MENU

sábado, 7 de janeiro de 2017 - 12:06Automobilismo internacional, Gira mondo

NOVOS TEMPOS

SÃO PAULO (pensativo) – Fala aí, macacada.

Nestes últimos dez dias, tudo que vi foi sol, areia e mar.

Nesse meio tempo um fascista de merda invadiu uma casa em Campinas e matou 12 pessoas, incluindo a ex-mulher e o filho de 8 anos.

Não deu tempo de discutir direito o tema, porque logo depois, em Manaus, 56 presos morreram num presídio de gestão privatizada. Em seguida, mais 31 em Roraima. Um pouco mais longe, um atirador matou 39 numa boate em Istambul e um outro, 5 no aeroporto de Fort Lauderdale, nos EUA. Tudo isso fez com que se esquecesse rápido do ambulante assassinado a pontapés numa estação de metrô em São Paulo porque defendia travestis que estavam sendo agredidas por valentões paulistanos.

Dá para falar de automobilismo num mundo assim?

Bem, é o que temos. Para cada vez menos gente aqui, visto que o público migrou para outras redes sociais — é a segunda vez que toco no assunto, o que pode indicar uma tendência de, de uma hora para outra, dizer apenas: acabou, por falta de leitores.

O ano do esporte a motor começou com o Dakar, como sempre, e hoje tem… corrida virtual. Me tirem os tubos. A Fórmula E abre 2017 com uma prova em Las Vegas (argh) com os 20 pilotos das dez equipes e mais dez “gamers” (é esse o nome?) que vestirão macacão e farão uma corrida em simulador. Provavelmente uns gordinhos sedentários que passam o dia diante de um computador em vez de viver a vida. Olha só a cara do mané da equipe do Lucas di Grassi.

A premiação bate no milhão de dólares. Estão todos elogiando. Ah, que bacana, se aproximar dos jovens, dos videogames, dos computadores!

Eu acho tudo, sinceramente, uma merda.

Formula E CES Las Vegas

382 comentários

  1. Vitor disse:

    Seus comentarios são todos infelizes,
    Antes de criticar em local publico de forma tão agrecissa e preconseituosa deve pensar e refletir, se informar do assundo, reformular suas ideias e não agir de formar a ofender e agredir outras pessoas, sou piloto de Automobilismo virtual a muito tempo e me senti muito ofendido com suas palavras. Algo que você não conhece, não entende e não acompanha não deveria nem sequer sitar….

  2. Emanuel Barichello disse:

    Sr. Flavio Gomes, entendo seu ponto de vista pessoal e respeito, afinal cada um pensa o que quer. Porém como jornalista, no meio de comunicação que representa, deveria perceber melhor a respeito dos assuntos que aborda. Afinal queira ou não, sendo do jeito que for, o AV não vai deixar de existir só por que o Sr. não aprecia. Qualquer pessoa, especialmente um jornalista que deve “se informar” antes de “informar”, (se fizer isso, claro) vai no mínimo perceber que a disseminação dessa modalidade é inegável e inevitável hoje em dia e mais cedo ou mais tarde vai ter que abordá-la novamente. Espero que até lá esteja melhor informado. Forte abraço.

  3. Pedro disse:

    Flavio, nada contra suas palavra. Acredito que o AV, veio substituir a falta de oportunidade. Muitos dos que “brincam” não tem condições financeiras, sequer de manter o próprio carro. Porém amam o automobilismo e o mais próximo que o “piloto” chegará de tal categoria é pelo AV (Vídeo games, Pcs afins). Infelizmente as oportunidades não aparecem facilmente (já que é um esporte de alto investimento desde o inicio). Tenho certeza que muitos que correm no AV, gostariam sim de estar correndo de verdade em qualquer que seja a categoria.

    Abraço.

    • Flavio Gomes disse:

      Vocês acham realmente que eu tenho algo contra corrida de videogame? Meu amigo, nada, absolutamente nada. Cada um se diverte com o que quiser. O embate aqui se dá no campo das ideias. Os jogadores de videogame EXIGEM que eu diga que isso aí é do caralho, sensacional, igual a corrida de verdade, PRECISAM de reconhecimento. Eu simplesmente não acho do caralho, não ligo, ignoro. Por que tanta carência?

  4. JohnnyBuranelo disse:

    No mesmo post que vc fala de facismo, equivocadamente, pois facista é quem quer fazer prevalecer seus conceitos politicos e valores, usando o autoritarismo geralmente na figura de um ditador. E no mesmo post que fala de facismo fala de homofobia, você usa claramente de forma preconceituosa de expressões perjorativas com termos gordofobicos, discriminando e injuriabdo um grupo de indivíduos, inclusive injúria qualificada direta ao chefe da equipe de di grassi. Como operador do direito é Lamentável este comportamento.

    • Flavio Gomes disse:

      Perjorativo. Como operador do direito você deveria aprender a escrever.

      • Junior disse:

        Menos um a acompanhar o seus comentários, inclusive sobre automobilismo, já não concordava muito, mas, cada um tem um ponto de vista sobre tudo e algumas coisas achava interessante. Depois de toda essa baboseira do seu texto infeliz de quem deve estar frustrado e desconta em quem não merece passo a ser um que não lê nem vê nada que diga respeito a você. Lamentável…

      • Flavio Gomes disse:

        Frustrado com o quê, exatamente? Mas seja como for, adeus. Só não volta escondido.

  5. Anselmo Fortunato Forati Junior disse:

    Espero de leia meu comentário desarmado. Eu me senti ofendido pelo seu post. Você não me conhece, mas me agrediu. Não só a mim.

    O nível dos simuladores evoluiu muito. No Brasil e no mundo são organizados campeonatos variados. Os participantes de muitos desses campeonatos se dedicam não só nos treinos mas também nos estudos. Os softwares de telemetria, por exemplo, são os mesmos utilizados no chamado automobilismo real. Pilotos virtuais sabem acertar cambagem, pressão, molas, amortecedores, caster, diferencial, pressão de freio, distribuição de freio… Mais de uma centena de parâmetros que mudam em função do tempo, da pista, da estratégia, etc etc etc… Mais do que isso, sabem para que serve e o funcionasse de cada um desses itens bem como as consequências de cada ajuste.

    Pilotos virtuais sabem ainda a melhor tomada para economizar pneus e multas vezes passam suas corridas fazendo contas. Podem “sentir” a perda de aderência na vibração do volante sem a ajuda da força G… Não é fácil, viu?

    Possuem equipes, spotter, suas corridas são acompanhadas ao vivo por fãs de automobilismo, parentes e amigos. Não podem “dar esc”. Devem seguir regulamentos e assim como no real, conviver numa comunidade muito competitiva e cheia de panelinhas.

    No real você não arrisca porque você pode morrer. No virtual você não arrisca porque pode ser punido e acusado de má fé. Mais do que isso, você não quer prejudicar seu colega e vê sua corrida como parte de um todo. Para os bons pilotos virtuais, mais importante é o coletivo. Claro que existem exceções.

    O AV movimenta um mercado em expansão e muitas empresas patrocinam pilotos, ligas e equipes. Graças à tecnologia, um bump na pista real existe no mesmo lugar na pista virtual, com as mesmas características. Pilotos reais utilizam simuladores para treino e até mesmo para fazer um acerto inicial nos finais de semana. Equipes de F1 configuram seus projetos no simulador antes de construir o carro para ter ciência do que pode ser melhorado. Até a banda mais gasta de cada pneu “bate” com o real em função do acerto, pista, condições e agressividade.

    Óbvio que existe uma diferença enorme entre pilotar um carro e pilotar um simulador. Porém, não é essa a questão. Parece que você ainda não entendeu isso. Espero que seja por falta de conhecimento. Antes isso que puro preconceito.

    • Flavio Gomes disse:

      E quando dá vontade de fazer xixi, pode dar pause?

      • Gustavo Souto disse:

        Não, puro desconhecimento e desrepeito hem sr. Flávio. Não pode dar pause, as corridas são em tempo real.

      • Flavio Gomes disse:

        Ah, entendi. E quando a mãe chama pra tomar Toddy?

      • Leandro Werle disse:

        Na corrida real você pode dar pause?? Quero ver você sentar aqui e tentar andar, ta falando muito e não sabe é nada. AV é coisa séria, não se sai batendo em todo mundo como você pensa, tenta abrir um pouco essa mente fechada, antes de falar coisas que você não tem conhecimento. Quando o senhor conseguir entender, faz uma reportagem novamente, levando campeões do AV brasileiro ai no seu programa, como o Felipe Giro, e veja as transmissão, muitas vezes da mais emoções que o automobilismo real.

      • Flavio Gomes disse:

        Vocês ficam gritando, mas ninguém me responde: quando quer fazer xixi, ou a mamãe chama pra tomar Toddy, faz o quê? Todo mundo para e espera? Ou abandona e aparece na tela HDT (had to drink Toddy)?

    • Anselmo Fortunato Forati Junior disse:

      Não é possível Flávio. Em eventos on line esta opção (pause) não existe. Se o piloto virtual tiver que fazer qualquer coisa durante uma corrida ele deve abandoná-la, inclusive deixando o carro num local seguro.

      Respondida a sua pergunta, quero dizer que sinto muito por você. Deve ser horrível ter que conviver com uma pessoa assim 24 horas por dia. Talvez esteja tendo problemas em casa, não sei… Espero que tudo fique bem.

      Mas… Preciso dizer que mesmo os comentários respeitosos e pertinentes você está respondendo com agressividade / ataque / preconceito. Não acrescenta nada aos questionamentos propostos.

      Imagino que não vai seguir meu conselho, mas questione de vez em quando suas verdades absolutas. O mundo muda sempre… Quem está te dando este conselho é uma pessoa provavelmente mais velha do que você e que possivelmente acompanha o automobilismo a muito mais tempo. O automobilismo virtual não só um joguinho. Experimente! Mas faça do jeito certo e com as pessoas certas. Se você gosta mesmo de esportes a motor, vai adorar.

      Por fim, muitas pessoas que você conhece leram seu texto neste post e principalmente suas respostas. É isso o que você quer passar como profissional de imprensa? Porque tanta raiva?

      Espero sinceramente que você repense sua atitude neste post (não sua opinião: você é livre para tê-la). Todos nós temos direito a sermos respeitados. Inclusive você.

      • Flavio Gomes disse:

        Entendi. Não pode dar pause. Mas se falar com todo mundo, tipo “pessoal, posso mijar?”, não dá pra dar um pause geral? Ah, busque informações sobre “haver”.

      • Anselmo Fortunato Forati Junior disse:

        Não dá Flávio.

        Obrigado pela dica. Perdoe-me pelo meu erro de português. É realmente imperdoável eu não ter revisado o comentário antes de postá-lo.

        Não querendo me defender, talvez eu não tenha me preocupado tanto em revisá-lo por não ser profissional da sua área. Vou rever isso.

        Pra você ver… Eu gosto de assumir erros, aprender e evoluir. Talvez você não tenha entendido o contexto do meu comentário por culpa deste infeliz erro. Preciso mesmo mudar.

        Abraços.

  6. Felipe Giro disse:

    Claramente perceptível o tamanho do ódio e do pré-julgamento feito ao automobilismo virtual neste “texto” (não que eu esteja surpreso, mas OK).

    Nota-se que você não fez o mínimo esforço para entender o meio dos que participam desde mundo. O intuito jamás é se considerar um piloto de corridas completo através de uma tela de computador. Ninguém acha isso. Nem mesmo os melhores do mundo, que estavam incluive todos presentes no evento citado. É uma forma de nos aproximarmos, da maneira no qual nos convém, do nosso esporte favorito. Nada mais. É um encontro de fãs de corridas a motor para disputar uma porrada de voltas em uma pista virtual com uma premiação final. Não vejo como isso pode despertar ódio em alguém ao ponto de julgar todos os participantes como “gordinhos sedentários que passam o dia diante de um computador em vez de viver a vida.”

    Apenas para adicionar aos fatos, um dos pilotos dessa corrida é David Greco, que já fez diversos testes por equipes reais do automobilismo de base italiano e é o atual desenvolvedor dos jogos da Codemasters da F1 (inclusive eu mesmo participo das mesmas competições dele).

    Não concordar e não seguir é uma opção de qualquer um. Não participar é um favor. Agora, pré-julgar e desrespeitar quem gosta e pratica só reforça o tom arrogante e prepotente demonstrado em suas palavras. A fraqueza do deboche é sempre utilizada pelos covardes e impotentes.

  7. Joao disse:

    Engraçado que um dos parceiros do http://grandepremio.uol.com.br/ é a http://www.flatout.com.br/ que tem uma seção só para automobilismo virtual. Portanto, apesar de não se interessar pelo AV no blog, na página o assunto está sempre presente com uma coluna por semana e com bastante participação do público.

  8. Gustavo disse:

    Várias tragédias em “presídios de gestão estatizada”, mas apenas um ocorreu em “presídio de gestão privatizada”. Além do que, o “presídio de gestão privatizada” enviou inúmeros avisos ao órgão “de gestão estatizada” responsável pela segurança – e foi ignorado. Privatização sem controle do estado, é o mesmo que estatização.

  9. Daniel disse:

    Para aqueles que se sentem pilotos de verdade só porque jogam em um simulador, a FORÇA G mandou um abraço!

    • Mauricio disse:

      Já tem simuladores com engenhocas nos assentos que ajudam muito nessa parte de simular um pouco da força G.
      Ninguém está dizendo que o Virtual vai ser melhor que o real.
      Mas nem todos tem oportunidade e $$$$ pra poder correr de verdade.

  10. Joao disse:

    Discussão infinita ai, o automobilismo virtual tem suas vantagem ainda mais pra brasileiro que não tem condições de praticar o real. Tem suas similaridades tem, mas é uma coisa diferente da outra. Acho que só faltou um pouco de educação e respeito com outras culturas do Flavio, mas isso melhora com o tempo, é só ser menos intolerante e aceitar culturas diferentes.

  11. Lucas disse:

    O cara não tem o minimo de entendimento básico pra discutir qualquer coisa relacionada ao AV. Pois ele não sabe a diferença entre um gamer e um simracer. Todos aquelas que “gamers” que disputaram são SIMRACERS…. Você poderia pelo se aprofundar no assunto, pois você alem de péssimo “jornalista” se é que é mesmo um. Diploma não é sinônimo de qualificação para profissão…Diz que é duble de piloto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Cara, sua falta de conhecimento no assunto, não da nem pra discutir….Vou te ajudar, Gamers joga jogos, tipo LOL, DOTA, CS GO, SimRacers busca simulação, não tem controle, usa volante, acelerador, freio e embreagem, post acima vc fiz que não sabe como faz um punta taco no video game, seu conhecimento sobre o assunto é pífio. Deveria se informar realmente. Talvez Rubens barrichello, Vitor Genz, Marcos Gomes, entre outros pilotos, inclusive de F1 estão as pistas virtuais…podem de ajudar melhor.
    DUBLE DE PILOTO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  12. Daniel disse:

    O automobilismo virtual pode ajudar a conhecer o traçado e irregularidades de um circuito (hoje em dia, as pistas são escaneadas a laser), experimentar a dirigibilidade aproximada de um veículo específico, ter um pouco de conhecimento TEÓRICO sobre setups de veículos, etc. Porém, trata-se apenas de DIVERSÃO. Apesar disso, tem gente que insiste em comparar o automobilismo virtual com o real! Existe até mesmo absurdos de pessoas que “pilotam” na frente do monitor com macacão e capacete! Para aqueles que precisam de um choque de realidade, uma pessoa em uma pista real não conseguirá alcançar os mesmos tempos que consegue no simulador, por pelo menos 2 motivos: medo de sofrer um acidente e pelos efeitos da força G, que em uma corrida faz toda a diferença!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>