MENU

quarta-feira, 2 de março de 2016 - 7:50Rádio Blog

RÁDIO BLOG

SÃO PAULO (por quê?) – Vinte anos hoje. O aviãozinho fez a curva para o lado errado, bateu no morro, morreram todos. Os Mamonas Assassinas seriam a maior banda da história do Brasil. Não tiveram tempo. Inteligentes, críticos, ácidos, engajados, engraçados, criativos, músicos excepcionais, tiveram só oito meses de carreira, lançaram um disco, venderam três milhões de cópias e se foram.

Os garotos de Guarulhos nos mostram como pioramos nos últimos 20 anos em algumas coisas. Na música, principalmente.

80 comentários

  1. Sandro disse:

    Capitão América – O Soldado Invernal – versão brasileira da lista.

    http://assets.b9.com.br/wp-content/uploads/2014/04/brasil-cap-america-lista.jpg

  2. Paulo Pinto disse:

    Se os Mamonas não morressem, o fim deles (como grupo musical) seria parecido com o do grupo Blitz. A galera de Evandro Mesquita chegou com uma fórmula nova, alegre e irônica de cantar e se expressar, que com o tempo, cansou o público.

  3. Fernando disse:

    Você já disse muitas vezes que não entende porcaria nenhuma de música. Concordo plenamente. Bem, quase não tinha música, claro, rock não é apenas música, mas tinha muita letra boa, muito humor inteligente, e morrer daquele jeito, muito triste.

  4. Ilmar disse:

    Eu me lembro que, em 2000 e 2001, o programa de rádio Estádio 97 era ainda mais louco, solto e devasso quando tinha um só patrocinador, o restaurante La Buca Romana (nem sei se ele ainda existe). Depois que a quantidade de patrocinadores aumentou, em 2002/2003, o Estádio 97 ficou mais chato, mais sem-graça (pelo menos na minha opinião). Não sei se o Mamonas Assassinas conseguriam resistir ao poder do dinheiro e à onda atual do politicamente correto. Enfim, assim como o Senna, também deixaram saudades…

  5. voulembrar disse:

    Ou o futuro para eles seria outro… o vocalista ficaria muito famoso, ganharia mais mulheres e dinheiro do que os outros, e logo o banda acabaria por brigas internas.

  6. Rodrigo Pires disse:

    Saudosismo é um negócio estranho.

    Mamonas, um dos maiores exemplos do poder das gravadoras e do jabá. Época que faustão e gugu moldavam opinião pública.

    20 anos depois eu não sou obrigado a ouvir o que um executivo escolheu como novo sucesso, não tenho idéia se faustao ou gugu ainda estão vivos, e antes era melhor? Dio mio…

  7. antonio stricagnolo disse:

    Só em algumas coisas ?!?!?!?!?

  8. Daniel disse:

    Só tem essa idolatria porque morreram tragicamente. Duvido que fizessem sucesso até hoje, pois o tipo de som deles cansa bastante. Aposto que o Dinho estaria brigando para participar da “Fazenda” na Record hoje em dia.

  9. Cenzi disse:

    E como o mundo ficou chato nesses últimos 20 anos. Fosse hoje, eles seriam tachados de homofóbicos, racistas, machistas e muitas outras merdas.
    Eu tinha 15 anos de idade e lembro de chegar no colégio sem saber do ocorrido. Foi muito chocante a forma como aconteceu. Uma pena.

  10. Gus disse:

    Concordo integralmente!

  11. JT disse:

    Poucas bandas brasileiras conseguiram o feito de encher um disco inteiro com músicas que estouraram nas paradas de sucesso. Nos anos 80 só RPM e Ultraje a Rigor conseguiram isso, também no primeiro álbum.

    Outras bandas geralmente se penduravam em dois ou, no máximo, três sucessos por álbum.

    O Dinho, vocalista dos Mamonas, certamente se daria bem na política. Seria deputado federal por São Paulo facilmente.

    O último show que eles fizeram no estado de São Paulo, antes da fatídica viagem ao Distrito Federal, foi em Paulínia. Eu vi a apresentação de trás do palco. A arena (era arena mesmo, de peão de boiadeiro) estava lotada e um guarda municipal, chapa nosso, nos quebrou um galho, colocando a nossa pequena turma no staff dos seguranças.

    Os caras eram bons, tinham anos de experiência tocando em bares, tentando fazer música “séria”. A Brasília amarela deles hoje virou uma SUV prateada.

  12. Murilo . disse:

    não sei…eu tinha 6 anos na época e adorava sair cantando “fui convidado pruma tal de suruba…” Papai (que é o cara mais mente aberta q eu conheço) ficava puto e me proibiu de cantar aquilo dentro de casa, principalmente perto das mulheres. Daí que tive q gostar dos mamonas escondido, ouvindo na casa dos amigos de escola.

    Hoje acho q papai tinha razão, mas sei la…

    as sacadas eram geniais pra gente adulta, mas a banda era vendida para crianças e velhinhos, vai entender…

  13. Hugo Braz disse:

    Os mamadas só são idolatrados até hoje porque morreram. O tempo faria eles caírem no esquecimento. Gosto deles, comprei uma fita k7 original para escutar no meu walkman antes deles estourarem, quando a única música que era conhecida era a do português. Mas a realidade é que estilos não tradicionais não tem vida longa. Na mesma época surgiu uma outra banda com o mesmo estilo e ninguém lembra deles hj em dia (eu incluso). A morte melhora as pessoas aqui no Brasil.

  14. Andre disse:

    Sinceramente. Julgar que eles seriam a maior banda do Brasil e no mínimo forçar a barra.. Detalhe, gosto deles, mas as letras, embora inteligentes ficam longe, longe das melhores bandas do Brasil… Pra ser julgada a melhor teria muito chão e demandaria discos e mais discos de sucesso.. Afinal é o que as maiores do Brasil tem.. Legião.. Titãs.. Vide RPM com um primeiro disco excepcional.. Ou outro bom e na carona do primeiro.. E o resto um lixo..

  15. Daniel Frizero disse:

    Os caras eram excepcionais! Fora de série!!! Saudades!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>