MENU

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017 - 21:21F-1

MASSA, BOTTAS E O JORNALISMO

pzzle2017

SÃO PAULO (um pouco de preguiça) - Foi às 11h56 do dia 20 de dezembro do ano passado que o Grande Prêmio, em texto assinado por Victor Martins, informou aos seus leitores: no dia anterior, Felipe Massa assinara um novo contrato com a Williams, que teria validade se a Mercedes confirmasse a opção por Valtteri Bottas. A aposentadoria, portanto, estava suspensa.

Não usamos nenhum verbo no condicional, nem os clássicos “pode” e “deve”, que no jornalismo especulativo são o remédio para uma barrigada. “Barrigada”, na nossa profissão, é a informação errada, chutada, nunca confirmada. Uma vez, por exemplo, anos atrás, Nelson Piquet quis zoar com um vetusto jornalista e falou que ia comprar a Sauber para seu filho correr. O vetusto jornal do vetusto jornalista cravou a informação. Era apenas zoeira.

Acontece, devo dizer. A gente vive atrás de notícias, umas importantes, outras não, e o erro é sempre uma possibilidade. A pressa, às vezes, a qualidade da fonte, ou até mesmo interesses escusos levam a barrigadas.

Mas no Grande Prêmio — e esse padrão já tem uns bons anos –, quando a gente crava é porque tem certeza. Primeiro, porque não temos nenhuma necessidade de furar a concorrência — pelo simples fato de não haver concorrência. Depois, temos plena noção da relevância das notícias envolvendo o automobilismo. Algumas não valem a perda da credibilidade só para tentar antecipar algo de que não estamos seguros de que vai acontecer. “Precisamos dar antes!”, frase que ouvi a vida inteira em redações. No Grande Prêmio, nunca foi dita. A gente faz o que acha que deve fazer. Temos uma informação, uma pista? Vamos atrás. Apuramos, ouvimos, perguntamos aqui e ali, percebemos indícios, notamos tendências, temos fontes. Fazemos jornalismo.

No caso da suspensão da aposentadoria de Massa, a coisa foi até rápida. Tudo começou quando o “L’Équipe”, verdadeiro dono da primeira informação sobra a possibilidade, publicou uma nota sobre o assunto no dia 15 de dezembro. Fui atrás de Felipe. Relatei a conversa que tivemos aqui. A partir dessa informação do jornal francês, nossa equipe saiu a campo. No dia 17, num texto opinativo, intuí: vai voltar. Quatro dias depois da nota do “L’Équipe”, confirmamos a informação com uma fonte muito… especial. Voltei a falar com Felipe. Como foi uma conversa particular, não vou ficar aqui reproduzindo nada literalmente. Mas ele me disse mais ou menos algo como “cara, tô quietinho aqui, publiquem o que vocês acharem que devem”.

No dia 20, com todas as pontas amarradas, publicamos a matéria assinada pelo Victor. Não tínhamos dúvidas, não era uma aposta. Era um fato. Naquela noite, postei uma nota aqui, comentando o assunto. E toquei de leve na questão jornalística. Hoje, tudo foi confirmado oficialmente.

Há um pequeno, micro mesmo, universo nisso que chamamos de jornalismo automobilístico. Não são muitos veículos — sejam eles impressos, ou eletrônicos. Revistas, acabaram todas — se existe alguma ainda, os editores que perdoem minha ignorância. Os grandes jornais do país já não publicam nada de categoria nenhuma, nem Fórmula 1. É possível que alguma notinha saia nas edições de amanhã, só para constar. Não mandam mais repórteres para as corridas, esqueceram que o assunto existe. Na TV, o automobilismo ainda tem espaço em transmissões do Fox Sports, do SporTV e do BandSports. Mas o único programa dedicado exclusivamente ao assunto é o “Fox Nitro”, que eu apresento — se houver outro, peço de novo desculpas a quem faz. Muito pouco, para a importância do esporte.

E há os sites. Desde que o Grande Prêmio existe, 1996 — ainda com o nome Warm Up --, muitos nasceram e morreram no Brasil. Lembro do “Pit Stop”, do “Formulanews”, do saudoso e espetacular “Tazio” e de alguns outros esqueci o nome, porque não tinham nenhuma importância — eram páginas pessoais de pós-adolescentes que se achavam jornalistas; alguns acham até hoje.

Acabaram. O Grande Prêmio sobreviveu. Aí, vieram os blogs. Este aqui tem 11 anos. A maioria desapareceu, por falta de saco do dono. Mas tem um ou outro ainda em atividade. Um deles — assinado por um rapaz que, ao que parece, faz produção de F-1 na Globo — fez bastante para desqualificar nossa informação no dia 20 de dezembro, inclusive. Usou suas redes sociais para tal. Até um repórter da emissora cagou na nossa cabeça — de novo nas redes sociais, onde todo mundo acha que pode tudo. Tem gente que espera anúncios oficiais. Tem gente que vai atrás da notícia.

A gente não precisa ficar respondendo a supostos colegas que procuram diminuir o que fazemos. No Grande Prêmio, inclusive, isso é proibido.

Mas, aqui, eu falo do que quiser. E como quiser. Sim, faço também o papel de ombudsman da imprensa. Quantas vezes malhei o ufanismo exagerado da Globo, inclusive atingindo pessoalmente amigos meus?

Bem, eles me conhecem, os amigos. E sabem como sou. Aos outros, que não são amigos, dedico pouco mais que o desprezo — não absoluto, afinal estou falando deles aqui. Confesso que me irrita ver o trabalho árduo da molecada do GP ser diminuído por puro despeito, falta de profissionalismo, inveja. Me irrita porque sei quanto eles trabalham, e porque é deprimente notar como tem gente babaca na profissão.

Enfim, sobre o lado jornalístico da notícia, era isso que queria dizer. Parabéns ao Victor e equipe, por exercerem com paixão e seriedade seu ofício. Devemos satisfações aos nossos leitores, só a eles, e tenho certeza que aqueles que nos leem estão satisfeitos hoje. Porque souberam bem antes aquilo que só foi revelado oficialmente nesta segunda-feira agitadíssima no mundinho das corridas.

Quanto aos fatos em si, Bottas na Mercedes, Massa na Williams e, de troco, Wehrlein na Sauber (também oficial hoje), acho que está tudo de bom tamanho.

Sempre acreditei que Felipe ainda tinha alguns anos pela frente. Voltar atrás da decisão de parar não é motivo para se envergonhar, constranger, o que for. Quando resolveu se aposentar, era aquilo que achava ser o melhor para sua vida e carreira. Depois disso aconteceram coisas, entre elas o anúncio de Rosberg de sua retirada das pistas. Isso mudou todo o cenário. E Massa voltou a ser personagem diretamente envolvido — pela experiência, pelo talento, pela necessidade da Williams, que perderia Bottas. “Eu não voltaria se não fosse a Williams”, disse.

“Ah, mas ele se despediu em Interlagos!” Sim, se despediu mesmo. E vai se despedir de novo quando parar. Qual o problema? Alguém realmente acha que ele fingiu aquelas lágrimas quando bateu no GP do Brasil? Ninguém tem nada com isso. As decisões que uma pessoa toma em sua vida dizem respeito a elas, e a ninguém mais — quando muito, a alguns amigos e familiares. Ninguém tem o direito de criticar Felipe porque voltou atrás. É ridículo, isso.

Bottas é bom piloto, tem gente que acha que vai dar um calor em Hamilton, mas não penso assim. Acho que o finlandês vai marcar muitos pontos e conseguir muitos pódios, mas não vejo nele alguém capaz de desafiar o inglês. Tomara que esteja errado. Aqui tem uma galeria de fotos com o primeiro dia dele na Mercedes.

Quanto a Wehrlein, que mostre, na Sauber, por que a Mercedes investiu tanto nele. Para isso, precisa andar na frente de Ericsson. Depois, o tempo se encarrega de colocá-lo em algum lugar melhor. Talvez até na Williams, quando Felipe parar de vez. O contrato do brasileiro é de apenas um ano.

Mas é impossível afirmar agora que será só este campeonato, e acabou. Ninguém sabe, nem ele. Ninguém é capaz de adivinhar o futuro. Mas somos capazes de relatar o que aconteceu no passado. Neste caso, Massa tomou a decisão de voltar no dia 19 de dezembro de 2016.

A gente sabia.

Por isso, a gente publicou.

91 comentários

  1. Bola da Vez disse:

    Mais um ano pangarejando pelas pistas do mundo. Ninguém merece.

  2. Seinfeld disse:

    Enquanto os jornalistas se estapeiam, arrancam os cabelos e quebram as unhas se matando entre si, o Massa faz todo mudo de tonto….
    E recebe aplausos desses tontos.
    Não tem santo nessa história. Cada um só está pensando na sua conveniência pessoal/profissional..
    Classe profissional desunida é isso ai.

  3. John Player disse:

    Tudo isso por causa de uma noticia envolvendo o Felipe Massa!!???
    Que coisa, mas que fato tão impactante!
    Que personagem tão relevante para a F1, para o automobilismo!
    Bom, já que não dá pra dar notícia sobre o Schumacher…Ou sobre Hamilton, Vettel, Alonso, Ricciardo, Max Verstappen, Kimi Raikkonen…faz de conta que o interesse pelo Massa vale tanta polêmica.
    Eu não acho que a imprensa e o esportista devem travar uma guerra, serem inimigos.
    Mas quando há um certo grau de amizade entre entrevistador/redator/jornalista e o piloto (ou qualquer que seja seu esporte), eu desconfio da isenção e da objetividade 100% da noticia/opinião.
    Jornalista/comentarista torcedor de determinado time, jornalista amigo de piloto ou de alguns jogadores de futebol/vôlei, etc…, fico sempre com o pé atrás.
    Na hora de emitir opinião, sempre vai “pensar duas vezes” para não ter qualquer tipo de prejuízo pessoal ou profissional “lá na frente”.
    Da mesma forma que tem “informações privilegiadas” por ter acesso facilitado ao piloto, pode também decidir deixar de publicar algo de interesse público apenas para não causar uma “indisposição” com um “amigo”.
    Essa desaposentadoria temporária do Massa não fede nem cheira nem para o automobilismo nacional.
    Muita briga por NADA.

  4. Claudio Fernandes disse:

    Do caralho, muito foda msm! Orgulho de ter vc como referência desde q tu tinhas comuna do Lance e eu trabalhava no Diário aqui no Rio. Por essas e muitas putras que esse blog é a coisaq eu mais gosto de ler na internet faz mto tempo. E parabéns à equipe do GP. Sobre o campeonato de 2017, acho q vai ser voo solo do Hamilton. Abçs e obrigado por permanecer motivado a vir aqui fazer teus posts. Só falta ter um programa no Youtube com o Trajano! Abçs.

  5. Adam disse:

    Sou leitor do site desde os tempos do Warmup.

    Desde os tempos em que o Sapateiro e Dick Vigarista eram expressões comuns…

    Bah… bateu até uma deprê.

  6. Rosdrigo Tossato disse:

    Por mera curiosidade fui atrás dos dois ditos cujos que vc falou, mesmo sem os nomes eu achei eles. Realmente deve ser duro para eles terem toda aquela estrutura para usar e verem você e sua equipe na frente, devem ter sido até cobrados por isso, se conheço bem a Globo eles devem ter tomado um pito. Mas é sob pressão que vc conhece as pessoas…não custa dar o credito a quem de direito…

  7. zempa disse:

    Agora que deram nome aos bois lá embaixo deu pra perceber o novel de mesquinharia dos comentários desses caras…

    Ninguém pode ser mais que a globo na concepção deles.

    Se o Galvão tivesse dado a notícia em primeira mão iriam dizer wue ele deveria assumir o cargo do Bernie Eclestone.

  8. Hendersonq disse:

    é por isso que sou fã desse tal de Flávio Gomes, cára sem papas nas linguas, muito critico, com um ótimo senso de humor e acima de tudo um excelente jornalista de caráter.

    Parabéns pela matéria.

  9. Wanderson Marçal disse:

    O L’Équipe viu a fumaça e o Grande Prêmio cravou. Nesse meio tempo a SkySports pescou algumas infos interessantes também — como a possível ida do Bottas pra Mercedes. Então o furo foi do GP e não custaria nada para essa “plêiade” global assumir, mas é a famosa empáfia da emissora (só é oficial quando sai lá, você sabe)… Enfim. Agora, sobre o repórter, o Corrouge, eu vou fazer uma defesa aqui: ele foi tonto em escrever aquilo no tuíter e em não ir atrás de outras fontes, mas ele acreditou no Massa. O Felipe falou ipsis litteris pra ele ao celular que não tinha assinado nada quando já tinha assinado. Ele pegou e acreditou cegamente no cara. Eu sei que vocês do GP têm uma relação amistosa com o Massa, ele foi solícito algumas vezes e tal, mas eu não gosto de alguns comportamentos do Massa e de sua família, arrogantes que são — como também deixei de gostar do Barrichello tempo atrás. Ele cansou de maltratar e humilhar a Mariana Becker (que, vá lá, faz algumas perguntas tontas, mas tá trabalhando, fazendo o seu, de forma digna e honesta) e expõe uma informação mentirosa quando poderia apenas ter se calado — sem contar outras coisas que a gente sabe. Mas é bem feito pra essa turba global que acha que porque dá tapinha no ombro já virou amiguinho.

    Ainda sobre o trabalho desse pessoal que cobre a F1 pela toda poderosa e in loco, vou ser bem sincero: acho bem ruim. Já falei uma vez pro Ico e ele ficou com raiva: o cara que vai cobrir 20 corridas, passa o ano todo junto com aquele pessoal e não consegue falar nada além de que “fulano é mais rápido que cicrano” e tentar discutir estratégia de pit-stop está fazendo algo mal feito… Como diria 0 grande José Arbex, jornalismo é essencialmente sobre cavar: se não parece haver nada e tudo dá a entender que não tem, o jornalista verdadeiro vai lá se sujar, pegar na terra, e provar que não tem mesmo — ou mostrar que todos estavam errados. Não é pra ficar olhando e dizendo “acho isso”, “acho aquilo”. Achar acho eu, que não sou jornalista. Nisso o Grande Prêmio deu uma lição aos empafiosos globais et caterva de como se faz a coisa.

  10. Ron disse:

    Parabéns à equipe. Mais uma vez!
    Os outros ainda acreditam que são os donos da verdade, os únicos na estória e que divulgar as informações só daquele jeito: o que vale é o que eu digo, mas só quando eu disser.
    Já nem lembro há quanto tempo venho aqui ler sobre F1 principalmente. Ainda bem que achei vocês em algum dia do passado, Internet afora. :)

  11. Vilmar Tadeu Cordova disse:

    Sinceramente, não sei há quanto tempo leio o blog, mas leio todo dia. Raramente comento, sou mais de ler/ouvir que escrever/falar. Mas lia sua coluna no jornal local daqui de Lages/SC, lá nos idos de 1991, talvez 1992. Tive internet em casa a partir de 2009, foi quando comecei a ler seu blog, e quando o descobri, fui lendo os post’s até achar o primeiro. Enfim, se você quiser saber o motivo pelo qual acompanho seu blog diariamente, é só ler este seu post novamente. E, por favor, não pare de escrever aqui, nem que seja só postar um vídeo de vez em quando e comentar uma notícia, talvez já seja suficiente para tornar a vida de alguém melhor. Abraços

  12. O Jornalismo geralmente acerta em cheio dentro de uma fonte segura, mas também uma vez ou outra paga mico como no caso do Reginaldo Leme colocando o Felipe Nasr na Force India que acabou não dando em nada.

  13. Paulo Moreira disse:

    Parabéns pelo trabalho e credibilidade deste blog e do grandepremio.com.br
    Ao descobrir ambos há uns 6 anos, visito com muita frequência e é minha fonte segura de informações em meu círculo de amizades.
    Continue assim, Flávio Gomes.
    Abraço.

  14. lucas disse:

    e o NARS? nem como piloto de testes em uma boa equipe ele consegue? PODERIA AJUDAR NA WILLIAMS a desenvolver o carro, vai que o Lance Stroll dá uma pancada e fica fora ele entra, ja pensou uma dupla Brasileira numa equipe Inglesa?

  15. Ivan Castilho disse:

    Uau! Nada como trabalhar direitinho e saber o que faz! Que sensação maravilhosa deve estar aí com vcs do GP! Vida longa ao Grande Prêmio!!!

  16. Paulo Travaglini disse:

    Eu acho que a “fonte muito… especial” é aquele vizinho do Ricciardo que dá pau nele no autorama.

  17. Leandro disse:

    Flávio, de quanto tempo é o contrato do Bottas, 1 ano? Corre o risco de ser um “tampão” enquanto o Alonso não chega?

  18. Bruno Wenson disse:

    E ainda ouvir apresentador e repórter de campo dizerem que Bottas “se apresentou para o posto” é de doer.
    E tem quem acredite que foi assim, tão fácil.

  19. Paulo disse:

    Eu até lia o Lívio, mas eu o achava chato pra caralho! Mas não conhecia o Flávio Gomes, até um dia o Lívio o criticar por algo bem bobo, daí eu fui procurar o Flávio Gomes e achei o blog, pronto, estou aqui até hoje, isso já tem uns bons 7 anos ou mais chego a entrar no blog duas até três vezes ao dia pra ver novidades. Abraços e parabéns ao GP!

  20. Nelson Barreiros Neto disse:

    E aí FG, tudo bem. Espero que sim. Cara, estou me mijando de dar risada porque acabei de ver o post acima quando me deparei com a palavra “vetusto”.
    Não tenho vergonha de dizer que não sabia o que era. Fui procurar então no pai Aurélio e achei o seguinte sobre o adjetivo dado ao antigo jornalista (que sabemos bem quem é):

    1 – Muito velho, antigo;
    2 – Deteriorado pelo tempo (essa é demais);
    3 – Respeitável pela sua ancianidade (ancianidade???).

    Vc é phoda.

  21. Mário_Fpolis disse:

    Por isso que deixei quase toda a internet e navego só em sítios muito selecionados, como o seu.
    Mas é bem coisa dos “humanos” da internet, não ter qualidade e querer foder com a qualidade dos outros.
    Teu blog é visita diária, imprescindível pra mim, e quem o frequenta sabe das notícias antes.
    Mas se jornalista é vaidoso e não gosta de ser furado, isso também ocorre em quase todas as profissões, só que o furado não caga regra pra tanta gente ler. A vantagem é que fica na internet pra depois rir, por que não.

  22. Ricardo Fulgoni disse:

    Flávio Gomes sambando na cara dazinimigas!

  23. Marcos F Bolincenha disse:

    FG,voc”e tem alguma informa;’ao sobre o Massa ter trabalhado no desenvolvimento do carro de 2017,ou sera que quando ele anunciou no Gp da It[alia que ia parar,ele ficou afastado do novo projeto,e s[o voltar[a a trabalhar nele agora

  24. Carlos Frederico disse:

    Se Hamilton e Rosberg fossem duelar ainda por muitos anos nada disso ia rolar. Valeu Rosberg!

  25. Carlos Pimenta disse:

    Caro Flávio,
    Noticia séria a gente corre atrás, porque você acha que estou a acompanhar você neste últimos onze anos?? A credibilidade e o respeito ao leitor, por isso, posso estar errado, mas este Blog e o GP, para mim são as fontes mais confiáveis de automobilismo hoje neste País. E desculpe esta, mas em 2005 eu havia falado com você, via blog, da possibilidade de você encaminhar uma camiseta de uma Equipe tipo Minardi, Tyrrel ou outra deste quilate, com todas as despesas pagas por mim, claro. Você disse que sim, quando voltasse da Europa. Já voltou ?? kkkkkk. Brincadeiras a parte. Feliz Ano Novo e vamos para mais um ano nesta sua empreitada. Valeu.

  26. SLArduin disse:

    Caro Flavio

    Tenho algumas diferenças políticas com você que não impedem de todos os dias acessar o site duas 2 ou 3 vezes ( fico p.to quando não tem atualizações ) mas temos que reconhecer que Flavio Gomes e sua equipe fazem a melhor cobertura automobilística existente.

    Gostaria que Flavio Gomes fosse mais Flavio Gomes no Fox Rádio Sport….. tem ao menos 1 babaca ……que pensa que é o dono da verdade !

    Abraços

  27. Rodrigo Feitoza disse:

    Ainda bem que temos o Grande Premio, um fonte séria, segura e um passa tempo esplendoroso.

  28. MAROLLA disse:

    Flávio, por você ser assim e escrever outrossim é que te seguimos e o lemos há anos.

  29. MARCELO DALBELLES disse:

    O pior é que o cara da globo em sua conta do twitter se recusa a dar o braço a torcer.
    dizendo que só foi assinado ontem e blablabla.
    E ainda foi questionado o pq de não dar créditos ao Grande Prêmio depois de tudo confirmado, ele deu créditos ao L´Equipe

  30. Alberto disse:

    Parabéns a todos! Principalmente a você, Flávio! Digo principalmente porque você é o líder e a referência desse grupo, fica fácil de perceber isso.
    Diz ai….. a fonte é sua(o próprio Felipe) e o Victor publicou pra deixar tudo em casa sem você aparecer tanto, não foi???
    Brincadeiras a parte acompanho o site diariamente e esta é a única fonte de informação nacional que confio quando o assunto é automobilismo.
    Voces são o único veículo de informação que falam a realidade dos pilotos brasileiros, seja falando mal ou falando bem
    Agora me pergunto porque seus pares fazem isso, o que leva um cara que se diz jornalista a ter atitudes assim afinal vocês estão, ou ao menos deveriam estar, no mesmo barco.
    Voces foram fodasticos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>