MENU

sexta-feira, 9 de setembro de 2016 - 19:52F-1

ONE QUESTION

SÃO PAULO (respondam) – Tamas Rohonyi, promotor do GP do Brasil, disse que a aposentadoria de Felipe Massa não vai mudar nada no automobilismo brasileiro, nem afetará o público que vai ver a corrida de Interlagos.

A pergunta: vocês concordam?

82 comentários

  1. Anderson Viana disse:

    Flavio, o que você acha da proposta do candidato João Dória do PSDB sobre a privatização do autódromo de Interlagos em São Paulo. Quais seriam os prós e contras, para o automobilismo nacional em geral e para a F1? Grato.

  2. Marcos Lima disse:

    Não vai mudar nada mesmo, escrevam aí, fórmula 1 no Brasil a última…2017.

  3. Paulo Pinto disse:

    Está explicado! O golpista vai mexer na Previdência e o Felipe não quer esperar pra ver.

  4. John Player disse:

    Aposto que nem 10% dos brasileiros que vão á Interlagos para assistir uma corrida de F1, vão por causa de Felipe Massa.
    10%, se muito.
    A mesma coisa para a tv.

  5. Mario Gasparotto disse:

    A curto prazo pode ser que não, mas se o Brasil não tiver piloto na F-1, não dou três anos pra categoria morrer aqui.

  6. João disse:

    Do automobilismo brasileiro, não sei. Mas duvido que diminua público nas corridas em Interlagos. F1 é caro pra caramba, acho pouco provável que “modinhas” frequentem corridas. Teria impacto se o Massa disputasse títulos constantemente ou, pelo menos, ganhasse mais corridas.

  7. labri disse:

    O Tamas é um cara legal, mas as opiniões públicas dele são absolutamente corporativas. Então o que ele está dizendo é:

    “Estamos trabalhando para que o público brasileiro desencane do Felipe Massa e venha (ou veja a F1) por outros motivos. Enquanto sair caldo dessa cana, a gente vai passando no espremedor.”

  8. Daniel disse:

    Claro que fará diferença, apesar de todas as críticas que os brasileiros baixa auto-estima fazem aos pilotos brasileiros.

    O fracasso do automobilismo não é culpa só da CBA, e sim dos torcedores que são muito cruéis com seus pilotos, nenhuma empresa quer associar seu nome à um piloto “medíocre” ou “zero a esquerda”.

    As críticas que fazem são muito cruéis, fazem bullying com o Barrichello (vice-campeão) até hoje xingando sem piedade porque ele não foi mais talentoso do que o Schumacher (nenhum piloto foi mais talentoso do que o Schumacher).

    Brasileiro não gosta de esporte, brasileiro gosta ver o Brasil ganhando, eles preferem assistir aquelas porcarias tipo Mundialito de Futebol de Areia, que nem associação internacional existe, do que assistir um esporte de alto nivel da qual não exista um brasileiro, ou não tenha chance de vitória.

    Vi uma entrevista com alguns torcedores espanhóis logo após uma derrota para EUA na Rio 2016, e eles disseram: Não importa se perdemos, nossos jogadores são os melhores do mundo!!! Na Finlândia os queijos mais caros são os Finlandeses, simplesmente porque são Finlandeses, porque de verdade não são, mas eles o acham assim….

    Tem uns idiotas aqui que falam que o Massa se vendeu porque aceitou ordem de equipe, na situação o Alonso estava disputando campeonato e o Massa não, campeonato esse que vale milhões para equipe, deveria ele desobedecer a equipe prejudicando os outros 700 funcionarios da empresa em benefício próprio?

    A Hortência disse que o Vice Campeão Barrichello tinha estrela na bunda, sendo que ela mesma só ganhou uma competição internacional, Pan Americano da qual o EUA não participou.

    É muito provável que teremos nas nossas manhãs de domingo a partir de agora só Mundialitos de Futebol de Areia com direito a Brasil sil sil sil a cada gol!!!

  9. THIAGO MUNIZ disse:

    O comentário dele não tem relevância, o problema é que o automobilismo brasileiro está FALIDO !!!!

  10. Amaral disse:

    Se Felipe fosse de qualquer outro país do mundo, que não fosse Alemanha ou Inglaterra (porque esses estão também mal-acostumados com seus supercampeões Schumacher, Vettel e Hamilton), seria reverenciado pelo resto da vida pelo que fez como piloto. Não foi campeão do mundo, mas ganhou provas, fez poles, correu em grandes equipes, sobreviveu ao rolo compressor que mói promessas impiedosamente.
    Mas aqui é Braseeeel. E, infelizmente, a saída dele vai, sim, causar uma queda – mais uma – de interesse, principalmente quando vejo coisas como “mercenário”, “já vai tarde”, “massacarado”, e por aí vai, saídas dos teclados e vozes alheias. Vão dar valor a quem ficou ou a quem por acaso venha no futuro? Terão paciência para torcer por uma reconstrução do Brasil no automobilismo, se não têm paciência nem com a própria vida? Assistirão uma F-1 que não tenha um brasileiro alinhado no grid? Duvido. Duvideodó.
    Braseeeleiro só dá valor a quem foi ou é campeão. Por isso que dá valor a Senna e Piquet, e esculacha Barrichello e Massa. E tem complexo de vira-lata, pq acha que o nosso não presta, só o que vem de fora que é bom.
    Infelizmente quem quiser ver F-1 no futuro corre grande risco de ter que buscar streaming de internet. E ter que aprender inglês pra poder entender a transmissão. E ter que viajar se quiser acompanhar ao vivo.

  11. Ricardo disse:

    Sim e não. Acho que o GP corre cada vez mais riscos.

    A pista (depois de ser assassinada) não é tão espetacular assim. Se até os templos sagrados de SPA e Monza correm riscos o que podemos dizer sobre o GP do Brasil?

    Publico não faltará, pelo que pude entender existem patrocinadores (como a Rolex) que devem ter fechado acordos de publicidade globais, o que garantiria grana para os organizadores.

    Acho que a coisa vai pegar para o GP o dia em que a Globo tirar a F-1 do canal aberto. Será o ponto de partida para os organizadores do evento passarem a questionar o mesmo em Terras Brasilis.

  12. Mello disse:

    Discordo. Como sempre digo: existem os adeptos do automobilismo e existem os torcedores canarinhos (viúvas do Senna). Estes irão sumir dos autódromos e não farão falta. Ficarão os adeptos, mas importa saber se o seu contingente sustenta a prova. Espero que sim porque Interlagos sem a F1 sumirá do mapa.
    E a Globo deve tirar a F1 da grade do ano que vem.

  13. Carlos Pimenta disse:

    Claro que muda, como não. Acho que assim como o atual governo, cuja processo de entrega (privatizações) é questão de dias, a F1 na TV aberta está com dias contados. A ausência de Felipe Massa trará um impacto a médio prazo, significativo. Automobilismo no Brasil está ladeira abaixo, aqui em Brasília, destruíram o autódromo, com pretexto de promover a F Indy, piada. Felipe é um bom piloto, inegável, dizer que não, é desconhecer o automobilismo como um todo. Vai fazer falta. O que admiro nele foi o fato de não cair na cilada da vênus platinada, em torna-la um paladino do eusoubrasileirocommuitoorgulhocommuito amor. Nunca permitiu esta maquiavélica forma de manipular a massa. Enfim, deixa uma história bacana, de superação, de ter sido indiretamente atingido pelo maior escândalo publico da F1.

  14. Helton Fernandes disse:

    Acho que o público da Fórmula 1 vai pela corrida e não pela participação de brasileiros, É claro que se tiver algum brasileiro com real chance de vitória, a corrida fica muito mais legal.
    O Massa é um baita piloto, mas nunca arrebanhou uma legião de fãs brasileiros a lugar algum. Aliás, desde o Senna, nenhum piloto fez com que o grande público levasse a F1 a sério no Brasil, e não estou falando só das viúvas do Senna.
    Não sei se o Massa vai parar ou não de pilotar, mas que seria uma boa para o automobilísmo no brasil se ele começasse a se meter com as federações ou com categorias de base. MAssa tb seria um nome muito forte para GPDA. Acho que ele só fica parado se quiser.

  15. Roberto disse:

    A quantidade de comentários aqui já responde a sua pergunta….

  16. Antonio disse:

    Concordo com o Tamas. Acho que público de autódromo é aquele que gosta de automobilismo. Toma chuva e sol, paga caro pelo ingresso, mas é movido pela paixão, independente de qual seja a categoria.
    Todavia, acredito que os automobilistas de sofá, aqueles que apenas gostam de assistir boas corridas e, PRINCIPALMENTE, torcer por brasileiros, devem diminuir drasticamente a audiência da TV e vejo em pouco tempo a RGT caindo fora, se não totalmente, de uma grande parte da temporada (sobrariam o GP Brasil e as corridas nobres, como Mônaco, etc.), que passaria a ser quase uma exclusividade do SporTV.

  17. Acarloz disse:

    Eu concordo, faz tempo que não temos piloto competitivo pra torcer, além do mais tem tempo que o público anda fraquinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>