MENU

domingo, 18 de junho de 2017 - 23:34Automobilismo internacional, FOX, Imprensa

NÃO MUDA NADA

RIO (dá uma preguiça…) – O Fox Sports transmitiu os treinos para as 24 Horas de Le Mans. Fez a largada e as primeiras horas ao vivo, no sábado. À noite, nova entrada ao vivo com mais algumas horas de corrida. Na manhã de domingo, idem, até a bandeira quadriculada para o Porsche #2 em uma corrida emocionante e surpreendente.

Para essa transmissão, o canal — onde também trabalho — escalou o narrador Hamilton Rodrigues e o comentarista Rodrigo Mattar. Também participaram, no turno da noite, Thiago Alves e Edgard Mello Filho.

Todos se prepararam para a cobertura do evento com o profissionalismo de sempre. Inclusive, não foi a primeira edição das 24 Horas que transmitimos. A gente entende do riscado.

Mattar é um obcecado por corridas de endurance. E um profundo conhecedor do WEC e das coisas de Le Mans. Lê, pesquisa, entrevista, apura. Falo dele em particular porque sua paixão pela categoria é comovente. E a quantidade de informações que tem, impressionante. É só ver o trabalho que fez em seu blog “A Mil por Hora” nas últimas semanas. O desgraçado, além de tudo, escreve bem pacas.

Conseguir encaixar tantas horas de automobilismo em canais que dedicam seu tempo quase todo a futebol é uma vitória. Um negócio legal, resultado de esforços coletivos que rompem obstáculos, quebram tabus, desafiam a lógica editorial que define escolhas num país mono-esportivo como o Brasil.

Imagino que todo mundo que gosta de automobilismo deve ter ficado feliz com a decisão da Fox de mostrar Le Mans. Eu achei o máximo.

Aí, ontem pela manhã, pouco depois da largada, pipoca no Twitter de Lucas di Grassi a seguinte postagem:

tuitadalucas

Uau. Eu vi na hora, porque sigo o perfil do piloto — como de tantos outros, e de equipes, e de categorias, e de jornalistas. Twitter é uma ótima ferramenta de informação instantânea. E muitas notícias são dadas em primeira mão através dele, pelas próprias fontes de informação. De todas, é a que mais gosto e a que considero mais útil. Sabiam que a captura de Bin Laden foi tuitada por um vizinho da casa onde ele se escondia no Paquistão? Foi demais, aquilo!

Bem, não se trata de corporativismo o que farei nas linhas abaixo, uma defesa dos colegas que, naquela hora, estavam fazendo a transmissão — Hamilton e Rodrigo.

O cara, e qualquer um, pode achar o que bem entender de uma cobertura jornalística. E pode se expressar da maneira que quiser. A gente, da imprensa, recebe xingamentos, críticas, ofensas pessoais, tolices, patacoadas, asneiras e gabolices de leitores/ouvintes/telespectadores o tempo todo. Ainda mais depois que inventaram as redes sociais e a tal de interação. Faz parte do ofício.

Essa tuitada aí é apenas mais uma.

Daí que minha primeira reação foi a mesma que tenho quando me deparo com postagens como essa que pululam aos borbotões: nossa, que babaca.

Mas não porque o tom era crítico, nem porque tinha vindo de quem veio. Em geral, bato o olho primeiro no teor do que pinga na minha “timeline”, e depois é que vou procurar saber quem escreveu.

Minha reação foi “nossa, que babaca”, porque o julgamento do autor era, de fato, tacanho. A transmissão estava ótima, repleta de informações, dados, histórias, graça, bom humor, narração precisa, comentários pertinentes, qualidade acima da média pelo perfil profissional de quem estava com o microfone na cabine.

Como disse, lidamos com néscios o tempo todo. Seria apenas mais, um, mas quando vi quem era, tive uma segunda reação: nossa, por que será que ele foi tão babaca? Talvez a resposta esteja aqui, no comentário duro que o Bruno Vicaria postou em seu blog. Como dizia uma amiga minha querida nesses casos, não sei, sei lá.

Não esperamos, nós jornalistas, tratamento condescendente de ninguém quando entramos no ar. O público tem de ser exigente, mesmo. E quando falo em “público”, estou falando de todo mundo. Inclusive de pilotos. Lucas não deveria escrever o que escreveu porque somos jornalistas, podemos nos vingar, colocá-lo na geladeira, porque transmitimos a categoria que ele disputa e tem de puxar nosso saco? Foi babaca por isso?

Não.

Lucas não deveria escrever o que escreveu porque não é verdade que a transmissão tinha “pouco conhecimento técnico”. Lucas pode entender de carros. Pode ter enorme conhecimento técnico sobre o assunto. E tem, mesmo. Ainda bem, porque é a profissão dele. E é muito bom no que faz. Mas não entende picas de TV. Não tem conhecimento técnico sobre uma transmissão. Não conhece o perfil dos nossos telespectadores. Não tem ideia do tom que se deve adotar numa transmissão dessas. Não tem noção do trabalho que nós fazemos.

E vou além: é muito provável que nós saibamos muito mais do ofício dele, do que ele do nosso. Se me colocarem num carro de corrida, eu guio. Sei dirigir, não é talento tão especial assim, afinal — todo mundo dirige. Vou ser mais lento do que ele, claro, bem mais lento. Mas guio, se bobear posso até disputar uma corrida.

Mas se mandarem um piloto (ou jogador de futebol, ou tenista, ou surfista, ou halterofilista) narrar uma corrida inteira, pontuar comentários, empostar a voz, interagir com telespectadores, ler os textos publicitários, operar o equipamento de áudio e vídeo, tudo isso ao mesmo tempo, e depois escrever 100 linhas sobre aquilo que viu em dez minutos, não sai nada. Fumaça da cabeça do indigitado, talvez.

É óbvio. Cada um na sua.

Por saber disso, eu poderia rebater sua tuitada escrevendo: “Comentário com pouco conhecimento técnico. Se tiver alguma dúvida sobre como se faz TV, fico à disposição para qualquer pergunta”. Mas se o fizesse, teria sido tão deselegante e desnecessário quanto ele foi. Insisto: Lucas, e qualquer um, tem o direito de achar que somos péssimos. Não tem problema nenhum nisso. E tem todo o direito de se manifestar publicamente sobre o que considera uma deficiência daqueles que levam à TV informações sobre o esporte que pratica.

Da mesma forma, e agora falo em meu nome, apenas, tenho o direito de achar que seu comentário foi babaca. Ou, se o termo parece pesado, foi bobo, desnecessário, até deselegante com quem faz um trabalho tão sério e com tanta dedicação. E meus colegas, igualmente, têm o direito de achar o que quiserem daquilo que ele falou — e certamente cada um deles tem sua opinião.

O que garanto, e talvez nem fosse preciso porque temos, todos, uma história nesta profissão, é que esse episódio no fundo desimportante não mudará uma vírgula naquilo que viermos a falar de Lucas nas próximas transmissões. No caso, das corridas Fórmula E, o principal campeonato que disputa. Da corrida de Le Mans ele não participou, porque machucou o pé jogando bola e foi vetado pelos médicos — embora tenha escrito no mesmo Twitter que “escolheu” correr em Berlim, o que não é verdade; foi vetado, mesmo.

O tom da narração e dos comentários será o mesmo de sempre, as avaliações e julgamentos de seu desempenho serão justas e técnicas, como são quando falamos de pilotos de qualquer nacionalidade, seja ele bonito ou feio, simpático ou antipático, alto ou baixo, gordo ou magro. Vamos continuar convidando-o para participar dos programas da casa, vamos continuar pedido a ele para gravar “selfies” para as edições especiais sobre a Fórmula E, vamos entrevistá-lo sempre que possível — suas entrevistas são ótimas –, o tratamento será idêntico ao que sempre foi.

Então, não muda absolutamente nada. Porque é assim que tem de ser.

Próximo assunto.

163 comentários

  1. Yeshua disse:

    Tenho 42 anos, acompanho automobilismo, desde os 5, Acompanhei parte da transmissão pela Fox e parte pelo streaming internacional do Grande Premio, que, salvo engano, foi da Autosprint. Achei a transmissão da Fox surpreendentemente boa, Acima da média. Não espetacular. Melhor do que o streaming. Não dá pra reclamar. Endurance não está no sangue do brasileiro, infelizmente. Sou fã do Lito Cavalcanti, desde os anos 90. Ter um piloto comentando ajuda na parte técnica. Di Grassi foi meio arrogante, sim. Mas é a opinião dele. No mundo de hoje, ninguém consegue lidar com opinião diversa do “senso comum”. E isto é chato paca. Se acharem que a crítica é construtiva, emulem. Se não, descartem. Simples assim. Existe um ditado antigo: “Não arrume briga com quem compra tinta em tóneis de madeira” – ou seja, a imprensa.

    • edubassan disse:

      Também achei um puta exagero. O cara devia estar aloprado em casa, tomando umas e vacilou. E daí?! Realmente, não muda nada. Apenas uma linha infeliz no Twitter como tantas outras. Meio desproporcional essa repercussão com textões. Achei chato essa posição do Grande Prêmio com o policial bom (FG, quem diria nesse papel…) e o policial mau (BV). Sentimento de corporativismo maquiado.

  2. celso disse:

    É um zé ruela (minúsculo mesmo) esse tal de lucas de grassi. O cara não tem nenhum título relevante em seu currículo que aliás só aparece na TV graças ao Fox Sports. CALA A BOCA Lucas.

  3. Alexandre disse:

    “Se me colocarem num carro de corrida, eu guio. Sei dirigir, não é talento tão especial assim, afinal — todo mundo dirige.”
    Nesta única frase, tu perdeu toda moral (se é que havia alguma) do texto. Desmerecer a profissão que você mesmo se diz apaixonado por é muito, muito baixo. Te digo mais, pilotar um carro de corrida em alto nível exige muito mais que ficar sentadinho numa cabine comentando sobre aquilo e escrever exige menos talento ainda.

  4. Roberto disse:

    Nunca tinha visto uma corrida de Endurance, acompanho outras modalidades de esporte a motor como MOtoGP e F1, mas assisti ao inicio e ao fim destas 24 Horas de Lans e nao senti falta de conhecimento do pessoal da narração e dos comentários nao, pelo contrário, fiquei impresionado com a riqueza de detalhes e conhecimentos dos narradores e comentaristas. Portanto acho que o Lucas Disgraça perdeu uma ótima chance de ficar sem digitar( calado).

  5. José Júlio C. Ramos disse:

    Pode estar procurando emprego, oferecendo seus “conhecimentos técnicos”.
    A transmissão estava muito boa com boas informações técnicas.
    Abç

  6. Brabham-5 disse:

    Pra mim, quem elogia demais (e torce por) esse DisGrassi é que não tem lá muito conhecimento técnico. kkkkkk

  7. Bruno disse:

    Eu gosto das opiniões do Flavio que são, geralmente muito mais honestas, diretas e inteligentes do que a maioria das coisas que lemos por aí.

    Essa discussão, porém, me parece ter um componente de corporativismo. Começo pelos pontos que concordo. 1) É claro que o Di Grassi foi um babaca. Se quisesse chamar os seguidores para comentar aspectos técnicos da corrida, poderia o fazer sem ofender ou desmerecer o trabalho de ninguém. 2) É claro também que os jornalistas e narradores estavam fazendo o melhor que se espera de um narrador de corrida que é, no fim, uma mistura de jornalismo e entretenimento. Do que adiantaria fazer uma cobertura de Le Mans dando palestras técnicas? Nem o Di Grassi assistiria. 3) Também é óbvio que pilotos são melhores pilotos que jornalistas e vice-versa.

    Agora onde as coisas ficam confusas. É mais difícil ser jornalista/narrador de corrida do que piloto? Por óbvio, não existe qualquer evidência prática disso, até porque é uma comparação esdruxula. O Flavio, pela experiencia que tem pilotando, pode ficar mais confiante pilotando do que outros jornalistas, mas isso não significa que pilotar é mais complexo ou menos complexo do que narrar corridas.

    Por fim, o ponto que não faz sentido e que suporta minha tese de corporativismo. O Flavio afirma que o comentário do Di Grassi foi babaca (e foi mesmo), porque o Di Grassi sabe ser piloto, não sabe ser narrador e, portanto não deveria diminuir todo o bom trabalho que a dupla de narradores da Fox Sports estava fazendo. Porém o próprio Flavio faz exatamente a mesma coisa em seu twitter recorrentemente. Já vi comentários similares do Flavio à respeito de temas que ele não conhece profundamente. Ele simplesmente deixa os comentários “DiGrassianos” lá no twitter diminuindo o trabalho de outra pessoa. Afinal, da mesma forma que o comentarista, na corrida, explica que fez um extenso trabalho de 12 dias para se preparar para aquele fim de semana, tem muita gente trabalhando em alguns temas por muito tempo (alguns passam duas décadas estudando e trabalhando com alguns temas como tratamento e política de drogas, controle de inflação e desenvolvimento econômico, direito processual e penal) e o Flavio simplesmente esculhamba tudo no twitter baseado na sua interpretação das coisas.

    O recado que você deu pro Di Grassi é perfeito, porém serve pra você também. Você sem dúvida sabe muito de jornalismo e é por isso que tem uma reputação tão boa e tantos seguidores fiéis (inclusive eu, que estou bloqueado la no seu twitter). Além disso, é claro que você, assim como o Di Grassi, e eu, devemos ter liberdade para dizer o que pensamos, porém devemos manter em mente que talvez exista na outra ponta de nossas críticas um cara que merece ser respeitado, que se dedicou muito e tem boas intenções. Quando a babaquice é direcionada as pessoas com quem temos familiaridade ou somos próximos, nos sentimos instigados a reconhecer o trabalho dessas pessoas e tentar diminuir o que enxergamos como injustiça. Se fazemos a mesma babaquice com pessoas diferentes em profissões diferentes estamos sendo corporativistas.
    Abraço

  8. Brabham-5 disse:

    Um comentário babaca de um piloto que SEMPRE se portou como um BABACA RESSENTIDO E ENCIUMADO.
    Imagino o tamanho do recalque desse DisGrassi quando ouvia os narradores/comentaristas dizendo que Nelsinho chegaria no pódio MAIS UMA VEZ.
    DisGrassi durante a transmissão da corrida deveria estar como um desejo de a explodir o mundo e depois a si mesmo.
    E depois, até a imprensa “não entende” o tamanho da rejeição que alguns pilotos e futebolistas despertam nos espectadores. E ainda nós é que somos acusado de “perseguidores” desses “coitados”, que nada mais são que imbecis!
    LUCAS Di Grassi, LUCÃO…Ninguém merece.

  9. Marques disse:

    Eu estava achando a transmissão um porre, mas não pelo conhecimento técnico ou falta de, mas sim pq acho o Rodrigo extremamente exagerado nas transmissões. Aquelas risadas forçadas e a tentativa incessante em tentar transformar tudo em espetacular são um saco. É assim na Nascar, e especialmente no WEC. Mas enfim, questão de gosto pessoal.
    O Lucas tem o direito de achar a transmissão fraca, e ele responde ao próprio Rodrigo o motivo dele dizer sobre a falta de conhecimento técnico. Se ele achou bem se manifestar sobre o assunto não vejo problema nenhum nisso, nem babaca, talvez ele devesse ter usado outro termo, sei lá. Próximo assunto, como vc mesmo disse.

  10. Luis disse:

    Assim como o Massa anda falando umas merdas por aí, o Di grassi entrou nessa também. Desnecessário. Uma emissora como a FOX jamais colocaria alguém despreparado para transmitir um evento. Na minha opinião, ele quis é aparecer e tanto você, quanto a galera que estava no ar, quanto o Bruno Vicaria, tem o total direito de cornetar ele também. Ele pediu, deu a cara a tapa, agora que apanhe.

  11. Czar disse:

    Não gosto muito da ideia de ficar comparando demais uma pessoa com a outra. Cada um tem o direito de ser o que quiser. Mas, vamos lá…

    Acho que já conhecemos um pouco do Nelsinho, principalmente depois da merda em Cingapura. Ficou exposto e teve que se desculpar em público. Ganhou fama de filhinho de papai e cabeça fraca. Além disso, sempre achei que o filho do tricampeão era um arrogante, bem merdinha.

    Por outro lado torci bastante para o Di Grassi nesta última década. Eu o julgava competente, articulado e o valorizava por não ter padrinho facilitando a sua vida.

    Porém, os depoimentos que ouvi nos últimos anos (inclusive este do Vicaria) revelando a verdadeira personalidade de Lucas foram me deixando cada vez mais desapontado.

    O tempo passa.

    Estamos vendo que um recolheu os cacos e vai se reconstruindo na vida. Enquanto isso o outro acha que já atingiu a plenitude da sabedoria.

    Nesta treta entre os dois vai ficando claro quem é quem.

  12. Vini disse:

    Vale destacar que o Di Grassi nunca foi campeão em categoria nenhuma do automobilismo, nem mesmo nas de base antes de chegar à F-1.

  13. Michael disse:

    Belos textos, o seu e do Bruno. Realmente, próximo assunto!

  14. Henrique Fernandes disse:

    Lucas di Grassi? Quem é Lucas di Grassi? kkkkkkkkkk! Ele conseguiu o que queria, pelo menos 5 minutos de fama na internet! Pq como piloto, ele sempre deixou a desejar! Passou pela F-1 sem fazer nada, ganhou alguma coisa na F-E, e o que mais? Mais nada!!! Vc não me representa, Di Grassi! A Fox me representa, a casa do Galo na Libertadores!

  15. Guilherme Sapia disse:

    Sou fã do canal, acho q estão à frente do concorrente direto por mérito mas tenho um comentário parecido ao do Lucas. Acho o Flavio Gomes muito ruim e a equipe q cobre automobilismo muito fraca. Podem entender bastante de TV e sendo assim deslocados para outros setores da emissora. Veja q Luciano Burti e Max Wilson dão show nas concorrentes com comentários que surpreendem e engrandecem nossa cultura do esporte. O fato é que sempre que assisto automobilismo na fox, fica aquela pulga atrás da orelha com alguns comentários e sendo assim por mais que entendam de TV, sem informação precisa não há jornalismo que se sustente. Parabéns em especial á equipe que cobre o futebol…fã de carteirinha…abco…

  16. Tiago Almeida disse:

    Eu acho que o comentário foi deselegante sim, poderia ter escrito de outra forma.
    Mas concordo, a transmissão a que ele se referia não estava tão boa, muita historinha (não referente a Le Mans) e realmente pouco comentário técnico.
    Estava assistindo a outra transmissão (em inglês) que estava muito melhor, foi como mudar do vinho pra água.
    Já a transmissão da manhã melhorou os padrões.
    Agora uma crítica minha: transmitir uma corrida de 24hrs em apenas 4Jr ou 6hr? Fala sério! É uma vitória pros padrões brasileiros, sim! Mas como fica quem acompanha tudo?
    Futebol não é desculpa, pois transmitiram WWE enquanto a corrida acontecia (e vocês perdiam o abandono da Toyota)!

  17. Vinicius disse:

    Se ele tinha tanto interesse em colocar seus conhecimentos técnicos à disposição do público, poderia ter telefonado para a Fox e se oferecido para participar da transmissão como convidado. Seria simpático e interessante.

  18. Michel Lauro disse:

    Assisti Le Mans pela Fox na tv , e assisti pela Fox americana e Eurosport (internet) , no período em que a Fox do Brasil não estava no ar. Não é para puxar o saco de ninguém, mas a transmissão do Brasil estava muito melhor, com muito mais informações e com muito menos intervalos comerciais. Eu não tinha visto o post do Di Grassi durante a corrida (só vi domingo a tarde). Por isso sábado de manhã fiquei sem entender o insistência do Mattar na transmissão em se desculpar por não agradar a todos ( na hora pensei em telespectadores chatos ), e fiquei mais surpreso com o Hamiltom mandando uma indireta exatamente assim ” Mattar vc não tem profissionalismo , profissionalismo tem o cara que vai jogar futebol com contrato assinado para pilotar e depois se machuca “. O Di Grassi já estava queimado na minha opinião quando ele jogou o carro para cima do Buemi na final da F-E em Londres, depois dessa de Le Mans , está bem mais.

  19. Jaques disse:

    Acredito que a fonte disso tenha sido a entrevista desleixada do Nelsinho Piquet, por telefone. Os comentaristas fizeram um ótimo trabalho. Num nível supremo, se comparado às apostas de pizza de outras emissoras…

  20. emerson disse:

    A verdade é que, fora nós apaixonados por automobilismo, ninguem está nem ai pro WEC. Perguntie pro meu sogro se ele tinha visto as 24 horas, ele respondeu: “nao sabia”. Dai vem os caras da Fox, tentando deixar o WEC assistivel, dando moral para os pilotos e PATROCINADORES e um piloto, INGRATO, faz um comentario destes. Se eu fosse patrocinador eu cancelava o contrato.

  21. WilliamC disse:

    Não é a primeira vez que vejo um comentário com ar arrogante desse piloto. Só o sigo no Face e teve certa vez ele comentado sobre um erro de um piloto e achei totalmente desnecessário, mostrando uma certa arrogância.

  22. R/T disse:

    antes achava o Di Grassi um babaca, agora, tenho certeza

    babaca, arrogante, se acha
    podia ter ficado quieto

    se fosse tudo isso tava na F1 ou tinha sido encaixado na Porsche

  23. Lucas di Grátis disse:

    Alivia aí galera…fui vice em todos os campeonatos que participei…até quando corri na Formula 1 fui segundo…na disputa com meu companheiro de equipe.

  24. Andre disse:

    Somados os tempos intermitentes, creio que devo ter acompanhado quase duas horas da transmissão. Achei bem legal, descontraída e informativa. Senti muita falta, inclusive aqui no site Grande Premio – e não desconsidero minha falta de paciência em procurar melhor, de informações básicas, por exemplo: diferenciação das categorias – quem corre o que? Acho que não custava uma tabela que informasse os competidores em cada categoria – MPM1, GT, GTPro e o escambau.
    No mais, parabéns pela cobertura!!!

  25. Paulo disse:

    Realmente o Di Grassi perdeu uma oportunidade de ficar quieto nota dez na resposta do Flavio Gomes. Deveria ser mas responsavel como profissional e nao ter ido jogar bola e queria ver o que ele faria nas 24 horas de lemans sem correr pela audi ia ser simplesmente mais um e levar pau de muitos outros pilotos.

  26. André Lima disse:

    Di Grassi… O mesmo que sempre culpou o Bruno Senna e o Nelsinho Piquet por não ter chances de chegar à fórmula 1 por boas equipes, por causa simplesmente do sobrenome famoso dos dois, e não ao talento de ambos… O mesmo que desenvolveu o carro da fórmula E, estava na equipe oficial da audi e perdeu pro Piquet que estava em uma equipe feita as pressas… E pra finalizar, a transmissão da fox foi de tirar o chapéu

  27. Celio ferreira disse:

    Não vou comentar a bobagem que o cara DISSE , E SIM elogiar a transmissão
    do pessoal da Fox, foi ótima e aciama de tudo muito profissional.

  28. Marcelo disse:

    Bem quem não tava feliz com a transmissão da FOX, era só apertar o botão SAP, ou acompanhar em HD no youtube. Simples…
    Na Nascar, sempre que está disponível eu aperto, pq o Thiago narrando é um saco. Ele é até esforçado, mas é a opção de quem está assistindo.
    A impressa pode reclamar quando critica piloto, técnico, jogador de futebol, juiz etc… que está tudo certo e fica de MIMIMI quando é criticada. Ta na hora de crescer também.

  29. Luciano Falkowski disse:

    “Ui, elas estão descontroladas!”

    Estranho que o escriba faz escárnio com algumas “tribos”, e aí é legal. Agora, quando ouve verdades duras, sobe nas tamancas igual aos demais.

    Aceite a crítica (que é válida!!!!!!!), e vida que segue. Use isso como impulso para melhorar. Pouco antes do tweet o narrador afirmou que “os carros agora ficariam todos juntos” devido a uma bandeira amarela em um trecho da pista. Aparentemente ele não sabia que nesses trechos, os carros devem apertar em um botão no volante que limita o carro a 80km/h, o que se anula logo após o término desse setor. Ou seja: os carros mantém as distâncias “originais”. Ninguém chega mais perto. A única chance de benefício nessa questão é se o cara faz um pit em um momento de amarela em parte da pista.

    A transmissão foi excelente, e eu mantive minha TV sintonizada na Fox Sports o tempo todo. Mas não existe a mínima comparação do nível de comentários e informação com uma Eurosport, por exemplo. Isso é um fato.

    • Antonio Vidal disse:

      Concordo em partes com seu texto, mas precisamos admitir que grande parte dos profissionais que labutam hoje na imprensa esportiva, “cresceram” profissionalmente à sombra do futebol. Poucos aqui no Brasil militam no automobilismo, sendo assim, se faz necessário acreditar e apoiar estes que gostam do mundo sobre rodas.

  30. EduardoRS disse:

    Nunca gostei muito do DiGrassi. Nada relacionado a sua personalidade (que nem conheço), mas ao piloto, mesmo. Sempre achei ele bem mais-ou-menos. Tanto que, quando andou na F1 e teve a grande chance na carreira de andar na categoria máxima do automobilismo mundial, ele foi… “mais ou menos”. Agora lendo esse relato e o comentário do Bruno Vicaria, deu pra ver que, como pessoa, ele também parece ser “mais-ou-menos”.

  31. Lucas disse:

    É uma “treta” no mínimo desnecessária. Mas acredito que o Di Grassi recebeu a resposta que merecia ao vivo mesmo, do próprio Mattar.
    Como profissional sério que és Flávio, assim como as equipes do Grande Prêmio, Grande Premium e Warm Up, estás correto em continuar dando espaço para as conquistas (ou não) do Di Grassi. Mas… que dá vontade de, no mínimo, ignorá-lo por um tempo, isso dá.

  32. Zé Maria disse:

    Lucas “dis Graça” mais uma vez se superando. . .
    O pessoal do Fox Sports “descendo a mandioca” como diz o Mestre e daí vem esse b@b@c@ irresponsável meter o bedelho!!
    Com que autoridade?
    Ah, sei!
    Aquela de irresponsável que por conta de uma pelada se viu impedido de participar da prova. . .
    Outra coisa, que grande piloto é esse que hoje em dia nem campeão da Fórmula Enceradeira consegue ser, mesmo jogando sujo como em Londres/16?
    Deixa quieto, pessoal do FS.
    Nem vale a pena esquentar a cabeça.

  33. Clayton Moura Belo disse:

    Caro Escriba Gomov: “P-O-R-R-A” !!! (Desculpa. Eu sei que as interjeições menos elegantes devem ficar, de direito e de fato, ao dono do blog… mas, não resisti à tentação). Eu estava criando e cadastrando uma conta no Twitter, apenas para poder comunicar-me com o pessoal da transmissão (@RodrigoMattar71, @Edgard e @TiagoAlves). Quando, após um tempo infindável, consegui criar a tal conta (sou bem lento com redes sociais), deparo-me com a infeliz “tuitada”. Sério! Não acreditei! Achei que era vírus, invasão de perfil, perfil “fake” e coisas do tipo. Olha, não conheço o Rodrigo pessoalmente, mas acompanho suas reportagens desde a década de 90. Também perdi inúmeras oportunidades de conhecê-lo pessalmente, FG. Ao contrário, conheci o Edgard Mello Filho em 1994, no GP do Brasil, quando ele, administrador de Interlagos, pessoal e gentilmente, resolveu um problema que houve com minha credencial (à época os ingressos com tarja magnética eram inéditos no Brasil). Admiro-o desde sempre e mais ainda após tal episódio. Minhas opiniões são confirmadas pelos inúmeros comentários de tantos outros que elogiam a maneira magistral de Edgard expressar-se. “Gênio” não é uma palavra justa o suficiente (continue assim, bom “vovô”)! Geniais também são os demais jornalistas e comentaristas que fazem parte deste time que o Escriba-signatário conseguiu agregar… Esse mesmo time, esse mesmo “capitão” mais de uma vez referiu-se ao piloto como “sendo o piloto brasileiro de maior sucesso no automobilismo internacional no momento”. Isto posto, realmente quero torcer para que, ao fim e ao cabo, a profecia do Escriba Gomov se concretize. Continuarei torcendo para que Lucas DiGrassi seja campeão na F-E e onde mais categorias competir. Não preciso torcer para que o time GrandePrêmio continue fazendo o que sempre fez e com uma qualidade e isenção que poucos veículos midiáticos são capazes de fazer neste universo: isto está incorporado ao DNA de todos vocês. Apenas, se assim posso, gostaria de dar uma sugestão ao DiGrassi: Não espere “to come of age” para ter um pouquinho mais de humildade: às vezes, essa idade pode não chegar…

  34. Felipe Casas disse:

    ok, estou tirando proveito desse espaço que vou criticar… mas isso é reflexo de dar a “palavra” a todo mundo. as pessoas saem vomitando, cagando regras pra tudo qnto é lado. e o pior, tudo fica registrado ate a eternidade.

  35. Antonio Vidal disse:

    Dá um “gelo” no cara e pronto!
    Cuspiu no prato que come.

  36. Adolfo disse:

    Talvez para um piloto tenham faltado informações “técnicas”, mas como não sou piloto, não sei se faltou. Como espectador, o que a Fox passou foi o que esperava, nem mais nem menos…

  37. Rafael disse:

    Antes de mais nada, sempre achei a FE uma categoria chata e sem graça. Mas depois que o Di Grassi falou dela desmerecendo a F1 na qual não fez porra nenhuma, peguei bode desta categoria de vez, que não passa de uma corrida praticamente de trenzinho.
    Qto ao comentário infeliz, o Flávio acho que já disse tudo e nós como torcedores podemos dizer sem problema algum que ele caiu no conceito de todos. E agora vou torcer mais ainda para o Nelsinho. Primeiro pq ele sempre andou muito bem em todas as categorias que passou e segundo que pelo pai que tem poderia ser arrogante e metido como o Di Grassi, mas não é, ficando sempre na dele.
    #chupadigrassi

  38. Antonio disse:

    Excelente o post do Bruno. Quanto ao Disgraci, parece que o no jogo de futebol, machucou além do tornozelo, sua cabeça.
    Bom piloto, perece ter um problema com a imprensa especializada brasileira que não lhe confere o mesmo status e prestigio que dá a Barrichello, Kanaan, Castroneves, Massa e ao desafeto Piquet Jr.
    Talvez, depois de ganhar um titulo – ta difícil de novo – sossegue um pouco. Sei lá. Nos meus muitos anos de automobilismo convivi com muitos moleques no kart e grande parte acredita no que seus pais falam, que são os novos Senna. Di Grassi parece fazer parte desta turma que não se conforma em ser apenas coadjuvante e descarrega suas frustrações na imprensa, na equipe, nos pneus, …

  39. rogerV disse:

    …. daqui a pouco o piloto vai zoar e dizer que foi provocação ‘amiga’…. errou feio!
    -Não da nem para acreditar o tempo da FOX na cobertura…. bem definido o ‘mono-esporte’ prao BR….

    arreeee…. lingua solta!

  40. joel lima disse:

    O ideal seria o de Grassi dar essa opinião cara a cara face to face para as pessoas que ele criticou. E assim falar quais as falhas que ele viu na transmissão e o pessoal da fox iria mostrar que não, que ele estava errado – enfim, haveria diálogo que até poderia cair numa discussão áspera – mas o mais importante, só entre as pessoas envolvidas e não envolvendo a galera de redes sociais. Mas infelizmente hoje as pessoas dispõe de uma ferramente de comunicação que permite que elas não pensem na hora de escrever. E essa atitude do de Grassi me permite especular se ele aceitaria opinar sobre uma transmissão de f1 com Galvão e Reginaldo Leme.

  41. Blake7 disse:

    Comentário infeliz, especialmente porque sempre enchem a bola dele, e até pegam leve quando ele faz cagadas homéricas, como o ‘strike’ que fez na luta pelo título da F-E com o Buemi, e é dessa forma que ele retribui. Muito bom piloto, mas com ego maior que o talento.

  42. Danir disse:

    Por estas e outras, não sigo nem mesmo vejo o que personalidades ou celebridades escrevem nas mídias sociais. Pra dizer a verdade, nem mesmo logo estes espaços.
    É tudo mídia dirigida e veículo de egos descontrolados.Tem que logar para participar? Estou fora. Quanto ao Lucas di Grassi, se fosse tão espetacularmente super bom, inteligente e hábil como dizem e se faz crer, estaria numa posição melhor do que está hoje. Não que seja ruim ou burro; só não é tanto quanto tentam dizer que é. Normalmente não comentaria, mas estou tão de saco cheio com as …erdas que esta turma fala que decidi falar também.

  43. marcos andre RJ disse:

    Excelente texto !
    Realmente achei super babaca mesmo, existem maneiras mais elegantes para se pedir um emprego de comentarista tecnico …

    a transmissão foi impecável, Edgar tbm deu um show ! E o Rodrigo Mattar, o nosso Dr. Wec, merece ser enviado em 2018, para cobrir o evento in loco.

  44. Marcos disse:

    Não se deve desmerecer o esforço/trabalho de ninguém, principalmente dessa forma.

  45. Carlos Sodré disse:

    Que esperar de um piloto de autorama. Rodrigo Matar, um grande conhecedor de automobilismo, sem deixar de citar Edgar de Melo Filho, que além de seus comentários brilhantes, foi um dos melhores pilotos brasileiros de sua época.

  46. Fernando Silva disse:

    Ok, não muda nada em nome do profissionalismo dos jornalistas, mas falo como espectador…Esse sujeito (que não merece nem ter o nome escrito aqui…) foi infeliz, ingrato com um canal que lhe concede tanto crédito e exposição transmitindo as categorias em que ele compete. Ele tem o direito de não gostar mas, sobretudo por utilizar o termo “baixo nível”, ele ofendeu não só os profissionais que estavam na transmissão, principalmente o Rodrigo Mattar, mas também nós espectadores, que acompanhamos a transmissão. Como se não bastasse, quem também interagia na hashtag ainda se deparou com uma meia dúzia de babacas fã-boys do piloto que queriam somente tumultuar. Particularmente fiquei muito puto com essa situação, que não tirou o brilho do trabalho da equipe do Fox Sports, muito pelo contrário, apenas reafirmou como vocês foram monstruosos nesta transmissão para a tv brasileira.
    Voltando ao piloto, de minha parte, perdeu o respeito e terá, merecidamente, meu desprezo de agora em diante. Na FE, a torcida será por Piquet e…Buemi!!

  47. Mario Aquino disse:

    Será que a sua equipe terá que ensinar ao cidadão o conceito da “Teoria da Comunicação” para que ele possa aprender algo de útil em sua vida.

  48. Adriano Silva disse:

    As redes sociais estão formando juízes instantâneos de tudo.
    O comentário do Di Grassi, justamente por ser dele, não faz muito sentido. Vejo como uma mancada mesmo, .e sem dúvida equivocado, visto que a transmissão da Fox estava muito bem feita para nós, os comuns, inclusive tecnicamente.

    Mas não vou transformar o piloto no mais novo pária da terra por conta de uma frase.
    Até porque se alguém porventura tivesse esse “direito”, seriam justamente os responsáveis pela transmissão, e apenas eles.

  49. Antonio Seabra disse:

    Flavio,

    Voce escreveu o texto definitivo sobre o assunto !!!
    O trabalho do Mattar e da Fox (e do Hamilton, do Thiago e do Super Edgar) foi de primeira linha, não tem o menor cabimento comentar outra coisa que não seja pra elogiar.
    Então, o cara foi muito, mas muito deselegante……e, acima de tudo BABACA !!!
    Parece que já não é de hoje que o cara, quando abre a boca, só fala besteira. Haja visto tanta inimizade que ele já amealhou na carreira. E, como quem fala o que quer colhe o que não quer, ele teve sua resposta no ar, em alto e bom tom….(na hora eu não tinha entendido, mas depois que soube o motivo, bati palmas !!!)
    O velho (no sentido de antigo) e competente Ibrahim, tinha um comentario para atos similares: “os cães ladram e a caravana passa”…então, com um texto tão definitivo quanto o teu sobre o assunto, dá para colocar uma pedra em cima e equecer.
    Rodrigo não deve nem ligar para um comentário tão futil, e seguir em frente nos brindando com seu excelente trabalho, na TV e no Blog.
    E o Lucas, deveria abrir os olhos e descobrir que, como operador de uma ferramente de comunicação onde ele emite publicamente suas opiniões, ele eh apenas mais um piloto (e que não tem palmares suficientes para se sentir parte do Olimpo) ,

    Bravo Mattar, Bravo Fox,…Fantastico Edgar !!!!

  50. Julio disse:

    Muito alarde por pouco, acho que o Di Grassi não gostou da transmissão e fez o comentário dele, como qualquer ser humano tem direito de fazer ou não gostar. Ele está no meio e o pessoal da Fox é muito bom. Só perguntem para ele o porque deste comentário, entre vocês, internamente, que já está bom. O mundo precisa relaxar, todos precisam relaxar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>