esses dois Fuscas não fazem mal a ninguém, não colocam passageiro algum em risco. São quase atrações turísticas. Quando seus motoristas se aposentarem, eles param junto — e eu compraria fácil; mas o certo seria mandá-los para algum museu.

Free Fusquinhas, então! Cariocas, se mexam!

30 comentários

  1. Anselmo Coyote disse:

    Vou de Uber.

  2. humberto disse:

    Se em Nova York tem carruagem a cavalo, até Santos ainda tem bonde, porque não manter como atração turística? A “mudernidade” é legal mas tem um custo, o custo da tradição é incalculável!

  3. Mario Mesquita disse:

    Eles só andam em um trecho da Tijuca e Alto da Boa Vista.

    São chamados de cabritinhos; Só sobraram dois? O ponto ficava cheio de fuscas…

    Aqui na Ilha também tem uma linha chamada de cabritinho. Mas são Kombis, que também sobem as pirambeiras do bairro.

  4. roger V disse:

    Fucas a parte (são ótimos)…. a lei não exige que os táxis(utilização comercial) tenham equipamentos obrigatórios pelo Código Nacional de Transito vigente, como air-bag, cintos de três pontos etc etc?

  5. Kuka Lienert disse:

    Agree… manteria os fusquinhas trabalhando e o usuário do serviço de taxi tem a livre escolha de utilizá-los ou não!! Simples assim!

  6. Seria deprimente trocar um Fusca por desses carros horrorosos da Chevrolet, como aquele que parece um rabecão e do qual não lembro o nome nunca. A ´prefeitura do Rio PRECISA abrir essa exceção.

  7. MARIO AQUINO disse:

    Está cometendo duas infrações:

    Dirigindo de sandálias de dedo e dirigindo trajando roupas inadequadas (camisa aberta) e está não somente dirigindo como trabalhando sem profissionalismo nenhum.
    E antes de mais nada pode começar a dizer que o mundo está ficando muito chato, mas no Rio tem uns motoristas de taxi que são muito folgados e malandros.

    • Mario Mesquita disse:

      Hum, olha o moralista…

      Quando ia à São Paulo também me deparei com alguns safados que manchavam a categoria, com trajetos além da conta e outras coisas.

      Uma vez do aeroporto até a Paulista a corrida deu quase o dobro. Sem problema, paguei o valor de sempre. O cara queria armar uma confusão. Chamei ele pra fora do carro e ameacei chamar a polícia. Ele meteu o pé, não era bobo… Pilantra tem em todo lugar.

      • Fábio disse:

        Então ele estaria cometendo três infrações, na ótica do nosso amigo Mario Aquino: dirigindo de chinelo, com a camisa aberta (não vi a abertura mencionada) e, a maior de todas, está dirigindo em pé, do lado de fora do carro. :0

        O sósia do Lima Duarte não está dirigindo, camarada! Além disso, se ele entrar no carro e tirar o chinelo pra dirigir descalço, não estará cometendo infração alguma!

  8. Gastão disse:

    Legal mas se queremos falar de record, vejam isto:

    http://1homemnacidade.blogs.sapo.pt/216409.html

    O carro esteve trabalhando até 1996. Mais de 2 milhões de quilómetros.

  9. Issac Nemach disse:

    O aparecimento do Uber decretou a sentença de morte dos fusquinhas.

  10. Flavio Bragatto disse:

    Em Amparo-SP na ultima vez que eu fui (uns 4 anos atrás), tinha um Ford Corcel 4 portas. Arrisco em dizer que era 76, pela grade frontal.

    Bom, quanto ao Fusca, eu acho válido que os taxistas ainda os utilizem por puro diletantismo.

    Mas é economicamente inviável. Gastão, poluente, sem condições de conforto compatíveis e inúmeros problemas.

    Sejamos justos: O Fusca não tem o que quebrar, logo, a manutenção é baixa, porém muito mais frequente. Agora, tirando nós, frequentadores deste blog, quem é que escolheria andar de Fusca-taxi, por opção.

    Tá na hora desses dois comprarem um Gol 4 portas.

  11. Bruno Cardoso disse:

    Em Niterói/RJ, um taxi VW 1600 (Zé do caixão) ainda pode ser visto pelas ruas, mas só até outubro:
    http://www.ofluminense.com.br/pt-br/cidades/niter%C3%B3i-d%C3%A1-adeus-uma-de-suas-rel%C3%ADquias

  12. Henrique disse:

    Detalhe importante é qual tipo de serviço esses Fuscas fazem! A região tem muitas ladeiras íngremes e de paralelepípedos. Em dias de chuva, pouca coisa consegue acompanhar o ritmo desses Fusquinhas por ali. É tão particular o uso desses táxis que eles foram sobrevivendo com o tempo. Mas, pelo visto, a hora deles também chegou.

    • Roberto Fróes disse:

      Henrique está certíssimo!
      Esses carros não circulam no resto da cidade! Apenas naquelas íngremes ladeiras de paralelepípedos existentes no início da subida do Alto da Boa Vista.
      Viagens curtas – dificilmente mais de 2 km, ida e volta.- apenas naquelas ruas, em que só são usadas a 1ª e a 2ª marchas.
      Há muitos anos que os taxis antigos não podem mais circular, mas esses Fuscas foram a exceção, tiveram autorização especial, pois os carros modernos simplesmente…
      Não aguentavam!
      É muito fácil sentar-se num gabinete, escrever qualquer merda num papel e decretar: CUMPRA-SE…

  13. Squa disse:

    Só precisa avisar o tiozinho que é proibido dirigir de havaianas

    • Ivo Meirelis disse:

      Mas ele não está dirigindo.

      • Squa disse:

        Verdade. Entre uma corrida e outra ele tira o sapato e coloca a chinelo. Ah, faça-me o favor.

      • Roberto Fróes disse:

        Squa, não se paute pelos outros, ou melhor, não aplique aos outros a SUA maneira de ser ou pensar…
        Qual o problema do cara tirar as havaianas quando entra no carro?
        Quando eu tinha Passat TS, na época sem ar condicionado, fiz uma viagem de mais de 6 mil km assim, do Rio para o Nordeste, ida e volta, exatamente assim!
        Dirigia de short, com uma sapatilha velhíssima, de pano, e quando parava nos postos colocava uma dessas sandálias havaianas (detesto) apenas para não entrar no banheiro e pisar no mijo alheio.
        “Ah, faça-me o favor…”
        Qual o favor?

    • Banana Joe disse:

      Se não me engano não é proibido dirigir descalço ( se a regra mudou, por favor me informem, não estou sabendo).
      Basta ele tirar o chinelo pra pilotar o Bizoro e pode rodar tranquilo por aí, dentro da lei.

    • roger V disse:

      Mas de pés descalços pode não é?
      - Ou não?

      • Roberto Fróes disse:

        É proibido dirigir descalço, com esse tipo de chinelo, e até mesmo sem camisa.
        É o ranço de um regulamento arcaico, que mesmo tendo “evoluído”, tem coisas que são mantidas porquê – tão arcaicas – ninguém nem se lembra mais do motivo de sua existência. Então não mexe, deixa como está… (se todos pensássemos assim, ainda estaríamos vivendo nas cavernas…)
        A única proibição dessas que falei, a ter sentido, é justamente a da sandália havaiana ou qualquer tipo de calçado solto no calcanhar. Numa freada de emergência, a sandália solta-se do pé e atrapalha tudo…
        O resto é coisa de Matusalém (vocês conhecem esse cara? O Google conhece!)
        Vamos lá:
        Dirigir descalço – o chão dos carros de antigamente, logo atrás dos motores, e com isolantes térmicos totalmente ineficientes, e em carros todos estrangeiros, despreparados para o nosso clima, tinham os pisos extremamente quentes, e os pedais mais ainda!

        E dirigir sem camisa? Essa é inacreditável!
        O problema aí é “decência”, “bons costumes” ou “imoralidade”…
        Dá para acreditar?

      • Wagner Bastos disse:

        Segundo o site abaixo é permitido dirigir descalço e sem camisa, que era o que eu sabia.
        http://robertoparentoni.jusbrasil.com.br/artigos/121939791/dirigir-descalco-e-proibido

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>