MENU

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015 - 10:31Tecnologia

HERE, THERE AND EVERYWHERE

SÃO PAULO (quero meu Mapograf) – Confesso que algumas coisas estão andando rápido demais para este pequeno cérebro. Acabo de saber, via press-release, que Audi, Mercedes de BMW se juntaram para comprar a Here, empresa que pertencia à Nokia (de quem é a Nokia?) especializada em mapas e tal. Pelo que diz o release, essa Here é uma gigante do ramo e 80% dos carros americanos que têm sistemas integrados de navegação integrados usam seus mapas.

Eu nunca tinha ouvido falar. Ainda estou aprendendo a mexer no Waze, que tem sido muito útil para me dizer quanto tempo vou me foder no trânsito. Já aprendi a usar o Google Maps e um aplicativo de mapas do celular. Normalmente conheço melhor os caminhos que ele, mas não nego sua utilidade para endereços inéditos.

Até onde entendi, todos os Audi, BMW e Mercedes vão utilizar o Here daqui para a frente. Não nego a utilidade desses dispositivos — informam onde tem posto de gasolina, lanchonete, acidente, essas coisas. E nem todo mundo tem bom sentido de direção, conheço um monte de gente que pega a Marginal na direção da Castello Branco quando precisa ir para o aeroporto de Guarulhos. Sim, são úteis, embora eu tenha vivido até hoje sem precisar deles.

Tenho medo, no entanto, que seja mais um dos “gadgets” emburrecedores da humanidade. Noto nas ruas que quase todo mundo tem um GPS no painel, mesmo que faça o mesmo caminho todos os dias. Tem gente que não dá a partida no carro se não tiver um GPS à disposição. É meio chocante.

AUDI AG, BMW Group and Daimler AG agree with Nokia Corporation o

57 comentários

  1. Raphael disse:

    Bicho, usei o Here na Bolivia, estava indo pra Liriuni, uma cidadezinha minuscula no interior do departamento de Cochabamba e o negócio me levou lá direitinho.

  2. Eduardo Britto disse:

    Cada um com seu prazer. Nunca lerei um livro num kindle, e prefiro um Guia Mapograf em Sampa e mapas impressos nas estradas… Acontece que cresci olhando guias e mapas, minha formatação mental é essa e pronto. Minhas filhas têm outra visão… Me rendi à prodigiosidade do Waze quando, em Barbacena MG, numa noite chuvosa, o tal programa nos levou direitinho a uma pizzaria do outro lado da cidade. Sem ele não teríamos chegado lá…

  3. Allan disse:

    O Waze é umas melhores invenções dos ultimos tempos. Ele já me livrou de cada enrascada: estradas e avenidas bloqueadas, alerta de alagamentos, caminhos alternativos. Ligo antes de dar partida no carro.

  4. ronald disse:

    Embora sem as divisões de celulares e mapas, ela continua uma grande das comunicações: http://www.nokia.com/pt_int

  5. Cardoso Filho disse:

    Bom dia amigos.
    O waze é extremamente util para nos livrar do transito congestionado. Para tanto, quanto mais wazes estiverem ligados maior a possibilidade de seus computadores identificarem os congestionamentos.
    Não importa se o caminho já é usual. Importa a informação de velocidade que você passa.

  6. Mello disse:

    Ainda tenho o Guia 4 Rodas no carro.

    Pelo menos ele sabe onde tem as áreas de conflagração do Rio de Janeiro, ao contrário do Waze que te coloca na terra de ninguém para cortar caminho.

  7. Jonny'O disse:

    Deve ser muito útil, mas eu não tenho GPS.

    Não vou mudar minha vida, é uma ilusão muito grande a pessoa pensar que precisa usar tudo que é novo. Nem tudo.

    Vejo estas coisas como ferramentas que podem te ajudar, mas é bom ter cuidado ou você vai ganhar tempo com uma tecnologia e vai acabar fazendo mais e mais coisas no seu trabalho, e não vai melhorar sua qualidade de vida.

  8. Paulo Travaglini disse:

    Uma diferença importante :
    O Waze apita quando tem um radar adiante, sugerindo que quem está excesso de velocidade a diminua antes do radar e portanto incentiva a burlar a legislação.

    Já o Here mostra continuamente a velocidade máxima da via, e toca um tom sempre que o carro está acima da velocidade máxima, incentivando o motorista a cumprir a legislação durante todo o tempo.

    Portanto o Here favorece a cidadania e o Waze dá suporte à contravenção.

  9. Sanzio disse:

    A primeira vez que fui dirigindo sozinho pro Guarujá, lá pra 2004~2005, fiquei preocupado pra caraleo porque não existia o rodoanel ainda e teria que atravessar São Paulo. Comprei mapa, pedi pra amigos que já foram me ensinar o caminho… Foi tenso!
    Depois que comprei meu primeiro GPS, me senti homem de verdade. Não existiam mais limites para mim, poderia ir pra onde quisesse (desde que fosse mapeado), me senti libertado!

  10. Mustavo Gaia disse:

    A tecnologia não emburrece ninguém.
    Ela libera tempo e espaço na “memória” da pessoa.
    Se a pessoa não aproveita para preencher com coisa valiosa, daí não é culpa dos aplicativos, mas da pessoa que não quer evoluir.

  11. Ferrarista disse:

    Tem que se levar em conta que hoje em dia ninguém tem tempo/dinheiro para sair por aí queimando gasolina ou álcool pra conhecer e decorar tudo que é lugar e percurso. E imprevistos acontecem e vc nunca sabe se vai ter que ir pra um lugar que nunca foi ou que não se lembra do trajeto pra chegar lá… Por isso hoje em dia as pessoas estão tão dependentes do GPS. Estes novos tempos, em que se exige agilidade pra tudo, necessitam dessa dependência do GPS.

  12. antonio stricagnolo disse:

    Sujeito põe essas quinquilharias no painel do popular 1000 e pensa que esta pilotando um Air bus !!!!! Já quem tem dinheiro pra comprar um luxuoso com todas as quinquilharias integradas mal sabe programar os recursos totalmente dispensaveis disponiveis!!!!
    A eletronica é o começo do fim da humanidade!!!

  13. Jr. disse:

    Esse aplicativo de mapas, o Here, é excelente. Como os colegas já disseram, ele é MUITO MELHOR que o Maps. Do Waze não posso falar, porque nunca usei. Pra ficar perfeito só falta um indicador de radar. Mas isso até que não incomoda muito, pois ele avisa quando você está acima do limite de velocidade da via. Aí é só prestar atenção na indicação deles.

  14. Eric M. Souza disse:

    Uso o HERE no celular, pois procurava um GPS offline de boa qualidade e gratuito. Ele é muito bom, embora pareça desatualizado em algumas ruas.

  15. Andre Souza disse:

    Ótimo aplicativo de GPS, diferente dos outros funciona perfeitamente em off-line!!! Muito nos smartphones da Nokia/Microsoft. Existem versões dele para o Android e também IOS (iPhones) … Creio que está em boas mãos, com essa turma que comprou…

  16. JP disse:

    GPS , Waze é realmente bom quando vamos a lugares inéditos e quando não temos tempo de sentar em frente a um PC com tela grande e ver no google maps, antes. Porque é exatamente isso que faço na maioria das vezes: sento em frente a um PC, vejo a rota, posiciono o bonequinho do street view nos pontos-chave da rota, memorizo na mente e…..pé na tábua!
    Pra mim tem que ter a imagem dos lugares. Somente um mapinha virtual não rola.

  17. Rodrigo Moraes disse:

    Eu uso o Waze quase todo dia, e ele me fez conhecer melhor minha cidade, ao sugerir caminhos diferentes dos que eu fazia todos os dias e ao dizer o nome das ruas. O GPS também me ajudou a conhecer o mundo, fora das grandes autoestradas. Porque os mapas só têm as estradas principais, enquanto o GPS, através de seus projetos colaborativos, também tem estradas vicinais, trilhas. Comparo minhas viagens na época do mapa de papel às atuais, com o GPS, e as atuais são muito mais bacanas. A pessoa que usa uma parafusadeira não é mais burra do que a que usa uma chave de fenda. A que usa o GPS não é mais burra do que a que usa mapa ou memória. E esta última não é mais burra do que quem se guia pelas estrelas. Não são as ferramentas que uma pessoa usa que determinam sua capacidade de pensar.

  18. Robson Guimarães disse:

    A parte mobile que foi comprada pela Microsoft, a que cuida dos mapas ainda pertencia a velha Nokia.

  19. Joao Reis disse:

    Nem sabia que o Here era tão grande. Tenho um app no celular. Gosto dele porque da pra baixar pacote de mapas e usar offline.

    Só não concordo em colocar a culpa do emburrecimento da população na tecnologia. Você acha que ficou mais burro do que era 30 anos atrás? Duvido muito. Pergunte-se por que não e verá que a culpa não é da tecnologia.

  20. Adriano disse:

    Flavio, eu uso o waze todo dia mesmo que eu vá fazer o mesmo trajeto porque é com essas informações que ele vai ajudar os outros usuários a evitarem as vias congestionadas, como é um mapa que compartilha as informações do transito quanto mais pessoas usam, mesmo que para caminhos que conheçam mais informações os outros usuários terão..

  21. Minoru disse:

    Apenas mais um passo para o emburrecimento de uma parcela majoritária da população mundial, que a cada dia mais e mais se torna preguiçosa tanto no fazer como no aprender, a ponto de me contarem que estão desenvolvendo assistentes de estacionamento para vagas na diagonal /45 graus… em minha humilde opinião quem não consegue estacionar numa vaga assim nem deveria ter carta de motorista mas pensando melhor, no fundo é o que essa nova geração ultra superficial deseja, que tudo venha mastigado e no máximo em 140 caracteres.

    No final das contas, o mundo será daqueles que conseguirem ler, entender, pensar, criar e enxergar além desse mundinho feito de coisas superficiais.

  22. samucaSDMF disse:

    Recentemente fui de férias pra Florianópolis,que fica há 570 Km da minha casa.Tenho uma Parati Surf 95 cujo único aparelho eletrônico é um CD player com entrada USB.Estudei o caminho em casa pelo Google Maps um dia antes de viajar,na viagem prestei bastante nas placas e cheguei ao hotel(Belluno,recomendo)sem errar uma esquina que fosse.Por melhor e mais competente que seja um gadget,não podemos nos privar do privilégio de pensar.

  23. Ricardo Lacerda disse:

    Essa questão Microsoft/Nokia não é tão simples assim. A Microsoft comprou apenas a divisão de celulares da Nokia. Não a empresa toda. A Microsoft inclusive já até abandonou a marca em seus celulares. Então a Nokia pertence a Nokia mesmo.

  24. Roberto Fróes disse:

    Só uso onde não conheço.
    Na Alemanha, por exemplo – sem falar uma palavra de alemão.
    A “Dona Maria” (GPS com a voz de uma portuguesa) não se enganava por 1 metro sequer, e sempre mostrava as alternativas mais rápidas.
    O problema está em “quem” abastece o sistema com dados. Se ensinar errado, o sistema pensa que está certo, e aí é uma merda…

  25. PRNDSL disse:

    Recomendo, muito, o aplicatico HERE disponível para celulares espertos. Ele funciona como GPS sem necessitar rede, ou seja economiza sua banda e opera em lugares remotos ! além disto é gratúito e você pode baixar mapas DO MUNDO TODO!!!
    JÁ USEI NA AUSTRÁLIA

  26. Bruno Cardoso disse:

    Por isso não compro carro novo, muito menos Audi, Mercedes e BMW.
    Eu é que digo ao carro onde quero ir, e não o contrário.

  27. O HERE da Nokia é muito mais preciso que Google Maps e Waze, além de ser o primeiro o rodar off-line. Vc baixa os mapas no celular e usa sem precisar de conexão com internet. Bastante completo e só uso quando realmente não sei pra onde preciso ir.

  28. João disse:

    Fui, até há pouco tempo, condutor de uma das carrinhas através das quais se fazem a captação das imagens das estradas. As câmeras são tecnologicamente fenomenais, captando até ao mm, literalmente, todos os relevos de estradas, passeios e edifícios. As imagens serão utilizadas para compor reproduções fiéis a 3 dimensões de modo a que, daqui a não muito tempo, os carros possam andar sozinhos, ou seja, uma espécie de motorista computadorizado.

    É exactamente por causa disto que este projecto foi comprado por estas empresas gigantes do mercado automóvel, não é simplesmente pelo tradicional GPS. De outra forma, nunca valeria estes camiões de dinheiro que foram usados para pagar a conta.

    Cumprimentos,

  29. Renato B. Santiago disse:

    Cara… é o caminho. Em breve (espero que bem rápido), teremos os carrinhos do Google. Eu costumo dizer que gosto de pilotar, mas não de dirigir, pois gosto de conduzir um veículo, mas não gosto de trânsito. Odeio trânsito. Trânsito é uma merda. Com os carrinhos autônomos, vou poder fazer outra coisa eqto o carrinho me leva onde tem que levar, sem trânsito, pois será tudo lógico e coerente.
    Agora, imagina um mundo onde ninguém saiba dirigir nada, pq não existem carros pra serem dirigidos! Bizarro!

  30. Rafael M disse:

    Quando falam da máquina escravizando o homem, é a isso que se referem. Nada de pessoas tendo a sua energia vital sugada a la Matrix, mas pessoas incapazes de compreender, sem a ajuda de máquinas, a complexidade do mundo que elas mesmas construíram.

    Imagine (e é perfeitamente possível tecnologicamente) que em algumas décadas as ruas tenham sentidos mutáveis. Uma via de duas mãos se transforma em uma via de uma mão para compensar o engarrafamento causado por um acidente, por exemplo. Os GPS se atualizam automaticamente, sempre dando um caminho possível.

    Aumenta-se a efetividade do uso das vias, os congestionamentos diminuem, todos estão felizes até o dia em que o seu GPS der pau e você não souber o caminho para a sua própria casa. Isso, claro, assumindo que as pessoas ainda vão guiar os próprios carros, hipótese cada vez mais improvável.

  31. Paulo Pinto disse:

    Uma das mais belas canções dos Beatles.

    Quanto ao post. As pessoas não saem de casa sem os seu celulares.
    Fica a pergunta: e quando não existiam?

    • Fred disse:

      Quando não existiam, Paulo, as pessoas eram mais “pessoas” e menos “coisas”…

      • Paulo Pinto disse:

        Concordo, Fred. Eu fui um dos poucos que resistiram por um tempo à novidade. Mas. o progresso sempre sai vencedor e não é para ser diferente.
        O mesmo vai ocorrer com a novidade mostrada do post e com as que virão.

      • Fred disse:

        Entendo, aceito (há alternativa?!) e também concordo com você, Paulo. No entanto, com base na sua pergunta inicial e no que Flávio postou, fica evidente a nossa dependência cada vez maior em relação a esses avanços tecnológicos. Sem querer enveredar por pretensas divagações filosóficas, arrisco dizer que o cerne da questão é: enquanto houver o “botão” desligar, sempre haverá a possibilidade de escolher.

        Na minha singela opinião, vejo Flávio “levantando a bola” da autonomia (por mais frágil e utópica que seja) e “baixando a bola” da insensata submissão tecnológica. Numa palavra, o que ele semeia é: equilíbrio.

      • Paulo Pinto disse:

        Concordo plenamente, Fred. O que vejo nas pessoas de um modo geral, é a extrema dependência que criaram em relação às geringonças tecnológicas. Todos estão cada vez mais focados nos seus “brinquedinhos”, e ninguém se aventura a desligar.

        Já virou vício.

  32. frank disse:

    Quem já foi carteiro não precisa disso…

  33. FIELDS disse:

    Uma coisa é certa, depois do GPS nem taxista te leva a lugar nenhum sem ele.
    Até os taxistas emburreceram. Até um tempo atras você entrava no táxi dizia onde queria ir e pronto. Agora o taxista pergunta se você sabe o caminho ou quer que use o WASE… o próximo passo deverá você dirigir o taxi.
    Quanto ao HERE ele é realmente bom, porque não precisa de pacote de dados pra traçar as rotas e não te mete em locais perigosos como faz o WASE

  34. Eu sou um desses que não vai mais à padaria sem usar o Waze. Todo dia e toda hora tem trânsito em algum lugar de São Paulo (ou em qualquer grande cidade do país) e muitas vezes uso o Waze não por não conhecer o caminho, mas para torná-lo mais eficiente, chegar um pouco mais rápido em meu destino.
    Nesse ponto eu acho a tecnologia adorável.

  35. Hugo Albino disse:

    A Nokia foi comprada pela Microsoft.

  36. Eugenio Chiti disse:

    O GPS é uma ferramenta muito boa, mas é também muito emburrecedora, sim. Aqui no Brasil as estradas são poucas e simples, mas quando morei nos EUA, há 20 anos, as coisas já eram bem mais complexas, com aquele monte de viadutos se entrelaçando. Quando eu queria viajar, olhava um enorme caderno com mapas da National Geographic que eu tenho até hoje e então pegava um papelzinho qualquer, onde fazia uns riscos: cada um deles era uma estrada e , onde os riscos se cruzavam, era onde eu deveria sai pra pegar a outra via. Nem marcava a distância, só precisava saber o número da estrada e a direção dela. Sempre chegava lá e nunca me perdi. Neste ano fui a San Francisco, cidade que conheço bem pois morei lá, e quase não conseguia sair de casa sem ligar o maledetto aparelho, se não eu me perdia… Sensação horrível, essa de se sentir um burro.

  37. Bertran disse:

    Eu pego a Marginal na direção da Castello Branco quando quero ir ao Aeroporto de Guarulhos.
    Moro no Morumbi.

  38. Sérgio Barros disse:

    Bom dia,

    a Nokia foi vendida em 2013 para a Microsoft, por 7 bilhões de Euros. Pode parecer muito, mas foi menos que os 11 bilhões de euros que o Facebook pagou pelo What’s Up.

    Decisões equivocadas na matriz fizeram o valor de mercado cair de 200 bilhões de euros para os 7 bi acima, além da perda de share (tinha metade do mercado mundial e era a empresa européia mais valiosa do mundo.

  39. Felipe Marques Lopes disse:

    Pois é. Como digo sempre: O GPS acabou com o “papai sabe tudo”!
    Antigamente, para qualquer lugar que íamos, perguntávamos aos nossos pais onde era determinado lugar, e o mestre sempre nos ensinava com maestria, e nos fazia pensar “meu pai é foda, sabe tudo”.
    Mas confesso que, hoje em dia, por vezes contrario o Waze, tantas outras ele me salva!!

  40. Rafael Bilibio disse:

    Creio que o investimento em mapas no futuro é para mapeamento de tráfego e congestionamento, não apenas de direção. A exemplo do Waze, que você disse. Mas o Waze só será “viral” na hora que estiver embutido no painel dos veículos.

    GPS com orientação de tráfego. Isso é o que acredito.

  41. Acarloz disse:

    Uso o Waze quase que constantemente, principalmente pelas dicas, e tenho uma suspeita de que eles utilizam magia negra para calcular o seu horário de chegada….É infalível e absurdamente preciso, seja pra onde for.

  42. Paulo andré disse:

    A nokia foi comprada pela microsoft a uns anos atrás…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>