MENU

sexta-feira, 14 de agosto de 2015 - 18:16F-1

O DILEMA DA RED BULL

SÃO PAULO (quero só ver) – A Red Bull encerra seu contrato com a Renault no fim do ano que vem. A não ser que haja uma improvável reviravolta técnica, esta segunda metade de campeonato e o próximo serão uma provação para os rubrotaurinos. A equipe não vai voltar a ganhar de uma hora para outra. Por isso, os olhos agora estão voltados para 2017 — isso se Didi Mateschitz não resolver tirar as latinhas de campo antes.

E em 2017, Ferrari e Mercedes são as únicas opções viáveis para a Red Bull, segundo Helmut Marko. Ele nem citou a Honda. Só que a Mercedes reluta em vender motores para uma potencial rival. O consultor do time austríaco também descartou a Audi, pelos motivos óbvios: o atual motor da F-1 leva pelo menos três anos para ser desenvolvido, não se sabe por quanto tempo o regulamento técnico será mantido e ninguém vai investir milhões de dólares num troço que de um dia para o outro pode ser extinto.

A Red Bull está no mato sem cachorro, em resumo.

17 comentários

  1. Michel disse:

    Na RBR eu não iria de Ferrari, pois essa costuma entregar motores desatualizados, já a Mercedez tem toda essa história aventada de que ela deve fornecer motores iguais para todos os times, ainda que o software não seja o mesmo, creio que a qualidade do chassis RBR compensaria eventual perda, fazendo frente a Mercedez. Talvez a RBR teria uma ligeira desvantagem para a Mercedez, mas seria o suficiente para uma disputa de verdade!

  2. Douglas Arruda disse:

    Lamentável ver uma parceria tão vencedora e dominante terminando assim. Bola fora da Red Bull.

  3. Flavio Bragatto disse:

    Não sei se eles continuam na F1…
    Foram campeões quatro vezes seguidas…. acho que já está bom demais para o rótulo de “time vencedor”.
    Sair de campo antes de acabar como Tyrrell ou Brabham, é a melhor coisa.

  4. Gustavo Segamarchi disse:

    Se o Didi Mateschitz quiser abandonar a F1, ele tem que pagar uma bolada para o Tio Bernie, pois a Red Bull tem contrato de permanência até 2020, e perder uma equipe é o que a F1 NÃO PRECISA.

    O Helmut Marko já citou a Honda, sim, mas era para a Toro Rosso, pois os planos do Didi Masteschitz é fazer a Red Bull correr com motores Mercedes e a Toro Rosso correr com motores Honda.

    Há quem diga, que se a Red Bull for correr com o motor Mercedes, ela(Mercedes) não vai entregar o mesmo motor que usa em seus carros para as suas equipes clientes, mas pelo o que ouvi falar, a história não é bem assim.

    Em uma notícia que li, vi a Claire Williams falando que essa igualdade entre os motores da equipe Mercedes e de equipes clientes é previsto em CONTRATO, então, a Mercedes tem que entregar para suas equipes clientes o MESMO motor que usa em sua equipe oficial de fábrica.

    • Paulo F. disse:

      O mesmo motor. Parte mecânica. O management software é outros 500….

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Acho que existe mesmo o contrato, mas não posso acreditar que a Mercedes é a “virgem do cabaré”.

      Não tenho duvida que os motores dos carros prateados são ligeiramente mais fortes.

      Tudo por contrato deve ser igual… mas duvido que a Mercedes teria coragem de sortear 4 motores entre a sua equipe de fabrica e a Williams em uma prova qualquer.

  5. Ricardo Bigliazzi disse:

    Como poderia haver uma revolução nos motores Renault se as equipes não podem testar e o desenvolvimento técnico do motor também é regulado por “fichas” limitadas em sua utilização? Se fosse a Renault daria uma bicuda na F-1

  6. MarcosMartins disse:

    Estava revendo aquelas corridas dos anos 80 e entendi porque ninguém gostava dos turbos na F1 (invenção da Renault). Corridas cheias de abandonos e monótonas, com raras exceções. Daí a justificativa dos altos custos. Perderam grande oportunidade no final da década, não fosse o turrão e idiota do Comendador que recusou-se a fabricar motores V8. Esvaziou o grid nas décadas seguintes. O campeonato de 1990 foi muito bom, mas, seria sensacional se, naquela época, os motores fossem todos V8.

  7. MarcosMartins disse:

    A F1 meteu-se num mato sem cão nem gato.

  8. Paulo Pinto disse:

    O Herdeiro pulou fora na hora certa.

  9. Farid Salim Junior disse:

    Há uma necessidade urgente de rever o que ocorre hoje na F1 e, a FIA sabe disso. Portanto, democratizar a categoria, reduzir custos e compartilhar tecnologia será fundamental. De outra forma, só se a categoria for re-dividida em duas e, com novos critérios (como a venda de chassis para outras equipes, a exemplo do que ocorre com os motores). Ou seja, nada impedindo a Marússia de comprar os carros da temporada anterior da Mercedes ou da MacLaren, por exemplo. E, pelo preço cobrado por ingressos em uma categoria que apresenta resultados previsíveis, poe-se pensar em um domingo com duas ou três baterias curtas.
    Pode parecer loucura o que digo aqui (custos de transmissão, por exemplo), mas pode atrair novos patrocinadores – pelos menores custos; atrair mais público (afinal, assistirão a duas ou três corridas pagando um único ingresso); atrair mais telespectadores, estes, ávidos por mais emoção… Enfim, é nítido que algo precisa ser feito e a FIA tem que sair da redoma, parar de olhar apenas para o próprio umbigo e, deixar de se render a coisas estranhas ao esporte. Uma volta às origens seria muito bem vinda. Lembro da Fórmula Aurora, que usava carros usados pela F1 em temporadas anteriores, que muitas vezes, serviam de cortina para a corrida e, que ofereciam muita diversão ao público, muita visibilidade e, mais grana para a entidade…. Mas, sinto-me um tolo sonhador, por saber que isso tem pouca ou nenhuma chance de acontecer…

  10. Fernando disse:

    Oi FG, Voce sabe muito sobre muitas coisas principalmente sobre carros e corridas, por isso que a gente te adora, mas discordo de uma coisa. Acho que que se não tiver cachorro, esses caras nem entram no mato. Grd Abs!

  11. valter disse:

    O motor Ferrari é a melhor opção para a Red Bull.

  12. Eric disse:

    O que impediria comprarem da Ferrari?

    • Alan disse:

      A Ferrari só quer vender os motores do ano anterior.

      • Giovanni disse:

        Nada impede.

        A Ferrari já declarou que estaria disposta a negociar com a Red Bull as mesmas unidades de força que serão usadas pela fabricante. É a Red Bull que almeja os motores da Mercedes por uma simples razão: São os melhores.

        A Mercedes é que não está disposta a negociar com a Red Bull. De qualquer forma, no “pior” cenário, a Red Bull poderá sim contar com os motores Ferrari e já estará em uma situação melhor do que a situação atual. Mas uma equipe com o perfil da Red Bull não quer se contentar em ter o 2º melhor motor. Eles querem o melhor!!!

  13. José Angelo disse:

    Literalmente uma sinuca de bico. Imagine além dessas duas possibilidades, uma terceira, que seria a renovação de contrato com a Renault. E dentro dela mais duas possibilidades:
    1 – O motor continua sendo pior que Ferrari e Mercedes.
    2 – A Renault compra uma equipe, desenvolve o motor e a Red Bull passa a contar com um motor forte novamente mas deixando de ser a primeira opção da montadora como sempre foi, tendo as atenções da Renault voltada pra sua equipe própria.

    Tempos negros pros lados de Milton Keines.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>