MENU

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017 - 19:36Automobilismo internacional

WEC EM CRISE

SÃO PAULO (um pra trás, dois pra frente) – A saída da Audi do WEC pode detonar um processo irreversível de extinção dos protótipos. A opinião não é só minha. Lucas di Grassi pensa algo parecido, assim como Pipo Derani. Talvez o caminho das provas de endurance seja mesmo voltar à era dos GT. Protótipos são caríssimos e a ausência das montadoras será fatal. Hoje tem Porsche e Toyota. Nos GTs, em compensação, as fábricas se divertem — Ferrari, Porsche, Aston Martin, Ford, e devo ter esquecido alguma.

Nos EUA, chegaram a uma alternativa interessante: quatro chassis-padrão para as equipes, mesmo as oficiais, espetarem no escolhido seus motores e aerodinâmica. Está funcionando. Será que o pessoal na Europa faria o mesmo? A ver. O fato é que o orçamento de um time na LMP1 está passando dos limites do razoável.

13 comentários

  1. Ulisses disse:

    A Europa torce o nariz para as “coisas” organizadas pelos EUA.
    E os EUA, não estão nem aí, continuam a fazer campeonatos para sí próprios que o mundo todo baba.
    São “cenários” de uma vida perfeita como quase tudo lá? Claro que sim! Mas a maioria das categorias de ponta funcionam e muito bem lá, com bom público, boa mídia, uma cultura automobilística fantástica, caipira as vezes, com alguns amadorismos internos, mas foda pacas, com gasolina nas veias e muita paixão (que é o que realmente importa)!!!
    Já faz tempo que o automobilismo dos EUA dão um “chupa mundo”, e nem assim os europeus cultos, civilizados e eruditos entendem que para ser legal, precisam compartilhar.
    Mas, são culturas diferentes, com viés de alta para a americana em 2017.
    O pior somos nós aqui, que não somos nem uma coisa nem outra, aliás nem sabemos o que somos ainda.
    Mas, mesmo assim, temos 8 títulos mundiais na F1 e outros tantos em várias categorias internacionais, incluso aí vários títulos e vitórias nas mais importantes provas dos EUA, sem vergonha nenhuma de “pachecar” nossos aceleradores! … hahahahaha

  2. Jonny'O disse:

    Eu sou contrario a ideia , acho que os protótipos não vão desaparecer , os europeus deveriam olhar para a America e ver como a nova IMSA deu o pulo do gato , valorizou os fabricantes de chassi (Dallara, Riley, Oreca, Ligier) que na verdade são os verdadeiros amantes das corridas ,e não as fabricas, o sistema da IMSA não mata o time que se alia a uma fabrica , porque a fabrica pode entrar somente com o motor , patrocínio , e no máximo uma carenagem, o projeto do carro só pode ser comprado dos garagistas ,uma vitoria do esporte!

    A corrida de Daytona foi incrível, embora a vitoria da Cadillac possa parecer que uma fabrica venceu fácil, na verdade faltando 1 hora pra corrida acabar o time privado com um Riley -Gibson ainda estava na mesma volta do líder, isso em uma corrida de 24h.

    E se olharem direito para os protótipos podem descobrir que os LMP3 estão cada vez mais se popularizando pelo mundo, fazendo a festa dos pilotos profissionais e amadores.

  3. Flavio,

    Creio que no futuro do WEC teremos todos os GT’s Híbridos / Elétricos, pois é a tendência do futuro e quem não se adequar, dança.

    O que corrobora com isso é a nova lei alemã para carros elétricos e demonização dos combustíveis fósseis.

    Creio eu que isso salvará a LMP1, pois com tantos GTs usando a nova tecnologia os custos começam a se diluir e os motores dos protótipos seriam apenas adaptações dos GT’s, viabilizando a permanência da categoria.

    Então, na minha opinião, creio que a organização do WEC teria, se é que já não está fazendo, de investir na categoria GT híbrido ou GT elétrico… Criar a chama para que as montadoras comecem a se dedicar ainda mais em GT’s com essa tecnologia.

  4. Carlos Pereira disse:

    Se for pra ter grandes disputas das grandes fabricantes, então que voltemos à era dos GT, que cá entre nós, são lindíssimos.

  5. rafael catelan disse:

    Corvette, quem sabe ano que vem Lamborghini, BMW e num futuro porque não convencer a AMG e a própria Audi a fazer seus carros na configuração LMGT, já que correm com os GT3 na IMSA.

  6. highdownforce disse:

    Gomes, os DPi’s já foram rejeitados pela ACO.
    O regulamento inicialmente foi tratado em conjunto por IMSA, ACO e FIA, pois a ideia era que os DPi’s poderiam correr em Sarthe. Porém devido a divergências “filosóficas” as entidades decidiram que o regulamento da IMSA valeria apenas para os seus campeonatos.

    A quem interessar saber:
    - ACO selecionou 4 fabricantes de LMP2 para homologação de chassis;
    - ACO selecionou motores Gibson Zytek para todos os carros da classe LMP2;
    - IMSA adotou regulamento híbrido com os LMP2 da ACO e entradas de “fábrica”;
    - Para a IMSA, as entradas de fábrica são os mesmos LMP2 porém com a caracterização das marcas, algum ganho aerodinâmico e motores GT3;
    - A classe DPi recebe BoP (Balanço de Performance) para equalizar o desempenho dos carros privados e de fábrica (o que não deu muito certo em Daytona);
    - A LMP1 é uma categoria que não recebe BoP (pelo menos não no mesmo vulto que nos certames da IMSA);

    A prevalência do regulamento da IMSA seria a vitória do entretenimento sobre a técnica….

    Aliás, razão pela qual os campeonatos de GT florescem, afinal lá há Balance of Performance que permite um Aston Martin defasado competir com um Ford GT novo… Ou melhor, permitiria, se o BoP não tivesse influências políticas externas.

  7. Rafael Cejulio disse:

    Realmente a categoria tem investimentos altíssimos e não sei se realmente compensa investir em tanta tecnologia com pouco carros.
    Só acho um pouco estranho o Di Grassi falando “mal” de outras categoria e botando a Fórmula E, como se ela fosse o futuro da categoria, o que sabemos que não é…

  8. MARCO ALBERTO DOS SANTOS GAVIOLI disse:

    Gomes e amigos, bom dia. Acho que procede sua “preocupação” sim. A Audi é um peso pesado que jamais a WEC deveria perder. Mas eles darão a volta por cima, como deram quando a Porsche se foi (e voltou), e muitas outras grandes também. Com certeza neste ano terão as duzentas, trezentas mil em Sarthe para verem o espetaculo grandioso e espetacular da maior corrida do mundo. Grande abraço.

  9. Emerson carara disse:

    e o lance do rubinho o que eh ? desculpe pela ignorancia

  10. Seria um bom gancho para – além da adoção de um sistema semelhante ao dos EUA na Weather Tech / IMSA – a volta dos GT1.

  11. Marcos Ferreira disse:

    Acho o campeonato da WEC fantástico, mas tenho uma teoria. Protótipo não da para comprar e andar na rua, mas uma Ferrari, Lamborghini, Porsche você você pode comprar e ter um parecido com o da pista andando na rua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>