MENU

segunda-feira, 5 de outubro de 2015 - 17:38F-1

TRÊS CARROS, DE NOVO

SÃO PAULO (não creio) – A situação da Red Bull preocupa? Sim. Se a fábrica das latinhas resolver dar um pé na F-1, quatro carros desfalcarão o grid no ano que vem — e ótimos pilotos, como todos que estão sob o guarda-chuva energético.

Se as duas equipes resolverem ir embora, teremos times com três carros no ano que vem? É algo que será decidido em novembro, de acordo com Bernie Ecclestone.

Vai acontecer?

Nem uma coisa, nem outra. Na opinião deste modesto escriba, claro. Acho que a Red Bull acaba fechando com a Ferrari — não há outra solução. A Toro Rosso pode continuar com a Renault, é só fazer as pazes, não tem nada de tão dramático nisso.

Três carros, embora seja algo que sempre me agradou — pelo simples fato de encher o grid e dar chance a pilotos novos –, é inviável na F-1 de hoje. Caro demais, complicado demais. Bernie está apenas fazendo espuma. Nos bastidores (detesto “bastidores”), está juntando as pontas para resolver o problema rubrotaurino. Entre outras coisas, porque está apaixonado por Max Verstappen.

13 comentários

  1. eraldo disse:

    Na minha opinião 3 carros seria pior ainda pra F1. Imagine uma temporada dominada por duas equipes (algo absolutamente comum). Com o jogo de equipe liberado, teríamos os 2 pilotos de ponta disputando o título e 4 companheiros trabalhando por eles.

  2. Pedro Moral disse:

    Se houvessem regras mais estáveis, o 3º carro poderia ser obrigatório, talvez o modelo do ano anterior, nas mãos de equipes independentes, com patrocinadores próprios, etc, etc… Seria tb uma porta de entrada para pilotos novos e promissores.

    Se lembrarmos, numas das primeiras corridas de Piquet na F1, foram a bordo de um McLaren M23, numa equipe não oficial …

  3. luigi disse:

    A maioria das equipe não conseguem manter dois carros em condições semelhantes de competitividade ,três seria só para enganar os néscios que gostam de ver muitos carros no grid e não se importam sê só poucos realmente tem condições de competir.

  4. Bruno disse:

    Estornem a Toro Rosso para a Minardi.

  5. Alexandre disse:

    Modesto escriba….a Red Bull tem q pagar uma multa de +/- uns 500 milhoes de dinheiros americanos pra sair da F1 , tem um contrato acho q ate 2020 com o tio Bernie..
    O q eu li por ai é que os Mercedenicos gastam uns U$ 200 milhoes para manter a fabrica de motores q nao é da equipe , é da Daimler , nao tem participacao do pessoal da F1.
    O motor da Renault ja nao vinha bem desde o ano passado , como e q os caras da Red Bull nao procuraram um plano B
    Levando em conta a multa de uns 500 mega comparado a uma despesa de uma fabrica que e de +/-200 mega por ano , sera q nao dava pra achar uma solucao com a BMW , Ilmor . sei la ….a coisa parecia q ia pro lado da VW ..mas com as cagadas q apareceram parece q micou …. ja falei muita merda …
    o q vc acha ?

  6. Giovanni disse:

    Acho que vai ser uma troca de favores. O Ecclestone, dinheirista que é, já fez as contas e viu que, se a Red Bull sair, vai sair muito mais caro do que “compensar” a Ferrari pela “ajudinha” à Red Bull. No fim, a Red Bull vai ter os tão desejados motorzinhos ferraristas e a Ferrari vai sair com uns trocados a mais.

  7. DaniloPires disse:

    Eu queria saber pq a Red Bull não faz uma parceria com a BMW sabidamente provedora dos motores mais potentes produzidos para F1 tanto na Brabham na era turbo quanto para a Williams na era dos aspirados e eterna rival da marca da estrela que predomina hoje cenário seria uma ótima sacudida para a F1 e uma ótima parceria para a Red Bull

  8. Alfredo Aguiar disse:

    Circuitos artificiais, ultrapassagens artificiais e agora grid artificial. Resta saber se esse golpe vai dar certo ou se os patrocinadores e publico vão começar a correr.
    Yea, better than nothing.

  9. Mustavo Gaia disse:

    O truco parece ser qual motor ferrari eles receberiam.
    Pelo que se ouve, o motor italiano estaria certo mas numa versão atrasada em relação ao time principal.
    Daí o pessoal quer forçar um pacote com “menas” diferença.

    • Mustavo Gaia disse:

      E apesar de todo o sofrimento da Mclaren, isso mostra que um dos problemas atuais da F1 é o fornecimento de unidades de força.
      Provavelmente nem Mercedes nem Ferrari forneceram as versões mais atuais dos motores para as concorrentes. Sempre haverá algum atraso.
      Então, como se ouve o Dennis falar, só com um fornecedor próprio se consegue chance de disputar o mundial de construtores.
      Sem a Honda, no futuro próximo, o máximo que uma Mclaren/Mercedes faria seria passar o ano disputando o 3o lugar com a Williams.

  10. Mustavo Gaia disse:

    As melhores reportagens surgem do jornalismo esquizofrenico

  11. Renato disse:

    As instalações, hoje existentes nos autódromos que recebem a F1, comportariam até quantos carros?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>