MENU

segunda-feira, 5 de setembro de 2016 - 20:53Stock Car

REVOLUÇÃO NA STOCK

cacaprocesso

SÃO PAULO (tremeu tudo) –  A Red Bull está deixando a Stock Car. Desde 2007 na categoria, a marca papou dois títulos de equipes, três de pilotos, ganhou 27 corridas e fez 27 poles. É um cartel e tanto.

Ao final de sua décima temporada nas pistas brasileiras, em parceria com o time de Andreas Mattheis, veio a ordem da Áustria. Acabou a farra. E quando se trata de patrocínio, absolutamente tudo na Red Bull é decidido na matriz, na Europa. Os três pilotos apoiados pelo energético, no entanto, seguem com parcerias pessoais: Cacá Bueno, Daniel Serra e Felipe Fraga.

O terremoto na Stock terá efeito em cascata, com intensa mudança de cadeiras. O GRANDE PREMIUM apurou que Cacá está de malas prontas para a Cimed, equipe de seu pupilo Fraga — líder do campeonato — e de Marcos Gomes — que, provavelmente, deixará o time. Mattheis, por sua vez, já amarrou um contrato de patrocínio com o laboratório Prati-Donaduzzi que garante boa parte do orçamento necessário para 2017. Entre os possíveis pilotos está Antonio Pizzonia. Serrinha talvez siga na equipe.

A saída da Red Bull não é uma boa notícia nem para a Stock, nem para o automobilismo brasileiro. Suas cores se estabeleceram com competência e resultados na última década. E as latinhas, obviamente, emprestavam prestígio ao campeonato. Afinal, é marca globalizada com fortíssimo vínculo com o esporte a motor. Além do mais, o Brasil oscila entre o segundo e o terceiro lugares no consumo de bebidas energéticas no mundo, revezando-se com a China — os EUA lideram esse ranking.

Os motivos da saída não foram informados. Os textos oficiais foram compreensivelmente laudatórios ao período na Stock, mas não houve alegação formal nenhuma — crise econômica, queda de audiência, desinteresse crescente pelo automobilismo. Tudo que se pode fazer, nessa hora, são ilações — e elas recaem sobre crise, queda, desinteresse…

Enfim, motivos à parte, é uma pena. Patrocinadores fortes fazem bem a qualquer esporte. Quando eles se mandam, a pancada é sentida.

15 comentários

  1. Agora o Cacá e o Daniel Serra vão ter que arranjar dois carrinhos de rolimã pra correr.

  2. Alexandre disse:

    Quero ver a saída que a Globo vai arranjar pra não falar CIMED.

    Pra quem tem uma mínima noção de vôlei, o time da Cimed, aqui de Florianópolis, foi durante um bom tempo o melhor time do Brasil (chegou às 5 finais da Superliga entre 2006 e 2010, perdendo apenas em 2007), revelando nomes que estão hoje na seleção que venceu o ouro, como Bruninho e Lucão. Mas, depois de tanto tempo no auge, o clube era referido apenas como “o Florianópolis”. Assim, a empresa saiu subitamente, deixando a cidade órfã do time de voleibol.

    Caso similar aqui em Santa Catarina ocorreu com a Malwee, no futsal, equipe que “abrigou” o craque Falcão e foi a maior campeã tanto da Superliga (4 títulos) quanto da Taça Brasil de Futsal (6 títulos consecutivos), mas que era referida pelas organizações Globo apenas como “o Jaraguá”. Cansaram e caíram fora mesmo no auge…

  3. Rogerio de Carvalho disse:

    Esses comentários sobre a Globo são pertinentes, fazem sentido…

    Uma outra pergunta que faço é por que tanto laboratório de remédio patrocinando a stockcar??? Quem, que não seja do meio farmaceutico, sabe o que é Cimed? Prati-Donaduzzi???
    Que tem alguns “donos” de laboratórios que correm de porsche e tal a gente sabe, mas daí o cara patrocinar (colocar dinheiro forte) é meio estranho.

    • Joao Marcos disse:

      Os laboratórios utilizam a Stock Car para ações de relacionamento com os médicos… como existem muitos hoje, fica dificil ficar fora… o segmento cresceu muito na Stock, passando inclusive as empresas de petróleo

  4. Diego disse:

    A pizza no caso dos comissários, a globo não falando o nome correto da equipe… tudo isso deve ter enchido o saco dos caras da Áustria.

  5. sandro disse:

    Uma das grandes culpadas da saída da Red Bull é a detentora dos direitos de imagem, a grande e poderosa organizações Globo, onde, desde o Sportv até a rede Globo não falam o nome da equipe como se deve e apenas dizem RBR. A Red Bull está no esporte para levar sua marca aos consumidores e a empresa detentora dos direitos não a chama pelo nome. Quem sabe isso não serve para aprenderem, terão uma grande equipe a menos no grid e com isso fãs a menos no frente da tela de TV.

  6. renato disse:

    Prezado Flavio Gomes, acompanho sempre o site e tambem o Fox Nitro.Creio que uma coisa muito importante que não se comenta é a Estupidez da Globo de impor aos seus narradores ou sei lá se é atitude própria dos mesmos em pronunciar ao invés de Red Bull, simplesmente RBR.
    Faz sentido isso?Alguém chega no mercadinho ou loja de conveniência e pede uma latinha de RBR?
    Vejo as transmissões da Nascar pela Fox e os caras se deixar falam até o nome da marca das cuecas dos pilotos.
    Ter retorno de patrocinio é isso!Expor sua marca e ter o nome dela divulgado.A Globo tem um produto mais não dedica a ele o que deveria.Veja o exemplo do Campeonato Paulista de Futebol.Oficialmente a Chevrolet patrocina porém já ouviu alguém na Globo anunciar que esta se iniciando mais uma transmissão com menção ao nome do Patrocinador?

  7. Cristiano disse:

    Motivos não faltam, e ter piloto deliberadamente prejudicado também não ajuda… pouca audiência, turma da empadinha no autódromo… “Didi” deve ter cansado de gastar seus euros.

  8. Renato de Mello Machado disse:

    Uma pena,pois o visual do carro era ótimo.

  9. Alexandre disse:

    Para mim é simples, junte uma crise mundial financeira e a falta de seriedade e profissionalismo da divulgação por parte dos promotores, da mídia que nem transmite direito a muito tempo, e a falta de transparência da CBA, e algumas equipes também, que segundo investigações estão não só fazendo corridas, mas servindo de lavanderia de dinheiro, empresas grandes e sérias estão preocupadas com sua imagem ligado a tudo isso, tem coisa bem melhor a se investir pelo mundo.

  10. Araujo disse:

    Acho que a grana que a Red Bull gasta com a Stock deverá ser investida no time de futebol, talvez.

  11. Luis disse:

    Quando a Globo exibia a corrida, até fazia sentido. Agora, nem isso.

  12. Wender Higinotsumi disse:

    Ah eu também retiraria o patrocínio da equipe. Pensem bem, o principal meio de divulgação da Stock Car está ligado as transmissões, essas gerenciadas pela Globo e consequentemente Sportv. E como política da empresa, nunca o nome da Redbull é falado durante as transmissões ou citados nos sites e outros veículos pertencentes a Globo. Sempre tratam a equipe como RBR, assim como na F1.
    O patrocínio esportivo serve em sua grande maioria para o marketing da marca. E quando há tantas censuras como hoje, a empresa acaba perdendo esse meio de divulgação.
    Portanto junte a isso os escândalos que estão por eclodir no automobilismo brasileiro, tais fatores devem ter pesado e muito antes de uma tomada de decisão por parte dos austríacos.

  13. Felipe de Almeida disse:

    Flavio, isso não está diretamente ligado a pizza da investigação do caso dos comissários?

  14. Acho que a Red Bull está tirando o pé do acelerador no automobilismo brasileiro. Em um nível bem mais baixo, até o Red Bull Kart Fight ainda não foi anunciado para este ano, pelo visto não vai acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>