MENU

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017 - 18:53Automobilismo brasileiro

ELEIÇÕES NA CBA

SÃO PAULO (zzz) – Amanhã será eleito o novo presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo. De um lado, o candidato da situação, apoiado pelo atual presidente Cleyton Pinteiro, de Pernambuco. Seu nome: Waldner “Dadai” Bernardo, 41 anos, do mesmo Estado. Muito prazer. Do outro, o candidato da oposição, Milton Sperafico, 58 anos, do Paraná. Muito prazer.

São 20 votos válidos: 19 de federações estaduais e um da ABPA, a Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo, capitaneada por Felipe Giaffone. A Federação Gaúcha tentou impugnar o voto da ABPA e perdeu na Justiça. Não sei bem em quem os gaúchos votam. Aparentemente, na oposição. Nem os pilotos da ABPA. Aparentemente, na situação. O que seria inexplicável. Mas pode ser o contrário. Não importa.

O colégio eleitoral no caso da CBA é ridículo. A maioria das federações não comanda atividade esportiva nenhuma, seja por falta de autódromos em seus Estados, seja por falta de pilotos. Algumas nem sede têm — no máximo, um logotipo e um número de telefone. O problema é que elas têm o mesmo peso na eleição que federações onde existe automobilismo de verdade — como São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Claro que é um formato medieval para se eleger um presidente, modelo que muitos esportes no Brasil ainda praticam. O ideal seria que todos os envolvidos numa modalidade pudessem votar — dirigentes, praticantes, técnicos, se bobear até torcedores. No caso do automobilismo, creio que pilotos, chefes de equipe, mecânicos, enfim, todos que vivem do ofício deveriam ter direito a voto — mediante, claro, algum tipo de cadastro ou filiação.

A eleição acontece na sede da CBA, no Rio. Estou torcendo por Sperafico, embora não o conheça, por razões óbvias: o automobilismo no Brasil está uma merda, e se a situação vender, acredito que vai continuar igual. Não há nada que credencie a atual gestão a permanecer no comando. Sperafico, teoricamente, conhece melhor o meio — é fruto dele, e não alguém que caiu de paraquedas.

Mas, sendo sincero, não me empolgo mais com nada no que diz respeito a dirigentes esportivos no Brasil. Espero, apenas, que o vencedor faça alguma coisa que preste. E parece que vai ganhar o tal de Dadai, mesmo.

12 comentários

  1. Pablo Habibe disse:

    Bom, para constar, Ceará, Paraíba e Pernambuco tem autódromos e categorias locais com monopostos, protótipos e outras categorias desenvolvidas localmente…

    Outros estados tem mais força no off road, como Maranhão, Piauí, Tocantins…

    No mais, feita a ressalva, a CBA é uma palhaçada sem tamanho…

  2. Zé Zanine disse:

    Essa eleição nos moldes da CBF é ridícula, o automobilismo no Brasil esta por um fio, agonizando.
    Não temos aqui disputa do Mundial de Rallye , o ParisDakar poderia ter etapas no território Brasileiro, Mundial de Motovelocidade.
    E essa confederação pouco faz pelo esporte motor, dependemos de iniciativas isoladas!
    Vergonhosa essa eleição.

  3. Lucas S,A, disse:

    Se você puder me responder uma pergunta, ficaria muito agradecido.

    A pergunta: Federações são necessárias? Em todos os esportes representados por federações no Brasil, elas só servem pra centralizar o roubo dos recursos investidos nestes esportes. Não haveria um modelo mais interessante pra por no lugar?

  4. charles disse:

    A família Sperafico, que eu sei, estão pelo menos há 40 anos envolvidos no automobilismo no Paraná, nos tempos áureos do autódromo de Cascavel.

  5. Clodoaldo lelli disse:

    CBA
    O que fazem?
    Quem são?
    Onde vivem?
    Como se reproduzem?
    Hoje no grande prêmio repórter!

  6. Alessandro Silva disse:

    Cara… Não aguento mais essa mesmice. 20 votos pra eleger um cara à um cargo importante desses? …pra ele não fazer nada! …menos que nada!!! Fazer merdas memoráveis como tem feito este Sr. Cleyton Pinteiro com seu largo sorriso amarelo! Pra acabar com o automobilismo brasileiro…
    Sugestão pra acabar com esta merda de sempre: Retira a remuneração destes cargos! Só os realmente interessados e apaixonados iriam se candidatar. E sem desvios a verba chegaria onde precisa.

  7. Marcus Simões disse:

    Meu oráculo diz que, se a situação ganhar, fica como está. Se nem você conhece o da oposição, então tá difícil. Pelo sobrenome e por ser oposição ao que está aí, talvez seja uma aposta!

  8. Wanderson Marçal disse:

    Eu sei que o que vou fazer é pouco indicado e vão aparecer vários comentaristas — nem todos com a melhor das intenções — a retrucar e que vai além da questão em si, então desde já peço desculpas, mas é impossível não o dizer diante desse ótimo post: o pessoal que batia panela e enchia a boca pra dizer que só com o PT o país explodiu em corrupção conhece algo das outras esferas — e por isso não tem um PT, uma esquerda — que seja exemplo de lisura no Brasil? A CBA e a CBF estão aí pra quem quiser ver. O nosso futebol ainda não acabou porque aqui se produz grandes jogadores em quantidade e variedade. Mas o mesmo não se pode dizer do automobilismo: em três anos estaremos muito provavelmente sem pilotos brasileiros na F1, na Indy, na Nascar ou na MotoGP. E se algum chegar lá, não será por causa da CBA.

    E aí é que tá: quem atribui corrupção à uma agremiação política ou desconhece muito o país que vive, de uma forma quase patológica ou é canalha. Não é possível você olhar pra CBA, CBF e outras tantas organizações — a nossa grande mídia — e achar que só de 2003 pra cá a corrupção começou a fazer parte do nosso meio ou que aumentou substancialmente. Isso é incrivelmente impreciso.

  9. Leonardo Ribeiro Martins disse:

    Flávio.
    Vi o debate dos dois no Globo.com. É um pior que o outro.
    O candidato ideal seria o Carlos Col, com o apoio de todos e uma equipe profissionalizada.
    Agora é rezar….
    Abc
    Leonardo

  10. leonardo Ribeiro martins disse:

    Flavio
    É um pior que o outro.
    A solução era o Carlos Col, com o apoio de todos e uma equipe profissionalizada.
    Agora é rezar…

    Abc
    Leonardo

  11. Anselmo Coyote disse:

    Os dois candidatos são da situação ou houve um erro material na redação.
    Mas o que importa mesmo é o que vai ser feito e se vai mesmo ser feita alguma coisa que mude os rumos do automobilismo no Brasil.
    Abs,

  12. Luciano disse:

    Não pode ter credibilidade, um local que tem “Pinteiro” e “dadai” . Vai Sperafico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>