MENU

sexta-feira, 13 de outubro de 2017 - 10:50Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: KUBICA, SEM CARIDADE

20 comentários

  1. Eu lembro desta corrida de F-Renault do Kubica. A Band transmitiu. O Luciano do Valle narrou? Bem, o narrador lá pelas tantas, quando o polonês disparou na frente, falou algo como “vamos esquecer esse aí, o que importa são os brasileiros”.

    Lembro, também, que a câmera fez um passeio pelos carros ainda no grid. Todos os pilotos deram tchauzinho para a câmera, menos o polonês. “Que cara marrento”, eu disse na hora.

  2. Zé Clemente disse:

    Sinceramente, se o polonês voltar na F1 vou ficar contente por ele. Falo do lado humano de alguém que quer se superar. Imagine paralisar a carreira tendo sofrido um trauma como o dele e depois voltar a fazer a única coisa que gosta no topo do esporte. É demais, e se ele conseguir vão estampar o sorriso dele em todos os sites de automobilismo do mundo. Maravilhoso.
    Mas esquisito. Você faria tempo rápido com o Dkw com uma mão só? Como então um cara conseguiria ser competitivo numa coisa tão exigente quanto F1 com uma mão e meia, ou uma mão e um quarto ou sabe-se lá com que proporção entre uma e outra?
    Ele vai conseguir, nessas condições andar um ano inteiro na frente do Stroll?
    Caso consiga será um grande mérito dele e uma comprovação de que a F1 está esquisita. E se ele não conseguir essa vaga? O que vão dizer?
    Acho tudo possível, mas tudo esquisito.

  3. Marcelo disse:

    Acho pouco provável na F1 alguma equipe contratar um piloto como forma de homenagem ou pena. Para quem duvida da capacidade do Kubica pós-acidente, é legal ver um desafio entre ele e o Valentino Rossi (ambos de carros de rally no asfalto, com chuva) em 2014. O Valentino manda a bota, e o Kubica vem atrás com trajetórias mais precisas e eficientes. Show de pilotagem! Link para o video: https://www.youtube.com/watch?v=S_KiVEd643Q

  4. Samuca disse:

    Já que a F1 foi adquirida por norte-americanos, e o que norte-americanos mais entendem em termos de administração e organização, é de marketing (no sentido positivo da palavra), bem que eles poderiam manejar nos bastidores para que fosse escolhido alguém da Fórmula Indy, isto é, de certa forma aumentar a ‘interação’ entre as duas Fórmulas. Esse raciocínio valeria tanto pra essa vaga da Williams pro ano que vem, bem como pra vaga da Toro Rosso para a próxima etapa, daqui a duas semanas.

    • Leandro disse:

      Tem a coisa da superlicença, a dúvida sobre os caras darem certo e a própria vontade dos caras.

      Um Josef Newgarden vai deixar de ser estrela em um ambiente ótimo pra se tornar uma dúvida em um ambiente predatório?

  5. Mario disse:

    Gostei da análise Flávio. Poderia comentar o que levou o Rosberg a virar empresário do Kubica? Fellipe vai pra F-E que a hora é essa!

  6. Marcus Lima disse:

    A triste Barrichelização do Massa é algo a se destacar. Declarações na linha de desacreditar os testes compararivos de 2014. Depois outras na linha do ” é ruim trocar de piloto”. Poxa, acima de tudo, Massa precisa respeitar a sua história. Foi o piloto brasileiro, depois de Senna, que mais chegou perto de ser campeão, foi competitivo, aguerrido, venceu corridas. Teve um lindo 2014, terminando o ano apertando a Mercedez. Fez pole! Aí propoe se aposentar, e é aquela comoção, respeito, valorização. E no fim, acontece isso: agora, fica se expondo de uma maneira que não é digna de tudo que ele fez! E isso para quê? Para correr na berinjela que a Willians tem: pontuar, quando mto. Chegar em oitavo, décimo. Pombas, a história do Felipe não merece isso! Vai ser a estrela da fórmula E, indy, qq coisa: agora, não batalhe para se manter na F1 apenas para guiar uma jaca! Que lástima!

  7. ags disse:

    Aqui…O Fumassa fez 5 meses de curso de teatro no RJ, bancado pela Tv Esgoto juntamebte com o idiota do Babão Bueiro..
    Teatro?,,,sim …ele aprendeu como Chorar,,e se passar por um sujeito cheio de emoções, foi isso que ele fez no final do Gp do Brasil de 2016..
    O Fumassa chorou mais chorou tanto que a filha do Sir Willimans ficou convencida das lagrimas de jubiti que só ele sabe fazer..kkkkkkkkkkk

  8. Landi disse:

    Caridade na F-1 soa engraçado ! Ali mais do que em qualquer lugar no mundo não existe almoço Di Grassi. que o diga,

  9. Edílson Lemos disse:

    Só falta o Massa perder a vaga para o Kubica, é fim de feira!

  10. clodoaldo lelli disse:

    só consigo pensar que draga esta a williams se tornou esportisticamente falando piloto pagante que o pai manda mais que o frank e na duvida entre massa ex-piloto em atividade nada cotra torci muito pra ele kubica um piloto com um dos braços a 10% e di resta cara pros velhos como eu que ja viu a gloria da williams e triste

    • Samuca disse:

      Concordo com quase tudo o que vc escreveu aí, mas só fazendo um reparo, aliás, não é reparo, mas justificando (e não necessariamente concordando) a razão do Stroll-pai estar dando pitaco na outra vaga de piloto: é porque ele adquiriu uma parte do controle acionário (não sei se é bem o termo certo) da equipe. Falam em 30%. Isto é, ele é um dos donos da equipe agora, legalmente falando.

      • Bola da Vez disse:

        Misturando o velho ditado: Quem pode, pode. Quem não pode, só se fode.

      • Eduardo disse:

        Realmente é vergonhoso ver o tipo de equipe que a Williams se tornou ….. a cada ano que passa ficar pior tecnicamente …. não consegue desenvolver o carro ao longo do campeonato ….. e pra piorar está cada dia mais prostituindo a vaga no cockpit da equipe. Jaja vai colocar Stroll e Palmer como pilotos titulares.
        Todo respeito a Kubica e ao Di Resta mas tem uma fila de pilotos mais aptos do que eles na frente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>