MENU

quinta-feira, 16 de março de 2017 - 19:45F-1

O “NÃO” DA MERCEDES

SÃO PAULO (que fase…) – Segundo a imprensa alemã, a McLaren tentou uma reaproximação com a Mercedes, já pensando em romper o contrato com a Honda que vai até 2021. Aparentemente, a equipe inglesa já não acredita que os japoneses serão capazes de resolver seus crônicos problemas de falta de potência, confiabilidade, paz e amor. A Mercedes disse “não”.

Mas o que me incomoda nessa história toda é mesmo a Honda. OK que no primeiro ano as coisas seriam difíceis, embora a montadora tenha tido tempo suficiente para desenvolver seu motor. Só que na segunda temporada os problemas continuaram. E, agora, parece que a coisa piorou, voltando ao nível de 2015.

A Honda desta era híbrida não tem nada a ver com a Honda dos anos 80 e 90. A tecnologia é outra, claro, mas ninguém achava que a fábrica teria tanta dificuldade, já que no passado escreveu capítulos vitoriosos e criou a fama de ser impecável em tudo.

É, para mim, uma surpresa enorme. Estava pensando em comprar uma CG bolinh, agora não sei mais.

stoffel17

48 comentários

  1. Renato F1 disse:

    Discordo do segundo parágrafo: a Errault não teve o melhor motor entre 2010 e 2013. A Mercedes tem o melhor motor desde 2005, quando Alonso foi campeão.
    Em 2005 e em 2006, o pé frio do Homem de Gelo estava demais: fazia a pole no sábado, o motor quebrava e largava em 11º na corrida. Alonso ganhou fácil aqueles dois títulos. Em 2007, a briga de Alonso com o Hamilton e a ajuda do Massa resultou na perda do título de pilotos para a McLaren-Mercedes (naquele ano, deveria ter ganho tudo, não só o título de construtores). Em 2008, Hamilton ganhou nas burradas da Se Ferra-ri (não me lembro da ajuda para o Massa do picolé finlandês naquele ano). Em 2009, a Brawn GP nasceu, correu com motor Mercedes, ganhou tudo e sumiu. Já entre 2010 e 2013, a Red Buxa fez um “avião de cabeça para baixo” com o Adrian Newey. Aí o carro andava e não consumia pneu. Tanto que a Mercedes fazia a pole. Mas o pneu acabava em poucas voltas.

  2. Francisco Martins disse:

    Penso que a Honda ou ainda não entendeu esse ridículo sistema híbrido ou estão tentando desenvolver alguma coisa que ainda não deu certo, e eu não duvido da capacidade desses japoneses que se neste momento estão apanhando muito podem em breve virar o jogo!

  3. Roberto Pedreira disse:

    Melhor não subestimar porque podem estar atrás de alguma solução menos óbvia , que demandará tempo para se tornar viável e confiável.

  4. Paulo Pinto disse:

    Em resumo, o “não” de Hamilton.

  5. Marcelo disse:

    É muito mais fácil os Japas contratarem alguns engenheiros da Mercedes, Renault ou até Ferrari ao invés de ficar com esse orgulho nipônico desnecessário.

    No mais essa McLaren tá parecendo uma Marussia, inclusive no desempenho.

  6. EduardoRS disse:

    É lamentável esse papelão da Honda. Fosse o presidente da bagaça, eu mandava tirar o time de campo no fim do ano, pois a queimação de filme está terrível, é um desastre total de marketing.

    E concordo com o amigo que comentou antes: a McLaren deveria fazer uma ligação pro pessoal da BMW. Esses sim, SEMPRE entenderam de motor e investem pesado em novas tecnologias (vide a linha i). Quando eles entram em campo, não é pra brincar.

    Fabricar o próprio motor é inviável, pelos custos. A Mercedes disse um sonoro NÃO. A Ferrari jamais forneceria para a McLaren pois são concorrentes no mercado de superesportivos. Só resta a Renault, talvez pegar um motor deles e passar para alguém preparar, tipo o que faz a Red Bull, mas também acho difícil. Bela sinuca essa da McLaren.

  7. Caramba, vocês são ou tontos ou desmemoriados. A Honda “japonesa” dos anos 80-90 era foda pra carai, mas morreu e não deixou herdeiros. O diabo é que nessa mesma época havia a disgreta da Mugen Honda ‘inglês’, que era o lixão das quebradas. Esse motor fodidão que deixou esses descendentes de hoje. Poxa, precisa desenhar, carai.

    E fora Temer, golpista FDP.

  8. Chico disse:

    Curioso é que até 2011 existiu uma Honda na F-1, com relativa dignidade (apesar dos péssimos resultados dos últimos anos), a equipe virou Brawn, depois Mercedes e hoje é o que é. Não sobrou nada daquela Honda herdeira da BAR? Os técnicos, mecânicos, enfim, o povo todo está na Mercedes? Como podem ter desaprendido a ponto de começar um projeto do zero que simplesmente não levanta voo.
    Acho muito estranha essa história da Honda. Não no sentido conspiratório, mas ninguém aprofunda os problemas desse projeto.

    • Boca disse:

      Honda até 2008.
      Tiraram o time. Ross comprou o “espólio” por U$ 1,00 (um dólar), comprou motores Mercedes e foi campeão em 2009. Depois vendeu pra Mercedes, equipe a partir de 2010.

  9. Eduardo Cordeiro disse:

    Qual o motivo que levou os caras a trocarem a Mercedes pela Honda em 2015, sendo que já era sabido que os alemães tinham o melhor equipamento??? Só pode ter sido grana, ou uma burrice, no mínimo.

  10. mario disse:

    Se a Mclaren quiser começar do zero de novo , poderiam tentar chamar a Audi . Lembro que a RedBull já cogitou essa parceria em 2015 . Agora sobre a Honda , eu acho que três anos é considerado curto para os padrões japoneses . O problema é que as outras equipes também começaram praticamente do zero e estão cerca de 50cv adiante da Honda . Sei não viu ! Paciência tem limite !

  11. CorredorX disse:

    DISCORDO!!! Cg bolinha é top!

  12. Rodrigo disse:

    CG Bolinha, temos uma 1978 azul na família. Foi do meu falecido avô, hoje está com meu pai. Toda original e de tão pouco rodada, até a relação dela ainda não foi trocada, é original. Deve valer algum $$ pra colecionadores.

  13. Cezar disse:

    Lembrando que como equipe a Honda não fez nada e o motor também era péssimo. Essa desgraça de motor não é uma surpresa tão grande.

    A McLaren deveria pensar seriamente em produzir seu próprio motor com parceria da Ricardo.

    Acho que se colocar o motor da P1 nesse carro vai andar mais do que com esse lixo de ruinda.

    Em último caso deveria conversar com a BMW, esses caras sim, sabem fazer mentores.

  14. Luciano Hansen disse:

    O prazer de ter a CG no acervo não deve ser minimizado por questões menores.

  15. ELVIS LIMA disse:

    Olhando o que se passa com a Honda, da ate impressão que eles foram pegos de surpresa e que o retorno a F1 não estava planejado.

  16. Marcus Simões disse:

    Pode falar o que quiser da McLaren, da Mercedes e da Honda, MAS CG É CG! ESSA TEM QUE SER RESPEITADA! E não é Turuna e nem ML. É CG.

  17. moisesimoes disse:

    - Ué ? Não era a McLaren que queria ser a única e exclusiva, ímpar e singular, cliente da Honda com exclusividade? Vai ter que tomar do próprio veneno até a última gota. Que coisa.

    Caso “o piloto seja ainda menos importante”, com todo o respeito aos nipônicos, não é difícil prever algum piloto de olho puxado “by Honda” no lugar do espanhol até o fim do ano.
    Mas caso a coisa fique catastrófica mesmo, temo pela McLaren na F1. Não temo, como disse Flávio Gomes. A Honda compraria a maior parte das ações da equipe e teria equipe própria? Sem motor, a McLaren cairia fora da F1? Parece que não há espaço para as duas. McLaren – Cosworth, como disse um blogueiro por essas bandas?

  18. Tom disse:

    A Honda só é considerada uma montadora top por essas bandas, a parte dos sensores eletrônicos,nos carros Honda de passeio é sofrível,coisas simples que tinham em outros carros,na Honda sempre chegava por último.
    Agora imagina na F1 ,onde desenvolvimento tem que ser absurdamente rápido,
    Falta humildade aos japoneses em aceitar ajuda em algo que eles não dominam.

  19. D disse:

    Daonde tiraram que a mercedes disse “não”?

    According to the BBC, ‘McLaren’s contact with Mercedes was characterised by sources as informal and brief and has not led to any resolution on either side. But the Mercedes board and motorsport boss Toto Wolff are said to be open-minded about the possibility of supplying their former partner.’

    And Motorsport reported: ‘While meetings have taken place since Barcelona testing to try to push Honda to take action needed to lift its engine programme, McLaren has not dismissed the idea of looking elsewhere.

    ‘One avenue is the customer Mercedes engine supply that had originally been earmarked for the Manor team, and perhaps could be ready as early as later this season if Honda shows no signs of improving.’

    • Renato F1 disse:

      Não tinha lido isto não. Mas tem lógica esta afirmação.
      A Mercedes-Benz produzia motores para quatro equipes em 2016: a Mercedes, a Williams, a Force India e a Manor Marussia. Com a saída desta última equipe, em 2017, a fábrica tem uma “vaga” disponível.
      Seria esta “vaga” o interesse da McLaren?

  20. J. Melo disse:

    Nada na F1 acontece do dia para noite, todos falam na história de sucesso da dupla Maclarem/Honda nos anos 80, mas poucos lembram que a Honda daqueles anos começou em 1983 com a Spirit, Migrou em 84 para Willams e só ao final de 85 encontrou o caminho, quando a Maclaren se associou a Honda está já era um motor consolidado e dominante na F1 igual a Mercedes é hoje. A maclarem nunca teve muita paciência em desenvolver motores, lembram da Pegeaut? Mesmo quando assou os motores Mercedes, isto só ocorreu depois da marca se estabelecer em anos de ajustes equipando a Sauber. Sucesso não vem do nada é preciso paciência, trabalho e empenho, algo que a Maclarem nunca teve.

  21. luigi disse:

    E ninguém vai comentar que essa arquitetura obrigatória de motor V 6 turbo era mais para dar uma mãozinha a Filha prodiga e Ferrari ,que a algum tempo tinham feito soberbos motores V 6 turbo ,e talvez a Mercedes não conseguisse o mesmo sucesso e com isso se escreveria uma nova era na F 1. (não vou nem falar da italianada para não apanhar em casa , somos sicilianos ,sabe comé!!) Pelo visto os japoneses ainda estão muito longe dos alemães no que se refere a automobilismo de competição,pois não conseguem renovar o quadro de grandes engenheiros como os alemães .É só observar , Mercedes ficou fora da F1 desde 1955 e em pouco tempo voltou ao que era na época que tinha carro e piloto ,praticamente imbatível , passaram-se décadas e eles conseguem mostrar a mesma capacidade e o que falar da Porsche ,quantas gerações de engenheiros se passaram e eles continuam brilhando em todos os campeonatos que disputam , lembrando que o 911(ou a sigla de competição que use) é evolução do velho 356 de 1948 ,sempre com a mesma arquitetura e aerodinâmica básica (motor de popa e forma de gota)mas sempre evoluindo onde outros já teriam optado por outro projeto,isto é a grande exibição de altíssima competência de todas gerações de engenheiros que fizeram o modelo evoluir e ainda ser competitivo em sua categoria a quase 70 anos.Isto sem falar nos monstros que destruíram humilharam os concorrentes (917,956,962 ,919 Hibrid)

  22. Macario disse:

    O pior de tudo é que não sai da minha cabeça algo que o blogueiro falou há alguns dias, especulando que de repente os caras acertam em 2018, quando provavelmente Alonso já terá procurado outra coisa pra fazer.

    Não duvidaria, não conheço os detalhes técnicos, mas desde o começo falaram que o conceito da Honda é muito diferente dos demais. Dizem que se funcionar direito eles ficarão muito à frente dos concorrentes. Já pensou?

  23. Marcus Lima disse:

    Uma crise que, diga-se de passagem ,foi bem abordada no paddock gp pelo Bruno Senna. Os elmentos da crise para ele, são dois principais:
    1. O pessoal que já tinha experiência no programa de F1 até 2008 não foi utilizado, veio gente que era da fábrica e nada tinha a ver com F1 no passado.
    2. Os japas não aceitam contratar gente com experiência previa nesses motores, como por exemplo, ex funcionarios da mercedez e ferrari, para ajudar.
    Então, imagina isso: você está atrás, não tem muiita gente com experiência, e não quer trazer quem tem. Moral da história (estória): pra mim, a Honda desiste em dois anos, ou abre mão dessa babaquice e traz uma meia duzia de caras da AMG e Ferrari

    • luigi disse:

      Meu caro , Ferrari não consegue fazer um motor melhor que uma “preparadora competente” como a Ilmor que pegou aquela bomba raquítica da Renault e fez um motor relativamente próximo ao Mercedes ,porque você acha que fariam algo melhor. Tem que acabar esse pensamento que o nome Ferrari é magico e de lá só sai maravilhas. Eles estão perdidos também ,haver este ano como será, pois nos 21 anos sem fazer um campeão ,quase todas temporadas era a “campeã dos testes de inverno”

  24. Fernando disse:

    A Honda já foi top no automobilismo e hoje não é mais, simples assim e dificilmente será.

    Toma pau até na Indy, agora que começou a se recuperar um pouco.

    Eu já achava difícil vingar esse projeto depois daquele lixo de carro que fizeram pro Button e Rubinho.

    Lembro do episódio que você bem narrou aqui http://flaviogomes.grandepremio.uol.com.br/2008/11/tinha-esquecido-1/ do John Button pedindo pro Jenson “deixar essa merda queimar”…

    Fica aquele saudosismo da época de Senna, mas a Honda era outra…

    Minha opinião

    • Andre disse:

      Bem lembrado. A Honda é sempre recordada pelas décadas 80-90, mas última passagem deles nos anos 2000 foi muito longe de ser boa. Tanto que é o carro da BAR quando recebeu um motor Mercedes foi simplesmente imbatível. Lembro de uma entrevista do Barrichelo na época falando que o motor Mercedes era muito superior ao Honda. Na época a questão não era nem tanto a potência, mas a maneira como o carro entregava ela.

  25. Garlet disse:

    CG Bolinha é vermelha e 1981, tem que ser………………

  26. Dyego disse:

    Na passagem que teve até 2008 já falavam que o motor era um fiasco, tanto que quando Ross Brawn comprou a equipe e acertou com a Mercedes, coincidentemente ou não, os resultados vieram.

    • Luciano Adjafre disse:

      Exatamente. Todo mundo lembra da Honda dos motores da década de 80 e início da década de 90, que contribuiu para um título de Piquet e os três de Senna, mas ninguém comenta da Honda da década de 2000, que forneceu motores para a BAR de 2000 a 2005 e de 2001 a 2002 para a Jordan, e até para a Super Aguri, de 2006 a 2008, sem nenhum brilho. Comprou, então, a estrutura da BAR e recriou sua equipe própria, a qual também teve uma curta trajetória desprovida de méritos, tendo como melhor marca o quarto lugar no Campeonato de Construtores de 2006. Ross Brawn comprou a equipe em 2009, pôs um motor Mercedes e um difusor duplo e foi campeão. Para mim, o problema estava no motor Honda, e não nos chassis ou nos pilotos.

  27. valter disse:

    Não fornece porque a MacLaren através de sua empresa de tecnologia vai constatar que os motores Mercedes fornecidos a Willians e Force India tem potencia inferior aos da equipe titular. A MacLaren desenvolveria uma eletronica superior e impossivel de ser controlada remotamente pela Mercedes com seus tecnicos que ficam naquelas salas cheias de computadores atrás dos boxes. Sim parece teoria da conspiraçao mas essa falcatrua da Mercedes ficou cabal quando na ultima prova de 2014 Massa com pneus em melhores condições não chegava no Hamilton que tinha pneus em frangalhos. O motor Mercedes da Willians de Massa era controlado remotamente para ter a potencia inibida.

    • luigi disse:

      Se eles são tão bons assim porque não melhoram o Honda onde é sabido que o problema é na parte eletrônica ou Hibrida ,pois no motor a combustão é receita de bolo ,e todo mundo já chegaram praticamente no limite que um motor V 6 pode debitar de potência e torque (todos com a mesma arquitetura ,fica muito dificíl um pulo do gato como a Porsche fez no W E C usando um V 4) . Lembre-se os engenheiros da Honda podem não ser os melhores mas também não são amadores e de motor ,propriamente dito eles entendem e muito. Melhor usar a lógica do que a paixão . Nos anos 50 as equipes colocavam quantos carros quisessem e a Mercedes em algumas provas correu até com 4 carros sento em pelo menos dois dele pilotos alemães muito bons ,e nem por isso foram ‘protegidos ” quem quase sempre ganhava era um argetinozinho coxo ,contra o mundo ,só que ele era muito melhor que os outros e tinha personalidade de vencedor . A Mercedes sempre teve a politica de que vença o melhor , nunca foi protetiva a este ou aquele , a grandeza da marca esta acima de qualquer bairrismo terceiro mundista. E o seu piloto Massa tem dificuldade para passar um Sauber ou Marussia com pilotos de meio a final de grid ,que dirá uma Mercedes com um Hamilton ,mesmo com pneus em frangalhos .isto é coisa para Verstappen , Riccardo ,Vettel ou Kimi ou qualquer outro piloto que seja macho o suficiente para encarar o homem ,o que não acho que seja o caso de Massa. Desculpe-me mas é o que tem demonstrado desde o acidente.

  28. TSC disse:

    Com um exemplo deste da poderosa Honda, qual a fábrica que vai encarar esta nova tecnologia na f1? Eles vão ter que mudar o tipo da força motriz para segurar a Honda e atrair novas montadoras! Agora pode comprar a CG que naquela época a Honda ainda não tinha queimado o filme, além de ser uma moto boa e confiável!

  29. Renato de Mello Machado disse:

    Poderia rolar, um casinho com a AlfaRomeo.O presidente da Ferrari,Já levantou esse assunto.A Marca AlfaRomeo, no lugar da Honda ali na carenagem e o trevo embaixo a esquerda da CNN.

    • Cristiano Azevedo disse:

      Seria uma heresia, moço. No fundo, seria Mclaren com motor ferrari. Alfa na F1, talvez se a Sauber estiver de graça ao fim da temporada. Mas, é muito gasto de um mesmo grupo numa única categoria.

  30. Formiga disse:

    Lembra da série de projetistas que foram contratados pela Honda na segunda metade dos anos 2000, que você dava em primeira mão aqui?Ainda devem estar lá.

    Pode recaptular!!!!

    O último motor bom da Honda foi o de 90, o de 91 o Renaut já era muito melhor, mas não tão confiável.

  31. Helton Fernandes disse:

    E aí? McLaren vai correr pra onde???
    Renault, acho que a Red Bull não deixaria e a equipe de fábrica, que quer voltar a ser grande tb não se interessaria pelo fornecimento. Ferrari nem pensar.
    A Porsche está fazendo híbridos pro 918 e pro 919 com bastrante sucesso. Pode ser o recomeço da parceria de 83 a 87?
    A Toyota tb está bem com os hibridos da LMP1.
    Cavocando bem a McLaren até consegue motores bons de fora da F1, mas seria um novo processo de desenvolvimento… Mais uns 2 anos de pé na lama.

  32. Murillo disse:

    É obvio que agora é fácil falar, mas eu tinha convicção que não daria certo esta volta da Honda pra F1.

    Quando a Honda voltou o pessoal ficou com saudosismo falando da década de 80/90, mas se esqueceram que na sua ultima passagem pela F1 um dos principais problemas da Honda já era o Motor.

    Lembro de ter lido em algum lugar que o Ross Brawn falava para as pessoas mais próximas dele que ele dava Graças a Deus de a Honda ter abandonado ele na temporada de 2009 porque ele sabia que tinha feito um bom carro, mas não tinha um bom motor(Honda), então quando a Honda o deixou ele conseguiu o Motor Mercedes o carro(BRAWN) ficou perfeito.

  33. Eltontoptec disse:

    A CG pode comprar de boa.

  34. Carlos Pereira disse:

    Se a informação proceder, pode ter certeza: Alonso joga a toalha antes do final do ano.

Deixe uma resposta para Artur Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>