MENU

quarta-feira, 13 de abril de 2016 - 21:42F-1

SENNA, 1986

SÃO PAULO (incrível) – Foram 14 milésimos na bandeirada. Hoje faz 30 anos do GP da Espanha de 1986 em Jerez. Senna bateu Mansell pela margem minúscula. O inglês, de pneus novos — em tempos de pit stops raros –, descontou em poucas voltas mais de 20s de desvantagem para o brasileiro. Com uma Williams poderosa, contra uma Lotus honesta, foi ao ataque. Não deu.

O fim da corrida foi eletrizante. Se o circuito fosse um metro mais extenso, Senna perderia. mas ganhou, e pela primeira vez na carreira assumiu a liderança de um Mundial de F-1.

Ayrton foi o piloto brasileiro que ponteou o campeonato por mais corridas. Esteve em primeiro na classificação em 48 GPs. Hoje, o país amarga um jejum de seis anos e 114 provas longe da ponta da tabela. Que vai aumentar, claro.

Andei pesquisando esses números para apurar as maiores “secas” de liderança de brasileiros na F-1. Vejam:

- 256 GPs entre 1993 (Senna, em Imola) e 2008 (Massa, na França)
- 114 GPs de 2010 (Massa, na Malásia) até o GP do Bahrein deste ano
- 76 GPs entre 1975 (Emerson, Mônaco) e 1980 (Piquet, Itália)
- 32 GPs entre 1983 (Piquet, África do Sul) e 1986 (Piquet, Brasil)
- 29 GPs entre 2008 (Massa, França) e 2010 (Massa, Malásia)
ÚLTIMO BRASILEIRO LÍDER: Massa, após GP da Malásia de 2010
BRASILEIROS QUE MAIS LIDERARAM O MUNDIAL, EM GPs: Senna (48), Emerson (26), Piquet (20), Massa (2)

Não sei quando teremos algo parecido de novo, considerando que Felipe não tem condições de fazer frente à Mercedes, e que o outro Felipe anda num time pobre de dar dó. Virá alguém no futuro?

Who knows…

63 comentários

  1. O Senna só comemorou a vitória quando teve certeza absoluta que tinha vencido. Ele deve ter Cruzado a Linha de Chegada de Olhos Fechados! Já faz Trinta Anos, mas pra quem Assistiu parece que foi Ontem.

  2. Thiago Sabino disse:

    Em relação a queimar largada, solicito gentileza ver Monza 1978 e vão entender o que não era considerado “queimar largada” para o Derek Ongaro…..

  3. Rodrigo Monassa disse:

    uma das ultimas provas do Saudoso lio de Angelis. que tristeza que tava esta Brabham de 86..

  4. Riacardo Bigliazzi disse:

    O próximo brazuca a liderar o campeonato será o Pedro Piquet… isso daqui a 6 anos. Sendo assim, a seca vai prosseguir, vamos iniciar o processo de racionamento de nossas altas expectativas.

    Pelo andar da carruagem acredito que se repetirá o que houve entre as eras Emerson e Piquet. Acredito que a Globo não perderá os direitos de transmissão da F-1 ou os repassará para TV Bandeirantes, apenas deixará de transmitir as corridas no canal aberto. Só retomará as transmissões quando o Pedro começar a vingar na F-1.

    Se não me engano a temporada de 1980 foi transmitida pela BAND e nessa temporada o Piquet mostrou ao mundo todo o seu potencial de piloto de ponta da F-1.

    Acredito que o caminho será o mesmo, daqui a alguns anos (poucos) quem quiser ver a F-1 terá que pagar um canal a cabo. Apenas quando o Pedro vingar é que as corridas poderão voltar para o canal aberto da emissora.

    Apenas para esclarecer, digo que isso acontecerá com o Pedro Piquet pois ele é em principio o único piloto brazuca com potencial (e estrutura) para seguir para a F-1.

  5. Ettine disse:

    Se o Mansel tivesse parado uma ou duas voltas antes levava a peleja. Hoje em dia com certeza receberia a ordem do box para tal procedimento, mas naquela época nem box conseguia calcular tão bem assim.

  6. Reinaldo disse:

    Lembro dessa corrida; sensacional. Há trinta anos! O tempo passa bem depressa.

    Um detalhe, perdão se já foi mencionado (não encontrei): Emerson não venceu em Mônaco em 1975 (nem em nenhum ano, diga-se). Sua última vitória na F1 foi naquele ano, mas em Silverstone, debaixo de uma chuva monumental.

    http://reiv8.blogspot.com

  7. Romeno disse:

    Trinta anos! Me lembro desse final como se tivesse sido a dois minutos. Em 1986 o Queen fazia um show antológico em Wembley.

  8. Lembro bem. Eu com 8 anos, torci bastante pro Mansell chegar no Senna. Final épico, quase reprisado em Mônaco /92. Esses dois eram fantásticos.

    Senna completava 2 anos de F1 e já conquistava a terceira vitória e a liderança do campeonato.

    Me espanta que Rubens Barrichello jamais liderou o certame. E tem gente – ele, principalmente – que insiste que dos 7 títulos do Schumacher, um seria dele.

    Um 7×1 não foi suficiente.

  9. Mickey disse:

    A seca de pilotos italianos e franceses deve estar feia também. Só Alemanha e Inglaterra estão sossegados.

  10. Robertom disse:

    Posso concluir que o Galvão piorou absurdamente, há 30 anos ele se concentrava na narração, que se não era impecável, era correta e bem feita, quase não “papagaiava” e não interrompia o Reginaldo.
    Ou seja, quanto mais famoso e poderoso pior para os infelizes espectadores…

  11. Paulo Pinto disse:

    14 milésimos que renderam um campeonato quase impossível para Alain Prost, ao final da temporada.

  12. paulo disse:

    O estilo da narração e dos comentários do Galvão e do Reginaldo continuam os mesmos, mas a voz deles mudou muito, parecem outras pessoas.

  13. Alexandre Augusto disse:

    De todas temporadas que assisti na Fórmula 1 ( desde 1980), acho essa de 1986 a melhor em termos de disputa. Teve a ultrapassagem do Piquet na Hungria e, na última corrida, três pilotos disputando o título, que foi decidido por causa dos pneus. Uma pena, não desmereço o Prost, mas naquele ano tanto o Mansell quanto o Piquet mereciam mais o título.

  14. Fernando disse:

    “O fim da corrida foi eletrizante. Se o circuito fosse um metro mais extenso”

    Ouvi dizer que na repintura de Jerez para este GP de 86 a linha de chegada foi recuada em pouco mais de um metro. Alguém pode atestar se isto é verídico?

  15. Joao Moro disse:

    O Senna não queimou a largada?

  16. Ted-BH disse:

    Rs, sensacional!
    Mas….
    Se fosse com as regras atuais, o SENNA seria punido porque “queimou” a largada. Naquela época, essa pequena movimentação no momento da largada não era considerada exatamente queimada de largada.
    Teríamos bandeira amarela para retirar o carro que ficou parado exatamente na área de escape de uma curva. Incrível observar isso hoje. Imagina se outro carro erra e passa reto. Teria batido de frente com um carro que ficou parado ali A CORRIDA INTEIRA.
    A estratégia do Senna seria outra porque seria obrigado a trocar de pneus. Poderia ser até melhor, porque quase perdeu por conta de tentar chegar com os mesmos pneus até o final.
    E os patrocinadores? Goldem Gross, banco Nacional, US TOP? kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Sensacional!
    Eu vi ao vivo e me emocionei novamente agora…
    Ted

  17. Eduardo disse:

    Flávio assisti a corrida hoje, 30 anos depois, isso foi antes de eu nascer mas foi uma corrida incrível, nessa corrida vi retardatário dando trabalho, Mansell fechando literalmente a porta para Senna, hoje a F1 não tem essa emoção, o piloto chega abre asa o outro pode mudar apenas uma vez de traçado e acabou a briga, não adianta falar que Senna tinha um carro melhor que não tinha, concordo que o tio Bernie tem q olhar o que era emoção no passado.
    Muito obrigado por compartilhar, agora sei de onde vem a paixão pela F1 que meu pai tem, tragam um oscar para essa corrida :) Obrigado!!!

  18. Pedro Perez disse:

    Hoje temos a consciência que Piquet e Senna por uma brincadeira dos deuses, foram dois raios que caíram na F1 praticamente no mesmo tempo, extremamente improvável acontecer novamente, infelizmente.

  19. Raider Lopes Martins disse:

    Uns meses atrás vi o GP da Espanha de 1994 na transmissão da ESPN americana e eles colocaram essa final de 1986. O Jackie Stewart na chegada antes da bandeirada dizia “what’s this, what’s this, what’s this!”.

  20. Gustavo disse:

    Flavio
    Acabei de ver pelo número de GPs do ano, e são 244 GPs entre adelaide 93 e Magny Cours 2008.
    Abs,

    • Flavio Gomes disse:

      Cometi um erro duplo, já corrigido. Na verdade foram 256 GPs, e Senna não liderava na Austrália, claro, porque o campeão foi Prost. Senna liderou o Mundial de 1993 até a quarta etapa, em Imola. Foram, então, 12 corridas sem a liderança em 1993 e todas as temporadas de 1994 a 2007, mais as sete primeiras de 2008, perfazendo as 256. Perdão pelo erro horroroso.

  21. Gustao disse:

    Flavio
    Esse número de 171 GPs entre 1993 e 2008 não seria mais? Se cada temporada tinha no mínimo 16 GPs, e estamos falando de 15 temporadas incompletas entre os GPs citados, temos, no mínimo 240 GPs
    Vi esse número que você mencionou agora também no Fox Nitro de segunda e achei estranho. Falando nisso, bem legal o programa às segundas, não estou perdendo nenhum, e fica a pergunta, se eu perder o programa da Fox, tem como assistir na net depois? procurei no site da Fox Play e não estava abrindo o vídeo.
    Abs,

  22. João Paulo Dias Evangelista disse:

    O Senna não liderou o campeonato na Austrália em 1993.Foi a ultima corrida do ano e ele venceu e terminou em segundo lugar na tabela.O Prost já tinha sido campeão em Portugal na corrida que o Schumacher venceu.
    Ele foi líder do campeonato pela última vez, se não me engano, quando venceu a corrida do Brasil deste mesmo ano de 1993.

  23. José Brabham disse:

    Eletrizante mesmo esse final. Mansell vindo babando e Senna escorregando nas quatro no sinuoso Jerez me fez levantar da cadeira. Poucas vezes vibrei tanto com uma vitória de Ayrton. Talvez só Suzuka 1990.

  24. Kleber disse:

    Flavio,
    Quando voce escreveu “32 GPs entre 1983 (Piquet, África do Sul) e 1986 (Piquet, Brasil)”, Piquet venceu na França em 85 e, se nao me engano, 2 GPs em 84, todos com a Brabham.

  25. Bruno Cardoso disse:

    Acredito que Nars seja o mais provável em no máximo três anos, claro, em um a equipe que possa andar na frente, que não é o caso da Sauber. Caso isso não aconteça, a esperança fica com Pedro Piquet e Sette Câmara.

  26. Robson disse:

    Boa lembrança. Espero que não inflame aqueles saudosistas das ‘belas manhãs de domingo’, tal e coisa e coisa e tal.
    A liderança de Massa em 2010 foi circunstancial, após seu retorno do acidente de 2009, quando ele estava roda a roda com Alonso. Se os acontecimentos seguintes (especialmente o GP da Alemanha, 1 ano após seu acidente na Hungria) fossem diferentes, talvez ele tivesse repetido alguns momentos de 2008. De lá pra cá, Felipe não ficou mais lento, mas talvez inconsistente.
    A ‘decadência’ dos brasileiros na F1 é análoga aos argentinos nos anos 80 – junto à evolução do turismo ao Sul do Prata. A F1 hoje é mais $eletiva também, o que diminui aquele samba do crioulo doido que nos deu desde Gugelmin a Rosset nos anos 80/90. As causas desta decadência são várias, como bem relatadas pelo pessoal do GP: custos galopantes, ausência de categorias escola (até a F3 inglesa!), perda de interesse do público global (exceto NASCAR e, quem sabe, F-E) e, claro, a gestão em excelência da CBA!

  27. Marcelo Witt disse:

    Fosse hoje em dia, teria ganho punição porque dá pra ver como “queimou” a largada. A luz verde ainda não estava acesa, e o carro já estava se movimentando!

  28. Leandro disse:

    Eu apostaria em Pedro Piquet.
    Mas…. se a família não cometer os erros cometidos com o Nelsinho.
    E não estou falando do ocorrido em Cingapura, e sim da carreira dele antes de entrar na F1.

  29. Afranio disse:

    E o Barichello nunca liderou o mundial…. A Willians não competitiva e a Sauber na situação de fim de grid, além da falta de base no Brasil e com o cenário político econômico incerto, a “seca” tende a ser longa. Esperamos que não, mas é o que se desenha atualmente.

  30. perna quebrada disse:

    Essa foi a primeira vez que a F1 me impressionou.
    Era moleque e lembro do pessoal comentando que o Senna tinha ganhado por meio carro.

  31. Tiago Oliveira disse:

    No future, no future, no future for you.

  32. Daniel Patricio disse:

    Piquet Jr … Piquet Neto ….

  33. emerson disse:

    a mim nao importa ter um brasileiro ganhando, eu gosto de ver os genios correndo e temos uma safra boa:hamilton, vettel, alonso (??). ALem disto, jovens talentos vindo (werstapinho e outros)
    nao ta legal???

  34. Luiz disse:

    Hamilton foi punido com cinco posições no grid da China por troca caixa câmbio.

  35. Wagner Campos disse:

    Talvez o Pedro Piquet ou o Sette-Camara, q inclusive ao q parece começaram mal o campeonato da F3 Euro desse ano. Digo “parece”, pq ainda aguardo algum sujeito nobre e de coração puro q me informe onde eu assisto ao vivo as benditas corridas.

  36. Leonardo disse:

    Detalhe interessante: Senna queimou a largada. :)

    Se fosse o Prost era conspiração.. hehehe

    Sennistas não me matem!

  37. jose claudio disse:

    O que impressiona é o Rosberg pai chegar em quarto levando uma volta……hoje todos reclamam……acho mesmo que hoje a fórmula 1 é mais competitiva…..a fórmula 1 perdeu seu charme. …não temos Mansel..Prost ..e Senna na mesma reta…..agora..naquele tempo tinha carro levando 8 voltas .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>