MENU

quarta-feira, 13 de setembro de 2017 - 19:18Indy, IRL, ChampCar...

TONY FICA

BRASÍLIA (vai, volta, vai, volta) – E Tony Kanaan resolveu seu futuro. Fora da Ganassi, o baiano correrá na Foyt no ano que vem, com opção para 2019. Será sua 21ª temporada na Indy, pela sétima equipe diferente. O piloto, de 42 anos, conquistou sua última vitória na categoria em 2014. Foi campeão em 2004 e ganhou as 500 Milhas de Indianápolis em 2013. Tem uma linda história, sem dúvida. Que entra em sua reta final agora, como acontece com qualquer atleta. Tem lenha para queimar ainda? Creio que sim. Experiência conta, está em forma, tem condições de ser competitivo. A Foyt, porém, não é uma Ganassi.

tonyfoyt

8 comentários

  1. Victor disse:

    Pela foto eu achei q ele estava vendendo alguma coisa no Trato Feito.

  2. Fernando Silva disse:

    Tem duas situações: Tony já foi mais veloz, sobretudo em ovais curtos em mistos, ainda o considero competitivo em pistas como Texas e Indianapolis (esta última, ele venceu com uma KV…então, quem sabe com uma Foyt). Mas é importante também ressaltar o que ficou mais que evidente após a prova do Gateway, há umas duas semanas atrás…a Ganassi tem quatro carros no grid hoje, mas trabalha única e exclusivamente para um: Dixon, enquanto os demais são relegados a estratégias secundárias e carros não tão bons assim. Tony tornou público seu clima com o patrão, o Mr Chip logo após ser obrigado a recolher o carro naquela prova e praticamente decretou o fim de sua passagem pela equipe.
    A equipe Foyt corre hoje com Connor Daly e Carlos Munõz e, sem dúvida, o Tony em final de carreira ainda é muito mais piloto que eles juntos. Então, se num time pequeno porém focado nele, consiga beliscar uma Indy500…nada mal…

  3. Tanto Tony quanto Helinho já entram na reta final de suas carreiras na Indy ficando cada vez mais difícil vencer um GP e lutar por um Título.

  4. John Player disse:

    Grande piloto. Mas já passou do seu melhor momento.
    Mas o problema da longevidade de Tony e Massa em suas devidas categorias, é que estão ocupando vagas de jovens brasileiros em busca de reconhecimento e títulos, com o dobro do fôlego.
    Há poucas oportunidades para toda essa geração de caras como Felipe Nasr, que infelizmente estão sendo obrigados a desistir do sonho da Indy e da F1 quando estão chegando no seu auge de idade/amadurecimento como pilotos.
    Bom seria se esses pilotos veteranos ajudassem abrir portas para os novatos, com fazia Emerson Fittipaldi para Pacce, Piquet, Senna.
    Mas tambem, né? Comparar Tony Kanaan, Helio Castroneves, Felipe Massa e Rubens Barrichello com Fittipaldi é até covardia.
    Azar de Felipe Nasr e dos pilotos brasileiros que vem aí.

  5. clodoaldo lelli disse:

    o cara tem duas opções de parar
    parada pelé a mais honrosa tera o respeito enquanto vive o resto da vida
    parada rubinho a mais deprimente ficar pulando de galho em galho atras de conquistas que se não conseguiu antes não sera agora e marcas que não representam nada até ser parado ou cuspido pra fora sera motivo de chacota ate o fim da vida

  6. fabiom disse:

    Tony ta mal demais na Indy. Tem que tomar muito cuidado pra não acabar se machucando do jeito que vem pilotando. Adoro ele, mas suas atuações tem beirado o vexame nesse ano.

  7. Ron disse:

    Posso estar errado, mas a Ganassi nem foi assim uma Ganassi para o Tony na avaliação geral do período.
    Enfim, melhor sorte na Foyt.

  8. Danilo Candido disse:

    Pilotos em fim de carreira costumam render mais em equipes pequenas, já que a pressão é menor, e qualquer bom resultado é mais creditado para quem pilota do que para a própria equipe. Logo, provavelmente Tony terá suas últimas temporadas de forma digna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>