MENU

terça-feira, 30 de maio de 2017 - 19:14F-1

EXAGERO

SÃO PAULO (se lambuzam) – Estou com Alonso. Se os caras da Liberty, que estão indo muito bem, resolverem fazer uma temporada de 25 corridas, vão começar a estragar tudo. O espanhol disse que se aposenta. “Quando comecei, eram 16. Agora são 20″, falou. O problema maior, além do evidente esgotamento para quem trabalha efetivamente nos GPs, é banalizar a coisa — falo do ponto de vista do público. Quando começa a ter corrida toda hora, elas começam a perder peso. Melhor, mesmo, ir devagar.

Aliás, esse negócio de aumentar demais o calendário e começar a correr longe de tudo foi o que acabou sendo decisivo para que, por exemplo, eu parasse de viajar. Quando comecei, 1988, a gente saía da Europa para ir ao Japão e à Austrália. Nas Américas, tinha Canadá, México e Brasil. Às vezes EUA, às vezes Argentina. Mas aí começou… Malásia, Bahrein, China, Turquia, Índia, Rússia, Coreia do Sul, Abu Dhabi, Cingapura, Azerbaijão… Nada, pessoalmente, contra país algum. Gosto de conhecer lugares novos, isso não incomoda. Mas certos sítios nada tinham — e nada têm — a ver com automobilismo e foram incluídos no calendário franca e unicamente por dinheiro. E para entrar alguém, tem de sair outro alguém. Assim que, nos últimos anos, perdemos Imola, Estoril, Paul Ricard, Magny-Cours, Jerez, Nürburgring, Buenos Aires, Kyalami, Hockenheim, Donington, pistas históricas e maravilhosas, com tradição e torcedores mais apaixonados que endinheirados. Comecei a ficar irritado com algumas corridas. E resolvi tomar outro rumo.

Quanto a El Fodón del Ovalón, o futuro a alguém pertence. Ele não fica na McLaren se as coisas continuarem como estão, e tudo indica que continuarão. Já se lançou candidato a Mercedes e Renault. Só descartou a Red Bull por conta da política da marca, de usar pilotos jovens.

Para onde vai Alonso é pergunta que vai nos perseguir ao longo do segundo semestre.

30 comentários

  1. Uma corrida onde o vencedor foi Takuma Sato???? O Alonso um gigante????
    Oras bolas…..como diria o Zampa!!! Tenha a paciência….
    Abraço.

  2. Wanderson Marçal disse:

    A parte mais legal dos comentários é que os fãs hardcore querem corridas todo Domingo. Só que eles não percebem que são minoria e que a F1 não é feita de fã hardcore. 16 corridas por ano é o mais razoável. Facilita para fãs acompanharem os treinos, não vai bater tanto com jogos de futebol — a F1 vive batendo agora com jogos na Inglaterra, que são realizados mais cedo por conta do mercado chinês — e diminui os custos. O fã hardcore que procure outra categoria pra assistir e matar um pouco a saudade — que é saudável, aliás — da F1 enquanto ela não está crrendo.

  3. Thiago Brasil disse:

    A Renault fez uma evolução importante do ano passado pra cá, embora ainda falte consistência. Como eles tem planos grandes no médio prazo, a tentativa do Sainz ano passado e o rumor do Perez agora parecem fazer mais sentido. Por outro lado, se derem mais um passo, entram na zona de briga como 4ª força, e certamente o potencial de ascensão deles em dois ou três anos é maior que o da Force India ou da Williams. E o Hulk parece não se importar com o companheiro que seja.

    Mercedes, só se desistirem do Lewis por qualquer motivo, e pro lugar dele não ir o Vettel (o que é bem possível, uma vez feliz na Ferrari pode bem ser que ele fique por mais tempo lá).

    Ferrari: Kimi não deve continuar, mas pra ser companheiro do Seb sei não…seria uma dupla incrível, mas não é tradição da Ferrari.

    Red Bull tem seus pilotos crescidos em casa, e realmente não precisa trazer alguém de fora.

    O que não sabemos é o que times e empresários costuram longe das vistas gerais. De repente ele sair dizendo que pode ter opções fora é uma sinalização diferente…vai saber.

    Como vários contratos encerram esse ano e ano que vem, não dou até julho pra começar a especulação braba.

  4. João Ferreira disse:

    Seria bem bacana ter um calendário com 25 corridas, mas sendo nestas pistas chatas de hoje em dia, é preferível ficar nas 20 provas, que já tá bom.

    Queria que voltasse alguma pista na França, que tal Le Mans?

    Agora, imagina voltar Imola, Donington, Jerez e Portugal? Nossa!!!

    Eu nunca entendi direito a logística deste calendário da Formula 1, começa na Oceania, vai na Asia, vai na Europa, vai para América, volta para Asia, América e de novo Asia….

    Acho que para enxugar estes custos de viagem, podiam fazer um continente por vez, tudo junto, assim fica possível até acompanhar a categoria.

  5. Cranio disse:

    Cara… Acho que o Alonso é pé frio mesmo… Bastou ele sair da Ferrari e ela está andando na ponta… Se ele sair da McLaren, é capaz dela começar a andar bem também…

    Agora, ir pra Renault, não fará o Alonso voltar a ser campeão. Sua única chance hoje seria correr na Mercedes ou na Red Bull, o que duvido muito que aconteça.

    Conclusão… Vai correr na Indy logo! Ele pode conseguir mais do que hoje correndo pela F1 e quem sabe descolar a tríplice coroa posteriormente, que ele já disse perseguir.

  6. Rafael Z disse:

    O que não entendo e nunca li em lugar algum é porque nao fazer corridas a cada 2 anos em pistas de menor relevância. Em 20 etapas por ano deveria se usar 10 praças fixas e outras 20 praças intercaladas ano sim, ano não. Pistas de mais tradição como SPA, Monaco, SIlverstone se mantém no ano a ano. Deste modo o próprio evento seria valorizado quando fosse na Malásia, por exemplo. O pessoal terá mais vontade de ir à pista pois sabe que só terá corrida novamente em 2 anos…Fica bom pra todo mundo.

  7. BRUNO CARDOSO disse:

    Como fã do esporte, não vejo atrativos em uma temporada com 25 etapas. A não ser que em algumas provas tivéssemos 02 baterias, uma no sábado e outra no domingo, sendo a segunda delas com grid invertido até a décima posição. Mas é apenas a minha opinião.

  8. Garlet disse:

    Frase do ano : “Não foi como outros companheiros seus na F1 que fizeram alguns comentários neste mês, mas… o que dizer, o cara competiu em um Mundial de dois carros no ano passado e terminou em segundo, de modo que não acho que possa dizer muito sobre ele”, Kanaan sobre o que Hamilton falou sobre Alonso sobre a Indy. O Hamilton ta fumando maconha demais.

  9. Marco Cordobe disse:

    Bom dia!
    Flavio, acho que não foi somente vc que parou de cobrir corridas, ao vivo, quando estas foram pra depois de onde Judas perdeu as botas. Além de tudo, nuns horários, prá nós pobres mortais dependentes da Rede Globo, que Deus me livre. Deixaram de lado o berço do automobilismo, leia-se Europa, pra ganhar dinheiro e esquecer a paixão dos torcedores. Vc citou várias pistas e ainda tem Brands Hatch(é assim que se escreve??)…
    Quanto a Alonso, se não parar, acho que volta pra Renault, mesmo sabendo que ainda terá muito por fazer pra equipe crescer e voltar a figurar como uma das grandes.
    Mais corridas no calendário? Putz, tá ficando banal a F1.
    Abraços e sorte

  10. Estevão Busato disse:

    A propósito de Fernando Alonso, muito simpática esta entrevista concedida ao repórter Tony Kanaan em um evendo pré-Indy 500…
    https://www.youtube.com/watch?v=hj9SyKOokJs
    Abraços!

  11. hermann disse:

    Acho que vai se aposentar!!!

  12. Bruno Abila disse:

    Tomara que o Alonso mude de equipe. Já desisti da Mclaren-Honda. Até na Indy eles estavam abrinco o bico. Aposto no Alonso de Renault, e mais, acho que os franceses tem competência para ter um carro melhor em 2018.

  13. Antonini disse:

    A Nascar tem 36 etapas por ano e faz um mega sucesso, autodromos lotados e uma enorme audiência na TV. Com isso conseguem muita mais espaço na mídia. Acho que F1 tem que ser assim ou que nem futebol, ter competição todo final de semana. Claro que se deve ajustar estruturas e custos para isso, mas para o Fã, quanto mais melhor! Abs

    • Wanderson Marçal disse:

      A Nascar é uma categoria americana. E nos EUA não tem futebol todo Domingo. Se a F1 adotar calendário expandido, virará mais e mais uma categoria de nicho. Menos, nesse caso, é mais.

  14. Mario disse:

    Fala Flávio, concordo contigo. É um absurdo esse calendário com pistas em lugares bizarros. A corrida do Arzebaijao foi uma das piores que já vi, nao tem nada a ver com Formula 1 aquilo. O mesmo quando teve a corrida de rua em Valência. Já temos circuitos de sobra, e, onde realmente há público.
    Outra coisa que gostaria de comentar é em relacao aos precos para os ingressos do GP Brasil. Vou voltar a morar no país em Outubro e queria ver a corrida, mas nao vai rolar. Os precos sao obscenos, mais caros do que de todos os GPs que já fui (Austria, Belgica, Italia, Japao e Hungria). 580 para sentar no setor G chega a ser brincadeira. melhor pagar 350 reais para sentar na Genreal Admission na Austria, coisa mais linda. Outra coisa que achei interessante: no site em inglês do GP Brasil nao vende ingresso para Setor G. Porque será?
    Abracos

  15. Gilberto H disse:

    16 corridas dá para assistir (e lembrar de…) todas. 20 já é obrigatório não ver todos os treinos e tenho sempre que perder 1 ou 2 no ano ao vivo, além de requerer mais esforço. 25 já vou perder ainda mais, dificilmente vai dar para acompanhar tudo. E olha que sou fanático. ALO está certo. Banaliza. É importante ter aquele tempo de ficar com saudades a ponto de ficar acelerando liquidificador…

  16. Gabriel P. disse:

    Se for para Renault é porque desistiu de ser campeão e se desistiu melhor ficar na Mc Laren mesmo ou ir para Indy de vez.
    Exceto Monaco, se as corridas são chatas é por culpa dos pilotos que não são arrojados o suficiente ou dos carros que lhes permiti isso, culpar os circuitos é como culpar a chuva por uma corrida ruim. Ou seja é igual para todos.
    Por mim teria F1 todo fim de semana, mas como não sou eu que tenho o trabalho…..
    Agora, o roteiro poderia mesmo ser melhor e agrupar corridas por regiões e não indo e voltando a Europa ou Asia.

  17. Roderico disse:

    Se eu fosse um dos promotores da F-E, abriria os cofres pra ter o Alonso na categoria. Olha o que esse cara já fez com a audiência da Indy.

    Aproveitando o espaço, acho demais essa coisa de pilotos de peso fazerem aparições pontuais em outras categorias, como por exemplo o Alonso na Indy, Villeneuve na Stock Car, etc. Imagina se a moda pega? Seria incrível ver, por exemplo, Tony Kanaan disputando uma prova da F1, Vettel correndo Le Mans ou ainda umas loucuras “marketeiras” como Valentino Rossi em uma etapa da Indy.

  18. José disse:

    Não vai me surpreender se der uma “louqueada” a for pra indy…

  19. Marcelo R. disse:

    A princípio deve ir pra Renault, mas se a coisa continuar do jeito que está na Mercedes com Hamilton perdido acho que há uma considerável chance dele ir parar na esquadra alemã.

    Lembro de uma observação feita pelo Max Wilson numa transmissão do SporTV onde ele disse que um piloto quando pega um carro ruim aprende muito porque ele sempre tem de descobrir onde está e como superar o problema e que no caso do Alonso que já sabe muito, esses anos na McLaren devem ter feito ele guiar ainda melhor.

    Note-se, nem Button (que dou um desconto porque só correu esse final de semana) nem Vandoorne sequer conseguiram chegar perto do que o Espanhol fez no circuito da Catalunha, isso porque o circuito de Mônaco é muito melhor para a Mclaren do que o do GP da Espanha.

    Se ele for, Bottas irá substituí-lo na McLaren.

  20. Pangaré 14 disse:

    Eu acho que ele vai para casa e se arriscando a chegar em segundo.

  21. Alexei disse:

    Se eu fosse Alonso, desencanava da F1 e ia me divertir correndo de Indy, WEC, outras coisas.

  22. Paulo disse:

    A motoGP é um bom indício de como poderia ser esse calendário da F1.

    Sobre o Alonso, só vejo a Renault como opção para ele, ou melhor uma equipe que o queira caso saia mesmo da Mclaren…

    A Mercedes não vai contrata lo, eles já tem o Hamilton e sabem que os dois juntos não iria funcionar.

    Se em 2007 o Kimi conseguiu se aproveitar do entrevero entre os dois, imagina o Vettel..

    Infelizmente pela sua personalidade nada agregadora e claro péssimas decisões que tomou na carreira, há uma boa chance dele não voltar a vencer na F1

    • Angelo disse:

      Aquele 2007 foi bastante complicado dentro da Mclarem, os pilotos já sabiam da espionagem dentro da Ferrari (os tais e-mails onde os pilotos discutiam o que foi descoberto da rival)… Ninguém ali era santo, acabou o Alonso ali taxado de desordeiro, porque não aceitou abaixar a cabeça.
      Outra, quanto ao título ter caído no colo do Kimi, para mim essa foi a versão oficial somente. Ao meu ver, a versão real foi: 1- Mclarem já foi para a última corrida com a certeza de que estaria zerada de pontos, além da multa de 100 milhões de Euros (ela era a primeira colocada do mundial, multa + perda da premiação = penalidade de mais 1 bilhão de reais).
      2- Dado ao fato acima, que não tem como ser interpretado diferente, vamos ao ponto subjetivo: de que simplesmente não poderia haver um campeão do mundial de pilotos pela Mclarem. Imagina a pressão que a Ferrari não fez alegando que os pilotos foram beneficiados da espionagem também…
      Para que o show não ficasse feio, e o título fosse decidido antes da corrida, fizeram aquele esquema de jogar o Hamilton para o fundo do grid (o carro dele caiu em ponto morto já em velocidade, ficando bonzinho logo depois).
      Resumindo, esse papo de que o Hamilton não funciona junto do Alonso é balela. Valendo título, o Hamilton não funciona contra qualquer um que o supere e o Alonso idem =. Basta ter um chefe pulso forte que seguraria a rivalidade dentro do razoável, só não podia ser um cara parcial e sem moral como o Ron Dennis foi em 2007.

  23. Celio ferreira disse:

    Discordo FG : como disse o Burti , na transmissão de domingo, nos tempos
    que os treinos eram livres, os pilotos , trabalhavam 3 vezês mais que agora,
    portantos 4 corridas a mais , não é nada. O que trecisa é ter um intinerário
    melhor, ex: porque sair de Mônaco e ir para o Canada. Deveria ser por região:
    Austrália e Asia. depois Europa, depois as Americas , terminando em Dubai
    Com a proximidade dos países teriamos 2 fins de semanas com corridas e um não.,
    respeitando as ferias de agôsto .

    • LeandroFMorais disse:

      Célio, Para mim corrida nunca e demais, e me da abstinência esses períodos sem corrida, Acho que foi exato com a parte do intinerário ser completamente imbecil e sempre pensei nisso. Se ajeitar direito, temos corridas todo final de semana, de tal forma a não ficar tão cansativo pra eles. Coloca uma folga de sei lá…1 mês no meio da temporada e pronto. É tudo questão de saber gerir. No Final, todo mundo ganha.

    • Moy disse:

      É isso! Proximo tópico.

  24. Wanderson Marçal disse:

    O automobilismo em geral é um esporte bem capitalista embora eu ache a F1 do Bernie quase aristocrática, mas a grande tragédia da coisa sempre é a ganância. A Fórmula 1 com 16 corridas sendo a maioria na Europa e com transmissão em tevê aberta atingiu o ápice de popularidade. Mas a ganância falou mais alto e começaram a rumar a países cuja lavagem de dinheiro é muito mais fácil e abundante — um dos motivos, aliás, da Alemanha estar sem GP. Hoje o calendário é inchado, repleto de corridas insossas, tilkódromos e, como você disse, com corridas com peso menor.

    A Indy/Cart a mesma coisa. No tempo do Mansell tinha 16 provas e nos anos 2000 tinha 20. Com provas em circuitos próximos, dividindo público das mesmas praças etc. E sem aporte das montadoras e os donos das equipes embolsando muita grana, mas sem reinvestir a categoria quebrou.

    Enfim, às vezes menos é mais e a F1 que o Max Mosley vislumbrava, com menos envolvimento direto de montadoras (que reduziria custos) e mais corridas na Europa, era o cenário ideal. Além de voltar a ter transmissão na tv aberta.

  25. Helton Fernandes disse:

    Vai pra Renault. Já estão fritando o Palmer por lá.
    Pouco provável que tenham um carro campeão no ano que vem, mas, sem dúvida muito melhor que McLaren com motor Honda…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>