MENU

sábado, 15 de abril de 2017 - 15:09Automobilismo internacional, Foto do dia

FOTO DO DIA

SÃO PAULO (parabéns etc.) – Primeiro, a imagem, que é disso que trata esta seção: Pietro Fittipaldi no alto do pódio em Silverstone, ele que ganhou agora há pouco a primeira etapa da World Series/Fórmula V8 na temporada.

Parabéns ao neto do Emerson, vitória é vitória.

pietrofitiv8

Agora, algumas ponderações. Esta categoria vive um momento de baixa no universo do automobilismo, depois que a Renault tirou seu nome do campeonato, no fim de 2015. Para se ter uma ideia, Pietro, que fez a pole para as duas provas da rodada dupla de Silverstone, teve apenas 11 adversários na primeira corrida. Na classificação, eram 11. Um deles não obteve tempo para largar e outro nem andou. A prova, portanto, deveria ter meros dez carros no grid. Acabaram liberando para os 12 correrem.

No segundo treino, que já definiu o grid de amanhã,os 12 treinaram — com pista molhada. Dois deles ficaram de fora, e também seriam apenas dez na largada. Mas devem permitir que todos participem. Ou seja: é um campeonato fraco, com pouca gente correndo, que vem perdendo relevância desde o ano passado, sem a presença da montadora francesa como promotora. A temporada de 2016 teve, em média, 15 carros no grid por etapa.

Pietro está no seu segundo ano na categoria. Nascido em Miami, faz 21 anos em junho. Ficou em décimo na última temporada, com 59 pontos e um terceiro lugar como melhor resultado em 18 corridas. O francês Tom Dillmann foi o campeão com 237 pontos. Não tem, portanto, nada desse papo de “rumo à F-1″ que já andei lendo por aí. Ninguém mais leva a World Series muito a sério. Basta ver a lista dos que dela participaram no ano passado -- está aqui. Ninguém chegou a lugar algum, inclusive o campeão.

Apesar disso, vale o registro — que está no próprio site da categoria — de quanta gente boa passou por ela quando Nissan e Renault (que são a mesma coisa) investiam pesado. Nada menos do que 25 pilotos que passaram pela World Series by Nissan e depois by Renault chegaram à F-1 desde 1998, e o pessoal que assumiu o campeonato tenta vender esse peixe para os incautos.

Não é mentira, a história dos 25 que chegaram lá. Entre eles estão Gené, Alonso, Zonta, Kovalainen, Kubica, Maldonado, Vettel, Alguersuari, Vergne, Bianchi, Magnussen, Sainz Jr. e Ricciardo — veja a lista completa neste link, rolando a página até uma galeria de fotos com o título “Road to glory: the hall of fame”.

Só que eram outros tempos, e ninguém deve se deixar enganar. Afirmar que a atual World Series vai levar alguém à F-1 é o mesmo que dizer que a Fórmula Vee do Campeonato Paulista fará de alguém campeão mundial porque Nelson Piquet correu de Super Vê nos anos 70.

Sendo assim, devagar com o andor. Pietro está brincando de correr de carro, e já faz algum tempo. Nada contra, cada um faz o que quer. Mas cabe a nós, jornalistas, mostrar a vida como ela é.

27 comentários

  1. Alberto disse:

    Voces queriam que o Flávio dissesse que o cara é bom porque é vencedor de provas na Europa?
    O que ele colocou é uma questão de realidade! Campeonato com 10 carros não diz nada, ainda mais quando o menino não tem grandes resultados.anteriores.
    O Flávio não disse que o cara é ruim, que nunca vencerá na F-1 ou outras previsões assim, apenas disse que um campeonato como esse não prova nada a ninguém.
    Poderá ter grandes resultados? Claro! Mas ainda não tem, foi só isso que o Flavio disse.
    Agora se preferem o jornalismo ufanista, irreal que quer de qualquer forma fabricar um novo grande piloto brasileiro, ok, não faltam publicações desse género

  2. Riba disse:

    Flavio, meus parabéns, escreveu a verdade , só não entende quem não quer. Pietro quando foi para europa sempre se destacava mais pela baixa qualidade da concorrência que suas qualidades técnicas. Ele foi campeão da formula Renault 1.6 inglesa em 2014 a categoria também estava decadente e não tenho certeza Pietro foi o ultimo campeão. Na F3 europeia em 2015 ele terminou em 17º no campeonato, a categoria ficou forte com o anuncio de Verstappen para Formula 1 atraindo uma forte concorrência por isso ele não se destacou. quando anunciaram que faria a formula V8 em 2016 estranhou-se tão baixo resultado na F3 e sobe de categoria Esta claro que o Staff do menino optou pela categoria por causa da baixa concorrência seria mais fácil conseguir a pontuação da super licença. Pietro se for campeão terá 36 pontos 35 pelo titulo e 1 pelo 10ºlugar do ano passado. Então ele não estrearia na F1 em 2018. A FIA exige 40 pontos nas 3 ultimas temporadas pelo que entendi. Eu acho que somente em 2019 saberemos se ele evoluiu ou se vai ser mais um a ficar pelo caminho.

  3. Valerio disse:

    Texto honesto.como deve ser.

  4. RecrutaZero disse:

    Mas afinal, o menino é brasileiro ou americano, será que ele sabe pelo menos o nome do último presidente brasileiro eleito de forma legítima pelo voto democrático e vítima de um golpe articulado pelas elites. e apoiado pelos marionetes coxinhas?

    • Carlos disse:

      Tu deves ser um daqueles chatos que sempre acha um jeito de colocar política no meio das conversas.

      Não estou aqui defendendo “o golpe” ou a nossa “legítima presidenta Dilma” só acho que tem lugar p tudo, e a aqui a parada é sobre carros.

      Vai chorar em outra freguesia mano!

  5. Zé Maria disse:

    (Chovendo no Molhado)
    Parabéns, FG!
    Em meio ao tsunami de áulicos desinformados ufanistas sem noção de plantão, jornalistas “especializados” inclusos, você é talvez a única voz ponderada a discorrer sobre a “façanha” do dito cujo.
    Gente, peraí!
    Devagar com o andor, que o santo é de barro!
    Zé Maria

  6. Roberto Biersan disse:

    Não entendo você Flavio. Porque desmerecer a vitoria do garoto enaltecendo os pontos negativos que a categoria vem passando. Você deve falar que ele dominou os trabalhos desde os treinos livres, fez a pole, venceu de ponta a ponta. Os problemas da World Series não é culpa dele.
    Você enumerando esses problemas, so tira o mérito do próprio Pietro. Esse é o problema de nós brasileiros.
    Enquanto os pilotos de outros países tem apoio por parte da mídia, mesmo quando chegam em decimo, a midia brasileira procura algo pra falar mal mesmo quando os resultados são positivos. Foi isso que aconteceu com a Copesucar inclusive. A própria mídia fez a equipe acabar.

    Agora se for pra falar mal de alguma categoria, porque não apontar o dedo para a própria feriada hein? A Formula Inter que seria uma especie de categoria base após o kart vem sendo um fracasso e ninguém fala disso aqui. Categoria foi criada basicamente para o divertimento dos filhos do criador e para que pessoas endinheiradas tenham a chance de pilotar um formula. Cade os jovens?? Cade os kartistas recém formados?
    Vão falar que falta apoio por parte de CBA e das empresas. Mas me responda, que empresa apoia uma categoria dita para novos talentos onde a maioria dos pilotos ja passou dos 27 anos. Isso vai de contramão ao conceito da F-Inter. E que empresa patrocina um evento que mal mal consegue colocar um site no ar (vive caindo e é esteticamente amador)e fazer um divulgação minimamente descente.

    • Flavio Gomes disse:

      Primeiro: função de jornalista não é dar apoio. Segundo: se tem algo a falar sobre a Fórmula Inter, diga aos organizadores do campeonato e da categoria. Não sou um deles.

      • Guilherme Souza disse:

        Não é questão de apoiar ou não FG. Eu concordo com o cidadão. Vc salientou tantos os pontos negativos da categoria que parecesse que o Pietro ganhou por sorte ou por falta de concorrentes.

        E essa questão da F-Inter, acho que ele confundiu pelo fato de vcs do GP estarem dando o apoio inicial a categoria

      • Flavio Gomes disse:

        Meu filho, eu preciso falar a verdade. Campeonato de dez carros não leva ninguém a lugar nenhum. Ponto. Quanto à F-Inter, é uma tentativa de se fazer algo pelo automobilismo nacional. O dono não está enganando ninguém.

      • Guilherme Souza disse:

        Sim sim. Campeonatos com menos de 15 carros ficam difíceis de ser parametrizados. Ainda mais quando 10 pontuam. Sendo que nesses certames, nas primeiras voltas costumam ficar uns 5 de fora. Como na F3 brasileira

  7. Fabiano disse:

    Parabéns Flavio, os que realmente são brasileiros e tentam realmente construir uma carreira de verdade no automobilismo agradecem…

    Vale ressaltar ainda que, usar a bandeira do Brasil porque é neto de brasileiro famoso e porque assim pode conseguir patrocínios via Lei de Incentivo ao Esporte financiada pelo Governo Federal, não vale! Deveriam puxar a certidão de nascimento do garoto e de seu irmão menor inclusive e entregar duas bandeiras americanas pra eles, nem português direito devem falar.

    Diga-se que isso têm sido prejudicial à toda a base, pelos rôlos em que estão metidos com isso.

  8. Chupez Alonso disse:

    Se essa categoria não leva ninguém a nada, o que dizer da F3 que roda 4s mais lenta?

  9. Aderson disse:

    Eu acho q o Pietro vai chegar a F1 sim. Pode não ser pelos resultados mas pela ajuda genero$a do Carlos $lim.

  10. Marcelo D. disse:

    Enfim… é o netinho do vovô brincando.

  11. Pedro Gomes disse:

    Ganhou do reserva da Force India, pelo menos

  12. Alvaro Ferreira disse:

    É verdade, essa categoria vem ladeira abaixo. A renovação de pilotos, aqui no Brasil, deixou de existir. Obra de uma CBA incompetente, para dizer o mínimo.
    Agora, surpreendente é a performance do Pedro Piquet na F3. Foi fraca no ano passado, está desastrosa esse ano. A família está lá em Silverstone, Nelsão inclusive, mas a coisa tá constrangedora. Ou troca de equipe, sei lá, ou muda de hobby, porque chegar em penúltimo, a mais de um minuto do vencedor, fica feio…

    • Pedro disse:

      Estou embasbacado. No primeiro ano ainda tem a desculpa de adaptação e tal…mas agora nada justifica. Acho que o garoto não é do ramo. Piloto bom , nível F1, chega e mostra as credenciais. Como o Lando Norris fez.

  13. valter disse:

    Quanto azedume.

  14. Emmanuel disse:

    Caro Flávio, só para constar:
    1-Eu assisti a prova no FOX Sports, e tinham 12 carros na largada, e não 10 como vc afirmou.
    2-Pietro ainda tem 20 anos e fará 21 agora em junho

  15. Thiago disse:

    Isso vem de encontro ao que você vem falando já faz algum tempo: “Carro SAIU de moda”. E corrida de carro então… Nem se fala. Infelizmente.

    • Edison disse:

      Thiago,
      Como vc escreve “isso vem de encontro” no blog do “melhor texto do Brasil”? Caso concorde realmente com ele, escreve “isso vem ao encontro”. Agora vou refugiar-me na minha trincheira porque sei que vem fogo de PK de encontro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>