MENU

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017 - 17:56F-1

CERTO ELE

riquinhoricoSÃO PAULO (mas que é muito pra um só, é) – Lance Stroll tem 18 anos, estreia nesta temporada pela Williams e é daqueles que a gente não sabe direito no que vai dar, apesar do bom currículo. Só chegou à F-1 porque o pai é um bilionário e está bancando a brincadeira.

Mas, pelo menos, estão fazendo a coisa certa. Já que tem muita grana, que use direito. E assim é. O cara comprou um carro da Williams de 2014, que foi reconfigurado mais ou menos como o de 2016, e está andando até cansar. Agora, na Malásia. O primeiro piloto, em 2017, a treinar com um carro de F-1.

“Ah, mas não pode testar!”, gritarão, com razão, os defensores da lei e da ordem. De fato, mas se for um treino particular de um cidadão que tem um carro de Fórmula 1 na garagem, ninguém pode proibir. O modelo não pode ser o do ano em questão, a equipe não pode estar formalmente envolvida — isso configuraria um teste privado. Mas se o sujeito compra um carro, contrata mecânicos e engenheiros, problema dele.

Assim, Stroll está se preparando bem para seu primeiro ano na categoria. É um menino que tem dinheiro ilimitado. Sorte dele.

19 comentários

  1. João Sérgio disse:

    Estilo Paulo Nobre de fazer as coisas

  2. Paulo F. disse:

    Sempre existiu gente com grana na F1.
    Só para citar 3

    Peter Revson (bom piloto) : herdeiro da Revlon (indústria de cosméticos)
    Slim Borgudd (baterista do Abba!)
    Rikky von Opel ( familia Opel, do braço alemão da GM)

  3. Rafael Chinini disse:

    é ridículo demais não poder testar. não faz sentido nenhum.
    logo dão um jeito e todos começam fazer o mesmo. faz o seguinte, quem não tem grana pra comprar um carro, a equipe “doa”. kkkkkkkkk

  4. Victor disse:

    Tem que ser muito inocente pra achar que a equipe não esta formalmente envolvida e que esse carro não tem nada para 2017 já. É patético o nível que a Williams chegou.

  5. Edson Luís de Paula disse:

    Troll? A Atma é ótima

  6. Jonny disse:

    é teste privado na maior concepção q a palavra, privado/particular, tenha. mas nao ta errado, quem nao se aprimora qdo tem chance perde a chance.

  7. Voulembrar disse:

    Riquinho!!! Saudade dos meus Gibis! Dinheiro jogado fora pra ter pouca vantagem…. agora é que o bicho vai pegar pra ele. Se fizer uma merda como fez na F3 já é suficiente.

  8. Renato de Mello Machado disse:

    Legal! Né? Só quê se fosse eu, eu iria para a Indy.

  9. Peixe disse:

    Olá Flavio!
    Acompanho seu blog desde 2005, e por isso sei que o que vou escrever aqui talvez não te agrade muito pois vou falar do blog de um cara que sei que você não se dá muito bem.

    Há um bom tempo atrás li este post no Blog do Ico:
    http://blogdoico.blogosfera.uol.com.br/2016/09/23/as-portas-da-f-1-lance-stroll-reinventa-o-conceito-de-piloto-pagante/

    Viu? Eu fazendo propaganda do blog dele, aqui.
    Por isso acho que você não vai gostar muito. Se quiser apagar o comentário, o blog é seu e não vou achar você besta por fazer isso.

    Confesso que não acompanhei nunca a carreira do Lance Stroll, mas quando li esse post nesse outro blog, e, principalmente, assisti os videos dos acidentes, fiquei preocupado com a ida desse piloto jovem (o que não é problema, Max Verstappen deu um ânimo magnífico pra F1) mas absurdamente rico e que, pelas imagens, parece achar que pode fazer o que quiser na pista pois “Papai paga”!

    Como disse, acompanho seu blog desde 2005, e se acompanho até hoje, é porque gosto das coisas que você posta, da maneira que escreve, e também, da sua opinião.

    Se não for pedir muito, gostaria que você postasse algo falando sobre a atitude desse piá (como falamos aqui) nas pistas, e se o comportamento dele nas pistas pode preocupar, ou se temos mesmo é que esperar e ver o que vai acontecer…

    Lembro que anos e anos atrás, em um post sobre a Classic Cup (talvez não se chamasse assim na época, acho que era a era do #96 ainda), em que um piloto jovem, com o pai cheio de grana, em um Passat, passou reto no S do Senna, e voltou para a pista de maneira absurdamente irresponsável! Os pilotos que vinham na pista se acidentaram para evitar acertar em cheio a porta do tal Passat (lembra disso?)

    Será que o Lance Stroll não pode acabar fazendo algumas cagadas meio perigosas demais, como já fez nas outras categorias, e alguém acabar se machucando feio?

    Gostaria de saber sua opinião sobre tudo isso.

    Abraço!

    • Flavio Gomes disse:

      Acho que não. O meio depura.

    • Amaral disse:

      Sucinto, mas certeiro.
      E é isso mesmo. Nem todo o dinheiro do universo fará ele ficar por muito tempo se fizer uma besteira atrás da outra. A F-1 não tolera barbeiros, murrinhas ou braços-duros. Quem tá la, seja qual for a nossa opinião, está lá por algum mérito, por menor que seja. Dinheiro hoje conta muito, bem mais que antes, mas (ainda) não é o único fator que conta.

    • valter disse:

      Quando o maior piloto de F1 de todos, o Schumacher no inicio de carreira na F1, acidentou-se e um reporter perguntou ao Briatore, chefe da Benetton, o que havia acontecido, Flávio respondeu: “CAGADA”.
      Cagadas perigosas ou não podem ser feitas pelo jovem Stroll sim, mas ele tem todo um staff a sua disposição para evitar que as faça.
      O também jovem Max Verstappen já passou pela inquisição e sobreviveu.

  10. Luiz Aguiat disse:

    A Fórmula 1 deveria ser algo com mais abertura como era nos anos 70. A venda de chassis diminuía muito os custos. A Williams começou assim, Tyrrel. Até a Ferrari que começou usando Alfa Romeo. Não sei por que quando se fala na venda de chassis as equipes se coçam tanto. Sempre foi um campeonato de Construtores. A McLaren teve que montar um time “B” para receber o Emerson e a Marlboro. A Equipe oficial era patrocinada pela Yardley ainda e a McLaren foi campeã naquele ano de construtores com o time da Texaco Malboro em uma época que só o melhor carro da montadora pontuava. A Lotus em 70 acho venceu os construtores pontuando por duas equipes: A oficial dela e a Walker.. É a maneira mais rápida de reduzir custos. Na Moto GP há campeonato de Construtores(como sempre foi a F1) e Equipes,..

  11. valter disse:

    Existem muitos meninos com dinheiro ilimitado. Será esse o único caminho para ingressar na F1, haja vista a despesa astronômica para se manter uma equipe??

    • Amaral disse:

      Não. Mais acima comentei que dinheiro ainda não é o único fator que conta. Ainda não.
      Sobrenome famoso e talento exalando pelas veias também pode facilitar as coisas. Vide o Verstappen filho, que, pra mim, é arrogante até dizer chega, não torço por ele, mas tem um puta talento (não tenho como não dizer isso, nem se eu quisesse), e a Ferrari agora dizer que tá de olho no filho do Schumacher. Meio mundo deve estar de olho no filho do Schumacher, só q a Ferrari botou pra fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>