MENU

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016 - 8:03Automobilismo brasileiro

ESPERANDO O QUÊ?

SÃO PAULO (vai ser bom demais) – A Fórmula Inter está chegando. Abril marca a primeira etapa da nova categoria do automobilismo nacional idealizada pelo Marcos Galassi, com um time de profissionais de primeira linha que desenvolveu o carro parafuso por parafuso. Os custos são baixos. Não há nada melhor no país para quem sai do kart e quer iniciar uma carreira sólida. Ou mesmo para quem apenas quer correr de monoposto, independentemente de pretensões futuras. Está ao alcance de todo mundo.

Clique na foto abaixo para saber de tudo em detalhes. Seguimos torcendo muito por aqui. O Brasil precisa de boas notícias no automobilismo. Essa é uma delas.

intermon

28 comentários

  1. Vinicius Alexandre disse:

    Estou feliz por ver mais uma iniciativa no automobilismo brasileiro,eu já tive sonho de ser um piloto de F1 ou mesmo de turismo,infelizmente devido a minha idade…e de morar num Estado sem tradição no automobilismo,só me resta torcer para que essa garotada que está tendo sorte de pilotar consiga chegar lá. Torço pra que essa categoria chegue pra ficar e que revele pilotos de verdade!

  2. Renato F1 disse:

    Bom, R$ 13.990,00 por etapa. Multiplicando pelo número de etapas (11), dá um total de R$ 153.890,00. Mesmo que pague a vista (R$ 115.418,00) com desconto de 25%, o valor por etapa cai para R$ 10.492,55. Supondo que ocorra uma etapa por mês, o(a) corredor(a) tem de desembolsar quase R$ 10,5 mil por mês para participar.

    Levando-se em conta que o salário mínimo de 2016 é de R$ 880,00, o valor da etapa pago na temporada à vista equivale a 11,9 salários mínimos. Quase 12 salários mínimos por mês! E o(a) corredor(a) ainda tem que se alimentar, pagar os impostos, se locomover, pagar as contas de água, de energia elétrica, de gás encanado (ou comprar o botijão), etc.

    Traduzindo: esta categoria pode ter um custo muito inferior ao de outras, mas está longe de, na minha opinião, poder dizer que os custos desta categoria são baixos. Realmente automobilismo é para poucos.

    Mesmo com a crítica à declaração sobre os custos, torço por esta nova categoria. Se tiver transmissão, irei assistir. Só falta saber em qual canal.

  3. Brito disse:

    Se isso aí é “barato”, imagina quanto custa correr numa F3 da vida…

  4. Chico Bravo disse:

    Sensacional, dez patrocinadores a R$ 1.399,00 por etapa acho que não é muito difícil de encontrar. Parabéns aos envolvidos. Flavio Gomes, o Sr. como piloto nessa categoria? Não? Sim? Talvez? Abraço.

  5. Gideon disse:

    Quero que isso dê muito certo, e espero que tenha transmissão por alguma emissora de tv, para que possamos ir conhecendo os pilotos, o campeonato. Um grid brasileiro de monopostos cheio ia ser bacana de acompanhar.

    Espero também que organização seja bacana, com planejamento e profissionalismo.

    Off: Falando em planejamento, vocês conhecem um jogo chamado GPRO – Grand Prix Racing Online? É um jogo em que você comanda uma equipe de corridas (cuida do financeiro, staff, instalações, contratos, patrocínios, treinamentos).
    Não tenho nada a ver com o jogo não, mas achei muito legal pra quem gosta deste universo das corridas. Fica a dica

  6. Flavio Bragatto disse:

    150k não é grana para qq um tirar do bolso, mas se o piloto conseguir uns dois ou três patrocinadores, sai baratinho.

  7. Celio Ferreira disse:

    Flavio qual canal pago vai transmitir as corridas da iNTER ?

  8. Cassio disse:

    Existe alguma restrição de idade para essa categoria???

  9. John disse:

    Faltou incluir o custo de R$6-7k para a licença de piloto e outros R$5k de equipamentos.

  10. Pedro Sciamarella disse:

    Isso só pode dar muito certo

  11. Victor disse:

    Mais uma categoria para, e somente para, os abastados do pais.

  12. Duka disse:

    O problemas nunca é a iniciativa e sim a “acabativa” !
    Espero que essa categoria faça diferente de tantas que começaram , duraram um, no máximo dois anos ……depois os carros viraram enfeite de parede , “expositor em posto de gasolina e supermercados ” e simuladores de jogos eletrônicos.
    Ex: Formula Chevrolet, Formula Renault , Formula Junior , Formula Brasil ,etc….

  13. Henrique Junior disse:

    Olá Flávio e apesar da crise que boa noticia. Uma sugestão quem sabe: o Grande Prêmio não poderia alugar uma vaga de cockpit e vocês fazerem alguma campanha pros leitores do blog e do site que desse direito a conhecer os bastidores e dar uma voltinha num monoposto. Quem sabe.

    A F Inter é a luz em meio à escuridão que se tornou o automobilismo hoje no Brasil.

    Abraços

  14. Ferdinandes disse:

    100 mil significa custo baixo? Nao obrigado, fico com meus track days

  15. Antonio ribeiro disse:

    Torcendo pra esse grid encher.

  16. Luis Felipe disse:

    INCAREDITÁVEL, que notícia boa! .
    Em meio a crise ( sim, FG, estamos em Crise, dá para ver) e a perda da cultura do automobilismo, de qualquer nova iniciativa e desta fase crítica que passam os autódromos, enfim…

  17. Riacardo Bigliazzi disse:

    Em se tratando de corrida de monoposto não está tão caro assim. Vale a pena lembrar que uma “500 Milhas de kart na Granja Viana” não saia por menos de R$20.000,00 por carro.

  18. Newton Chan disse:

    Olá Flavio,

    A imagem não subiu e também qdo clico não abre a página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>