MENU

segunda-feira, 11 de julho de 2016 - 21:53Dica do dia, F-1

DICA DO DIA

snnaporst89

SÃO PAULO (demais da conta)Do Bruno Vicaria em seu blog, e é imperdível — e foi o Bruno Mantovani que deu a letra: o GP do Japão de 1989 inteirinho na on-board de Senna.

(Nunca sei se on-board se escreve com hífen, sem hífen ou separado. Temos on-board, onboard e on board. Já escrevi das três formas e deveria ter aprendido. Espero instruções de Victor Martins.)

Não sei se todos terão tempo para ver as duas partes da corrida — são dois vídeos. Mas se posso recomendar alguma coisa, vejam o segundo a partir dos 15min, quando Prost aparece pela primeira vez na alça de mira de Ayrton.

A partir daí, é uma caçada implacável. E muito difícil, porque em alguns momentos Alain escapa, Senna comete erros, freia um pouco além, vê o rival abrir um pouco, depois encosta de novo, até a tentativa na chicane e o toque com o francês.

As imagens mostram o brasileiro pedindo aos comissários japoneses para empurrar o carro, depois a troca do bico, depois a ultrapassagem sobre Nannini, até a vitória — que depois de muita discussão na torre seria dada ao italiano da Benetton, em decisão contestada até hoje pelos fãs do piloto.

É incrível como os carros dos anos 80 eram mais difíceis — e maravilhosos, desconfio — de guiar. A McLaren ainda não tinha borboletas atrás do volante para trocar as marchas, algo que a Ferrari introduziu naquele ano. Ayrton guia feito um alucinado para pegar Prost. O francês, se pudéssemos ver sua câmera, provavelmente estava fazendo o mesmo.

Enfim, uma lição de pilotagem e um thriller espetacular a partir dos tais 15min do segundo vídeo, para tentar adivinhar quando Senna dará o bote. É demais. Ganhamos a noite.

90 comentários

  1. Hebphone disse:

    Pelos fãs do piloto incluindo Ron Dennis né Gomes?!

  2. Thiago Sabino disse:

    Só doentes mentais continuam insistindo nessa polarização fla-fluzística do automobilismo nacional….

    Moléstia esta que começa em meados dos anos 80, cujos doentes ainda manifestam-na até hoje, através do uso de termos como “viúvas”, e tal…

    Putaquepariucaralho, será que não dá pra assistir o video com uma análise puramente técnica, sem enveredar nessa putaria que coça o teclado de desmerecer a trajetória de um cara , que pra começar, nem vivo está?

    Nos anos 80, isso era até meio folclórico, havia as torcidas, ou você era fla, ou era flu, mas tá beleza, era culturalmente aceito e buenas.

    Mas hoje, é pedante, é ridículo, é piegas, é dantesco, é escroto, é coisa de gente que não consegue evoluir…

    E pior que acha que paga uma de entendido….

    Video: do caralho. Coisa que ninguém aqui vai atingir um nível de pilotagem dessa qualidade…. jamais.

  3. Thiago marques disse:

    Notei algumas diferenças!
    A bolha do carro de senna é maior!
    Senna troca de marcha cerca de 28 a 30x por volta Prost troca de 25 a 27x
    E senna usa o giro do
    Motor de outra forma!

  4. De novo esse episódio do Japão 89 que na verdade teve Prost dominando Senna o tempo todo e seria assim até o final da corrida na sua trajetória normal, mas Prost já não via mais o Senna e então resolveu procurá-lo reduzindo e alterando a tangente até que ele se assusta com o Senna enfiando a cara fechando a porta logo em seguida, bem o resto todo mundo já conhece. Tem um Vídeo Lex de 10 Minutos no Youtube muito bom mostrando Onboard nos carros de Senna e Prost, mais o do Senna os pontos principais dessa corrida em 1989.

  5. Julio Lopes disse:

    Impressão minha? Ou o microfone no carro do Prost está mais baixo ou o Senna anda mais no limite dos giros que ele? E na segunda parte, quando o Senna avista o Prost começa a andar ainda mais no limite e atacando ainda mais as zebras?

  6. Eduardo_SC disse:

    Perdi um dia de trabalho vendo esses vídeos….sincronizei duas telas, uma como o on board e outra com a transmissão ao vivo para acompanhar os tempos e a distância visual. Senna errou muitas marchas e perdeu tempo com retardatários. A cabeça do Prost explodiu em frustração quando percebeu que seria ultrapassado, decidiu que não seria humilhado e deu no que deu.

  7. Renato de Mello Machado disse:

    Alguém comentou isso sobre a hora quê o motor, pegou no tranco. Quê urro! Já pensou no coise quê é sair puramente trocando as marchas,e uma coisa diferente de hoje em dia é quê para trocar de marcha, o carro desequilibra,hoje nem sente quê trocou a não ser pelo ruído.Só esqueceu,quê o Prost ia fazer a curva.

  8. Zé mário disse:

    Mas lógico. O vídeo e a pilotagem dos dois é exepcional.

  9. Zé mário disse:

    Bom fiz uma conta aproximada aqui. Foram 45 segundos parado, depois da batida. Mais uns 25 segundos para trocar o bico do carro . Fora desaceleração, andar com o carro quebrado. Isso no mínimo, dá quase um minuto e meio. Eita VIUVETAS!!!….mais uma mentira e exagero que já dura quase 30 anos na cabeça de vocês, que naquela época a F1 era mais competitiva.

    Ps: Em qualquer corrida “normal, nessas circunstâncias, numa situação dessas o Senna já tinha tomado uma volta de todos.

  10. Zé mário disse:

    Já vi muitos carros terem hegemonia na F1. .Mas igual a esse da Mclaren nunca. Peraí, o cara bate, fica parado por mais de 30 segundos, aí volta com o bico quebrado e logico mais lento, depois o bico se solta ele anda sem bico , perde mais um tempão, vai para os boxes com uma parada demoradíssima para trocar o bico do carro e ainda chega e ultrapassa o Nanini. Aí tem viuvetas que dizem. Ah naquele tempo era diferente. Era nada!!! Sempre foi assim. Só uma ou duas equipes na ponta. Neste caso só uma.

  11. perna quebrada disse:

    Já li,reli, vi, revi essa história 1 milhão de vezes… Mas esse vídeo me fez ficar arrepiado como há muito tempo não ficava.
    Puta merda, como era legal a F1 e como era bom ver esses caras correr…
    Carros de verdade, corridas de verdade, sem frescura. Motor de verdade com barulho de verdade…. nada desses peidos de vaca de hoje…
    Que saudosismo bom!!!
    Se invetaram o R.I.P. Futebol Clube pra juntar as preciosidades do futebol, falta um R.I.P. F1 pra fazer o mesmo com as preciosidades desse esporte que já foi bom pra caralho!

  12. Marcelo de Castro disse:

    Vídeo sensacional, corrida de verdade, barulho de verdade, homens tomando decisões de verdade…saudades.

  13. Jose carlos Qualira disse:

    Vcs sao umas viuvas…
    Que carroça estes carros! Qualquer VIPER de rua anda na frente destas porcarias.
    Cambio em baixo kkk.. Só rindo
    Senna foi tão bom que morreu como morreu..piloto que errou mais que acertou..trapaceiro..e devr muito sua fama à Xuxa..
    Prost é do nivel do Massa.. Perdeu título para o Lauda(péssimo piloto)’e pro Piquet(piloto reconhecido apenas por suas contestaveis habilidades em mecânica)

    Em condicoes iguais o Alonso ou Hamilton ganhariam c dobro de pontos destes dois ai..

  14. Micromax disse:

    Esse era o piloto! O carro! O adversário mais à altura, A pista mais emblemática…..um ano de incrível azar de Senna, que, mesmo com todas adversidades de quebras e abandonos na temporada, chegou à Suzuka pra vencer e botar “pimenta” no campeonato!!

    Jamais veremos coisa assim novamente meus amigos,…….jamais!!

  15. Froushows disse:

    Pqp! Sensacional. Até na hora que ele chega, desliga o carro, salta e o abandona ali na área das garagens….tudo phoda demais! Os fotógrafos nos boxes e um japinha tentando afastá-los enquanto Senna reabastece…..uma parte que mostra o quanto os caras eram fodas é que numa das retas a mais de 300 kms, Senna pilota com uma mão só e a outra acerta alguma coisa na viseira…,isso por uns 5,6 segundos!!

  16. Elcio disse:

    Que vídeo!! Ganhamos a semana, o mês ,isso sim!!!!
    A maior vitória de Senna, com certeza!!!!!!!

  17. Fernando disse:

    Comecei a ver aqui Flávio. Que legal! Deu um frio na espinha quando o motor ligou. Decidir ver tudo :)

  18. Chameleon disse:

    Salvo engano, esse vídeo foi publicado aqui em 2010.

  19. Ricardo Valle disse:

    O professor perdeu pro “aluno”.

  20. Gleden disse:

    Fantástico o vídeo, a pilotagem de ambos e como era violento o carro em todos os aspectos, força, barulho, tudo!!! As reduções de marcha que o Senna fazia nas entradas de curva dava a impressão que o motor iria explodir a qualquer momento. Mestres!!!

  21. Sensacional! Sim, a pilotagem salta aos olhos, é realmente impressionante.

    E os carros… eram para homens, mesmo.

    E mesmo que saibamos que os atuais são mais rápidos, a sensação de velocidade parece ser muito maior nesses de antigamente.

    E por experiência própria, sei que é por isso que as crianças dos anos 80 se apaixonavam pela F1.

  22. Martinho Franco disse:

    Sensacional. Aguardando a corrida de 1988…rsrsrs

  23. sandro disse:

    Apenas alguns comentário rápidos: puta merda como eram bonitos esses carros e no cambio manual era o piloto que dirigia e não o carro que dizia o que o piloto deveria fazer. Erros nas trocas, deixar pra reduzir mais tarde, mais cedo, frear no motor, puts, era muito legal, agora, esses carros cheios de aletas (alhetas), marcha pra cima ou pra baixo sem errar, a cabeça do piloto exposta há 350km/h,,,,o ronco alto dos motores de ensurdecer,,,,,,,,,,,,era demais.

  24. André disse:

    Sensacional!! Poxa eu tinha 3 anos quando essa corrida aconteceu, rsrs. Daquela época me lembro de algumas, como a vitoria no Brasil em 93 e a do fatídico acidente, pois não acompanhava direito as corridas e não entendia tb. Como é legal ver os carros daquela época, que eram “nervosos”, pq hj os pilotos levam na pontinha dos dedos e naquela época era no braço e na raça!

    Vendo esse vídeo, achei um muito legal dos nossos Senna x Prost modernos. Um campeonato de kart, em 2000, no Japão, onde Rosberg e Hamilton, com seus 15 anos disputam: https://www.youtube.com/watch?v=cIOWjSQoC2M

    Achei bem legal. E mais uma vez sensacional esse post.

  25. Paulus disse:

    Flávio, boa tarde.

    Já vi no youtube, a alguns anos atrás, uma série de 6 vídeos da própria honda em japonês e tudo com a camera onboard dos dois.

    É impressionante a diferença de tocada dos dois pilotos. Na onboard do Prost a tocada é muito mais suave, completamente diferente do Senna, agressiva e em alta rotação o tempo todo.

    Não consegui achar mas tenho certeza que o pessoal aqui localiza.

    • Nelson Piquet disse:

      É por isso que Prost é chamado de professor. Sem dúvidas o maior de todos, Piquet o segundo e Senna o terceiro. Concordo com o anfitrião do blog, que Senna foi um dos grande , mas não melhor. Fazendo justiça à Shumi, que tambén foi melhor que Senna, e menor que Prost. Não tivesse Senna àquele mal súbito que o fez desmaiar e bater no muro, talvez teria a chance de mostrar mais nas pistas.

  26. Antonio disse:

    A Formula 1 era muito mais difícil..
    Os carros eram mais duros, as pistas mais onduladas.
    Não admitia erros. Exigia mais do piloto.
    A comunicação e a estrategia eram limitadas e o piloto decidia muito mais o que fazer.
    Enfim. Hoje a vida tá muito mais fácil., nivela por baixo
    Acho que Prost e Senna eram pilotos muito melhores do que temos hoje.. Senna em habilidade e Prost em inteligência..
    A molecada hoje é boa também , mas tem a vida muito mais fácil

  27. Eduardo_SC disse:

    Continuo achando que o V10 é o mais musical dos motores. Demais.

    • Eduardo_SC disse:

      Impressionante que, mesmo com uma tocada mais limpa e relação de marcha mais longa, Prost conseguiu abrir bastante.

      • Segafredo disse:

        Conseguiu abrir no inicio da prova……enquanto tinha fôlego, kkk porque depois o mestre foi ao limite daquele bólido pra comer o francês……….que se viu obrigado a tal atitude pra não perder o título!

      • Paulo Pinto disse:

        Mesmo que Senna tivesse a vitória ratificada no Japão, ele perderia o campeonato!

      • Segafredo disse:

        ….é o que vc acha? Com Prost vendo-se obrigado a ir pra pista naquela chuvarada a história com certeza teria outro desfecho Sr. Pinto!

      • Paulo Pinto disse:

        Mesmo com a vitória no Japão, Senna precisaria vencer na Austrália. A pressão sobre o brasileiro seria a mesma a que ele foi submetido, ou seja, a porrada em um retardatário em meio a um temporal (onde nada se enxergava), seria questão de tempo.

        Cá entre nós, Sennafredo, perder um título batendo em Brundle (o rival do passado), que Senna atropelou a fim de conquistar o campeonato…
        …só pode ser capricho dos Deuses.

      • Micromax disse:

        Qual parte do ” ….com Prost vendo-se obrigado a ir para pista naquela chuvarada…” Vc não entendeu??

        Putaquepaiuviuzémanédokaraio

  28. Alberto disse:

    Dois ETs em ação.

  29. João Paulo Toledo Piza disse:

    Isso que o cambio não era nem sequencial ,era em “H” ainda !!

  30. Tales Guimarães disse:

    Da onboard do Prost nesta prova basta assistir alguns segundos, Aqueles segundos do “não passarás”! rsrs

    https://www.youtube.com/watch?v=hNi9WvVu0zk

    Fantástico este vídeo. Faca nos dentes e sangue nos olhos. Prost era uma máquina de extrema precisão. Senna o mestre do arrojo. Prost contornava um pouco mais por fora com uma eficiência cirúrgica. Senna atacava mais as zebras e freava muito mais dentro. Senna lembra muito o estilo do Hamilton. E eu arriscaria dizer que Schumacher e Max Verstappen, talvez Alonso também, tem um estilo que se aproxima mais da perfeição, que seria a mistura da pilotagem de Senna com a de Prost. Exagerei?

  31. JUNIOR RIZZO disse:

    É impressão minha ou o cambio era em H???

  32. Israel Pegado disse:

    Sem dúvida, um dos GPs mais emblemáticos da história da F1.
    Duas pilotagens marcantes, Dois gênios andando no limite o tempo todo. Histórico.

  33. Flavio Gonçalves Francisco disse:

    Os dois melhores de todos os tempos.
    Nenhum piloto de hoje chega aos pés desses dois. Talvez o Alonso nos bons tempos, o resto, é resto.

  34. Jonivan disse:

    Eu também me pergunto até hoje por que ele não deu um cavalo de pau pra voltar, e o que “os caras” arrumariam se isso tivesse acontecido… Iria pra Austrália com menos pressão e o resultado lá poderia ter sido outro.

    • Segafredo disse:

      Não deu meia volta porque não era permitido voltar no fluxo contrário!! Senna fez o correto e previsto no regulamento….só que arrumaram um jeito de interpretá-lo da maneira que fosse conveniente à Prost, França e Balestre! Capicce??

      MELHOR ÉPOCA DISPARADA DA F1……..MELHORES PILOTOS DISPARADOS DE TODOS OS TEMPOS…..só isso!!

  35. Bruno Mantovanelli disse:

    Prost pilotou como nunca nessa prova, Senna idem.
    Foi um jogo de xadrez pro brasileiro decidir quando dar o bote. Alain era perfeito, mas deu uma pequena brecha na chincane e Ayrton deu o bote no momento certo. Pena o francês não se conformar com aquilo e jogar o carro em cima do brasileiro.
    Pra mim foi a maior vitória do Senna, pq ele ganhou essa corrida!

  36. Renato de Mello Machado disse:

    Saudade, só dos carros difíceis de pilotar.

  37. Marcos Gomes disse:

    Que os carros dessa época e épocas anteriores eram mais difíceis de guiar isso é fato. Compare o estado físico dos pilotos dessa época com os “pilotos” de hoje ao final de uma prova completa. Os caras hoje acabam uma corrida todos saltitantes, sobem em cima do carro, pulam nos braços da galera, todos cheios de energia, sem nem uma gota de suor escorrendo. Nem banho precisam. É só retocar o rimel e o batom e ir pra festa.

  38. moisesimoes disse:

    - Não tinha dúvidas do grande talento que Senna era, ainda na Lotus. Era (e é) difícil comparar com os grandes da época como Prost, Mansell e Piquet, apesar de que começou correndo ao lado de feras como Lauda, Rosberg e Eddie Cheever. Mas somente depois dessa corrida, que eu percebi que, o que diferenciava dos demais era sua obcessão, seu exagero convicto de que mesmo ganhando, não era o suficiente. Era uma doença, uma mistura de rebeldia e orgulho combinados numa fome incontrolável.

    - Ele já tinha guiado como um louco em Suzuka 88. Mas naquele momento, eu percebi que ele era mesmo capaz de passar dos limites pra poder vencer a qualquer custo. Meu tio tinha visto isso em Gilles Villeneuve. Na minha visão, um dom, não um defeito. Piquet mesmo disse que “se dedicava ao ponto do automobilismo ser muito mais importante pra ele (Senna) do que a própria vida dele”.

    É complicado eleger alguma coisa – desculpa, o post não é sobre eleição – pois é fácil ver alguém correr e dizer quem é o melhor, e esquecer os pilotos geniais no passado de uma F1 muito mais perigosa.
    Sem medo de rótulos, pois é necessário separar o Senna piloto, do Senna ídolo da Globo e sem preocupações com fans de a,b e c, e ainda poderando os mais de 50 anos de fórmula 1, e ainda (ufa) considerando os carros de homens, aos eletrônicos de madame, o cara deve estar entre os três melhores de todos os tempos. Eu lamento, é injusto que no pódio da F1 só caiba três. Ou que seja escolher os três que morreram em” serviço” ou os três que ainda sobreviveram a toda essa loucura. Abr

  39. marcio sousa disse:

    UAU! Pensei que não conseguiria, mas assisti por completo! Era como se o vídeo me hipnotizasse! Incrível!!! O desespero do Senna atrás de um piloto que aparentemente não errava! O carro do Prost crescendo e diminuindo na frente do Senna (surreal!)A batida! O carro do Senna voltando à pista: a olhada rápida que ele deu para o lado antes de reingressar… A parada nos boxes: os mecânicos se afastando para que ele voltasse a corrida! Boxes sem limite de velocidade! A sensação incrível de chegar em primeiro! Ele meio desorientado no final sem saber para que lado ficava o pódio… Emocionante: o melhor vídeo de Formula 1 que já vi!

  40. Leandro disse:

    Com certeza, essa foi a corrida mais tensa que eu já vi em toda a minha vida. Uma caçada implacável e com os dois no mais absoluto limite.
    Tudo isso acompanhado do ronco maravilhoso do V10 da Honda, no primeiro ano da volta dos aspirados à F1.
    Alguns comentários sobre esse vídeo:
    - É curioso como os dois tinham estilos diferentes de pilotagem. Senna retardava mais a freada, usando mais o freio-motor, e Prost tinha um estilo diferente, freando antes e proporcionando uma saída mais rápida das curvas;
    - Na curva 1, porém, Prost vinha em 6. marcha e reduzia direto para 3., enquanto Senna contornava a 1. perna em 4. e jogava a 3. ao entrar na segunda perna.
    - Prost tinha um ritmo alucinante nas primeiras 10 voltas e, mesmo assim, tinha uma pilotagem mais suave e tranquila, parecendo ser bem mais lento que Senna, o que era só impressão. Quanto mais corridas antigas vejo dele, mais me impressiono com a capacidade que ele tinha…
    - A vida era dura com câmbio manual. Senna errou a marcha pelo menos umas quatro vezes;
    - Impressionante como De Cesaris, Cheever e Nakajima não davam mole pra ninguém e faziam questão de atrapalhar os ponteiros…
    - A McLaren, nesta prova, estava absurdamente rápida, impressiona a velocidade que os dois chegavam nos retardatários. Era uma hegemonia muito maior que a da Mercedes hoje;
    - É possível ver claramente, através da câmera de Senna, que Prost acertou a sua asa dianteira antes mesmo de Senna começar a fazer a curva.
    - Fico pensando até hoje… porque Senna não deu um cavalo de pau e retornou pela chicane… mesmo que não lhe desse o título de 1989, em função do que aconteceu na Austrália, seria uma das três vitórias mais fantásticas dele na carreira.
    Corrida fantástica e ótima postagem, lembrou minha infância!

    • Carlos disse:

      Bem lembrado, Leandro.
      As viúvas do Senna lembram dessa corrida como se fosse a razão de suas vidas, porém, o que viria a acontecer na corrida seguinte, na Austrália, não daria o título a ele.
      No entanto, foi uma bela disputa. Sacanagem ainda maior, faria Senna com Prost na Ferrari, naquele mesmo circuito.

    • Marcelo disse:

      Muito boas as suas observações, Leandro. Um ponto em que parece que o acerto do carro do Senna não estava o ideal é na saída da chicane. Em todas as voltas é possível ver o Prost abrindo muito do Senna nesse trecho. A impressão é de que o Senna mudava de marcha antes da hora ali, o motor não enchia o suficiente. E no início da volta em que ele ultrapassaria o Nannini, ele muda de estratégia e acelera mais nesse ponto, porém o carro patina, perdendo até um pouco de tempo.

  41. Sensacional, simplesmente.

    O que Senna e Prost tocavam era impressionante: estilos muito diferentes, mas muito eficazes.

  42. Cristian Dorneles disse:

    Esses dois eram sobre-humanos.

  43. Macario disse:

    Não sou nem nunca fui ‘viúva’ do Senna. Por isso me sinto muito à vontade para discordar de que a decisão foi contestada “pelos fãs do piloto”. Aliás, tirando o Prost e o Balestre, nunca vi ninguém defender que a vitória tinha que ser do Nannini.

    Ele fez algumas provas incríveis. As pessoas se lembram de Donnington Park e outras, mas pra mim essa é a mais espetacular de todas. Uma performance verdadeiramente impressionante. E até hoje eu acho que ele passou o Nannini na mesma chicane porque já imaginava que o Prost ia dizer que ali não dava para passar.

    • albero disse:

      Você pode não ser uma “viúva ” mas que é um tremendo de um “Vira Latas ,isto você é ! A Itália não tem um piloto para ser campeão a muito tempo ,e não existe nada de espetacular em termos de piloto na Botta , hoje em dia .
      Talvez por idiotas como você ,o Brasil também ,nunca mais venha a ter um piloto acima da média ,seria um castigo merecido para país onde idiotas obscurecem seus verdadeiros ídolos do esporte para se rastejar como um colonizado servil a seus senhores estrangeiros .

    • Martinho Franco disse:

      Parece que o texto quer dizer é que a desclassificação do Senna foi contestada pelos fãs.

  44. Aluisio disse:

    Sensacional. Ótima dica mesmo. Bela aula de pilotagem pura. E como eram “nervosos” os carros daquela época.

  45. Mickey disse:

    Era incrível essa época em que a perseguição acontecia volta por volta, tirando 0,2 ou 0,1 por volta… Mesmo que houvesse uma equipe dominante, a disputa era real, sem DRS e pneus-farofa.

    O som do carro dando a partida depois da batida é animal. Como falaram em um Top Gear, “os carros dos anos 80 eram como animais selvagens”. Depois o Senna ainda levou o carro com a asa quebrada, que se despedaçou no caminho – não lembrada dessa.

    Eram outros tempos mesmo. Carros já fora da corrida simplesmente encostados ao lado da pista, mecânicos de manga curta, câmera onboard que perde o sinal quando passa por uma “ponte”, o piloto saindo à toda no pit lane…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>