MENU

quarta-feira, 15 de março de 2017 - 17:26Automobilismo internacional

BASE ELÉTRICA

SÃO PAULO (vixemaria) – E não é que está surgindo uma categoria de base de carros elétricos? Um consórcio belga-americano apresentou o Formulino E. Talvez vire uma série de acesso à Fórmula E. A brincadeira já recebeu o aval de gente como Lucas di Grassi.

É um caminho sem volta, goste-se ou não. Vocês gostam?

formulinoe

50 comentários

  1. Cesar Simões disse:

    Acho tesão, piá. Só tem que arruma rum jeito de ter barulho.

  2. leandro oliveira disse:

    Não gosto muito, mas pelo visto vai ser o futuro. Antes isso que os autônomos e/ ou controlados por controle remoto (vai ser igual a corrida de drones).

  3. Axl Rose ate my Buick disse:

    Do conceito de carros elétricos, gosto. Da Formula E, não.

    Acho os carros estapafúrdios e as pistas, piores ainda, e não engulo a concorrência velada com um dos pilares do automobilismo, o WEC.

    Reconheço a importância do desenvolvimento técnico e o grid da categoria sempre esteve recheado de excelentes pilotos, mas, como corrida, é tudo meio patético com aqueles carrinhos lentos, de pneus ridículos, espremidos em circuitos de rua.

  4. Antonio disse:

    Carreras son carreras, mas o barulho dos motores a combustão sempre vai fazer falta.

  5. João Henrique disse:

    Definitivamente…Não gosto.

  6. Rodrigo Moraes disse:

    Quando tiverem a tecnologia para fazer baterias pequenas que sejam capazes de tocar um motor elétrico potente, eu acho que vai ser legal. Por ora, os carros são um pouco lentos e as corridas parecem de brincadeira. Vendo na TV, tenho a impressão de que meu carro do dia-a-dia é mais veloz do que os carros de corrida da F-E.

  7. MARCOS disse:

    Coisa mais sem mais graça do mundo, O melhor de tudo em uma pista e´escutar o som dos motores a combustão, fogo saindo pelo escapamento, o cheiro de gasolina com pneu queimado. Pagar ingresso para ver carrinhos ridículos com barulho de autorama…to fora.

  8. Thor disse:

    Legal criar um categoria escola de carros elétricos, poderia se chamar Formula AA ou Formula AAA como as pilhas rsrsrs.

  9. Arthur Luz disse:

    Vejo muita gente reclamando da velocidade e resistência desses carros, mas dá pra traçar um paralelo entre os ‘elétricos’ e os ‘tradicionais’ como eram no começo do automobilismo.
    Aquelas trapizongas enormes, que faziam um lindo e imenso barulho eram o ápice. E, mesmo com essa barulheira toda, não andavam lá essas coisas.
    Bom, o tempo fez com que a coisa chegasse onde chegou.

    Vamos dar uma chance pros elétricos. É a vez deles agora.

  10. sergio disse:

    Qualquer tipo de corrida é interessante. de tartaruga, de lambreta, velocípede, a pé, de avião…Um amigo meu foi demitido nos anos 80 porque apostou corrida de empilhadeira: capotou!! …..e deve ser bem legal ..

  11. Newton disse:

    Melhor o futuro elétrico com automobilismo sendo um esporte relevante do que continuar com combustão e desaparecer do mapa. Infelizmente…

  12. Anselmo Coyote disse:

    Autonomia das baterias é um problema.
    Acho mais fácil diminuírem o tamanho dos motores e as baterias crescerem, mas sofrendo conformações para se tornarem partes da carenagem, do cockpit ou de outras partes do carro.
    Abs.

  13. Bom, é melhor do que aquela corrida de carro sem piloto, com certeza.

  14. ags disse:

    Vai ser da seguinte maneira..
    7 provas em um só dia..de 5 voltas…
    Cada vencedor muda para o fim do pelotão..
    Cada ultimo colocado(sem reclamação como sempre faz o Pigmeu da Cantareira) fica na pole..e assim vai alternando..
    Um ponto a favor..Não vai narração do Galvão Bueiro..e Tartaruga Burti..rsssss

  15. Pepe disse:

    Eu gosto muito da iniciativa, mas, como todo inicio a categoria parece um pouco tímida, apesar do alto custo dos carros, agora com esse nome terminando em “………..lino” não creio que pegue, as pessoas não gostam de coisas pequenas ou diminutivos para competir, esse nome, creio que já é uma rasteira na categoria, o Lucas di Grassi que é de extremo bom senso, deve saber do que estou falando.

  16. Daniel T. disse:

    Eu gosto do automobilismo, seja elétrico, a gosolina, etc.., do que for.

  17. Ricardo Talarico disse:

    Não tenho nada contra, mesmo sendo apaixonado pelo ronco de motores a combustão, principalmente os V8.
    O importante é ter corridas emocionantes, e isso não depende só de ronco.
    É só assistir a alguns campeonatos amadores de kart, com aqueles motores 4 tempos de “moedor de cana”. Ronco ruim, mas o equilíbrio entre os karts faz as corridas serem disputadíssimas, portanto ótimas de assistir e participar.

  18. Michel disse:

    Amigo, do jeito que as coisas andam, tendo um ser humano na pilotagem é lucro.

  19. Rafael Cejulio disse:

    Sinceramente ainda não consigo enxergar com bons olhos as corridas de carros elétricos, talvez pq nunca vi uma de perto ou sei lá, incomoda não ter barulho ou cheiro de combustível.
    Sei de toda história que eles são o futuro e tal, mas acho que ficam melhores nas ruas e não nas pistas.
    E mais, acho muita grana pra tão poucas voltas.
    Como piloto talvez tivesse uma opinião diferente, então fico por enquanto ainda com carros barulhentos.

  20. Marco Cordobe disse:

    Os carros são legais, mas corrida sem barulho? Já chega a F1 com estes V6 híbridos com barulho de carrinho de rolemam( ou carrinho de lomba como nós falamos aqui no RS). Onde fica aquele arrepio de ouvir o berro de um V10 ou V12 rasgando uma grande reta?
    Ok, estamos numa encruzilhada ambiental, mas será que todo o problema é causado somente pelos carros de competição?
    Em corridas, barulho sempre!
    Abraços e sorte

  21. Robson disse:

    Acho que tem espaço pra ambas categorias. Uma não mata a outra.

  22. Henrique disse:

    Nao gosto. Talvez carros eletricos seja o futuro, mas ainda gosto da sensacao provocada pelo som, pela mechanica de um vehicular a explosao.

    Factor interessante e que produzir motor a explosao e uma tarefa complexa, cara, que limita o surgimento de conconcorrentes / montadoras, além dos custos para se montar refinarias, concessionarias e postos de gasolina. Vai comprar na concessionária ou na Ricardo Eletro, junto com a linha branca para a casa nova?

    Um veículo elétrico, pode usar motor e bateria de fabricantes já existentes (talvez produtos mais eficientes ejam mais caros, mas se você quiser reciclar um motor elétrico e baterias de chumbo, em tese pode) não precisa tecnicamente de uma rede de abastecimento e manutencao tão complexas. Ou seja, como o capitalismo vai auferir ganhos que compensem esta mudança de plataforma, se ocorrer? A tesla mostra o caminho mas seus ganhos veem mais de investidores / acionistas que de que de vendas.

    Independentemente da plataforma energética, esse futuro do automóvel parece muito chato. Carro autônomo, milhares de sensores conectando veículos e a infra-estrutura viária, e outras coisas. Se o objetivo é digitar no celular (ler jornal ou livro ninguém quer….) e tomar café enquanto se desloca, já existem revolucionárias formas de fazer isso. Ônibus, metro, bonde, uber, carona….

    • Arthur Luz disse:

      Entendo seu comentário. Mas acredito que essa geração que nasceu perto do ano 2000 (até antes) não curta tanto guiar um carro como as anteriores.

      Acho a tecnologia dos autônomos muito válida. Pois ela pode praticamente anular os acidentes de trânsito, seja na cidade e, principalmente, nas estradas. Além disso, esse trânsito se tornaria muito mais dinâmico e ágil, visto que tudo está conectado. Além do mais, pra a essa turma mais nova, vale mais o deslocamento eficiente do que a potência e ronco de um carro.

      Com o passar do tempo, ninguém mais vai debater se bom era dirigir ou não. Simplesmente não iremos mais guiar.

      Alguns prazeres são substituídos por outros.

  23. Rodrigo disse:

    Elétrico só Autorama Nelson Piquet.

  24. Carlos Pereira disse:

    Pelo menos esse aí tem cara de carro de corrida. Gostei. Os atuais FE não me agradam esteticamente.

  25. Custodio disse:

    Tenho 31 anos e tenho certeza que quando tiver com 81 vou poder falar que vivenciei todas essas mudanças! Até pq acho que em 50 anos os carros não serão + eletricos.
    Solar, hidrogenio, oxigenio a cocô ou a agua eu não tenho ideia! Mas Eletrico não serão mais!

  26. MARCUS SANTOS disse:

    …melhor corrida de elétricos que corrida de drones (já passa na TV a cabo isso)… Melhor que não ter mais automobilismo algum…

  27. Toni Casagrande disse:

    Afirmar categoricamente “Não gosto!” neste caso não faz muito sentido. Afinal não é muito diferente de defender que os carros de corrida deveriam ainda ser movidos a vapor. Só muda o modo de propulsão. Assim como vai acontecer com todos os automóveis em pouco tempo. Só vou sentir falta da música dos Vzões aspirados.

  28. Diego - Floripa/SC disse:

    Teria fácil um elétrico para locomoção na cidade.

    Fora que as baterias tem também sérios problemas ecológicos, enquanto não evoluírem não vai passar de brinquedo de gente rica. Até um Prius que tem tecnologia de 10, 15 anos atrás é inacessível para 99,9% da população.

    Mas automobilismo vai ser um saco, e acho difícil minha geração engolir.

    E a geração mais nova está cagando e andando para automobilismo, seja no velho petróleo ou elétrico.

  29. João Sérgio disse:

    tô curioso é pra ver a categoria elétrica de turismo que a Tesla tá montando

  30. Garlet disse:

    Pera que tá passando um entregador com escape aberto aqui ahhhh………………… puta que o p* passou, se eu tivesse uma manga jogava na cabeça, o troço irritante. Não aguento mais barulho……..viva o silêncio dos elétricos………………..tem que virar tudo elétrico, carro, moto, sem poluição sonora……………………..

  31. hermes disse:

    Não se esqueçam que o grosso da energia elétrica na Europa e USA vem da via nuclear e da termoelétrica.
    Estão achando que a energia do carrinho vira da Cachoeira, do ventinho e do sol?
    Parece a dieta que substitui açúcar por fritura

    • Gustavo disse:

      Oi Hermes, a pegada de carbono é muito menor mesmo usando fontes poluidoras na origem da energia para carregar baterias. Exemplo real: Seu carro para andar precisou ter a gasolina refinada e gerou poluição na fonte. Quando sair com seu carro vai queimar novamente combustível e gerar novamente poluição, ou seja, 2x poluindo. No carro elétrico não temos as duas, apenas uma na geração da energia na fonte para carregar sua bateria. Isto usando uma fonte fóssil como petróleo. Só vamos gerar uma vez poluição, entendeu? Tem grandes vantagens.

  32. Antônio Edson disse:

    Flávio, acho que vi você hoje na vila mariana. Só podia ser você: quem mais anda a bordo de um dkv belcar (verde, cinza, marrom claro?) tao bonito?. Carro maravilhoso! Me liguei no ronco do motor. Impecável!

  33. danir disse:

    Em corridas com duração de cinco voltas?

  34. Fernando disse:

    se a frota de carros particulares no mundo fosse inteira elétrica, haveria um grande ganho ambiental, não?
    no caso das corridas, não creio que a poluição seja algo preocupante, mas vá lá, o mundo está mudando…

  35. Ricardo disse:

    Sou entusiasta de automobilismo, leio seu blog diariamente (parabéns por ele, de verdade), mas quando se vê o que a queima de combustíveis que produzem dióxido de carbono está fazendo com o planeta, não dá pra não ser a favor de essa ser a matriz principal de energia em meios de transporte.
    Em tempo: não sou a favor de serem extirpados os modelos à combustão existentes, muito menos da proibição de que rodem (como você contou na saga das inspeções veiculares paulistas), somente que não sejam mais fabricados.
    E o barulhinho me lembra os desenhos animados futuristas da infância, hehe
    Você se vê com um elétrico no futuro?

  36. Alan Borghini disse:

    Eu adoro carro elétrico, que deixam os mastodontes à combustão de zilhòes de peças se sentindo matusaléns.
    Mas as montadoras e seguradoras querem porque querem prolongar a vida dessas geringonças fumacentas para poderem faturar o máximo que puderem, inclusive com o advento dos inúteis e pesadões SUVs, que fazem a alegria dos que preferem ostentar do que pensar na hora de escolher seu veículo.
    E sem esse vínculo com o consumo, parece que o automobilismo está se adiantando e se desvinculando do emocional e racionalizando antes da indústria.
    Só não entendi porque ainda não está chovendo campeonatos de karts elétricos, que seriam os mais fáceis de serem concebidos.

  37. Celio ferreira disse:

    Quando um FE , rasgar uma reta a 300 p/h , adeus F1. O futuro tecnológico ,
    avança inexorávelmente….

Deixe uma resposta para Mauricio Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>