MENU

quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 11:51Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: O AUTOMÓVEL ACABOU

Me perdoem pela quase ausência do blog. As coisas vão melhorar, uma hora voltam ao normal. Valeu.

29 comentários

  1. Luiz AG disse:

    Um fator que foi esquecido: A aglomeração urbana vai diminuir. Em um mundo de teletrabalho onde todos os suprimentos são pedidos por um toque do Moisés não há mais necessidade de acumulação de pessoas e pagamento de aluguéis caríssimos dos grandes centros. A necessidade de deslocamento será diminuido muito.

  2. Agnado disse:

    Eu não acredito na existência (permanência) do carro elétrico. Toda vez que eu vejo esse assunto, me vem à cabeça sempre a mesma pergunta, que eu não vi ninguém fazer e, por consequência, ninguém responder: como vamos produzir eletricidade para os carros se não somos nem auto-suficientes na produção de energia elétrica para as residências, comércio e indústrias? Vide as termelétricas. Carro elétrico pra mim ainda é mais um sonho do que realidade. Acredito que quando conseguirmos criar um sistema eficiente de armazenamento de energia elétrica, o que está longe de acontecer, aí sim poderemos pensar em carro elétrico, e nesse casso alimentado por energia solar. É exagerado este pensamento?

    • Ed disse:

      Agnaldo, essa sua preocupação era exatamente a mesma no final do século 19 quando apareceram com a ideía estúpida de substituírem as eficientes carruagens e cavalos por um desengonçado, fumacento e barulhento motor. Muita gente não acreditava que haveria petróleo nem postos de abastecimentos suficientes para abastecer aquela invenção. Bom, o resto da história você já sabe..

      • Agnado disse:

        Não conhecia essa história. Valeu. Mas acho que hoje a questão é outra. Os carros estão vindo para competir com as cidades pela energia elétrica, que já é escassa, não será. Chegamos ao ponto de ter que usar o petróleo para produzi-la. Por isso, creio que o carro elétrico somente será viável quando resolvermos a questão do armazenamento dessa energia.

    • randy kohtz disse:

      Meu caro enquanto tu sonha os outros pesquisam e trabalham e produzem veículos eletricos adoidado. claro que tudo deve ser pensado, mas pra ti ter uma idéia até portugal já tá mais adiantado em energia solar que o brasil, achop que os brasieliros estao fazendo o mesmo que voce….. sonhando, enquanto os outros tão indo a luta, acorda meu amigo!!! Um porém, o hidrogenio nao pode ser negligenciado, superada algumas dificuldades sera mais economico e viavel que eletricidade

      • Agnado disse:

        Ninguém está sonhando. Pois eu coloquei exatamente essa questão: ainda não temos um modo eficiente de armazenar energia elétrica, em pesem as pesquisas serem antigas quanto a isso. Quanto a bateria do seu celular evoluiu? Ela fica mais tempo no seu celular ou carregando? Quanto as pesquisas sobre energia solar, eu prefiro o exemplo da Alemanha, onde a maioria das residências já fazem uso dela, mais a um preço ($$) alto. A questão não está em conseguir energia elétrica através do sol, o problema está no seu armazenamento. Não faz sol à noite (Eu sei que todo mundo sabe). Resumindo: o mundo não consegue suprir a demanda por energia elétrica para as cidades, nem sabe como resolver o problema da matriz energética (usina nuclear, hidrelétrica, eólica, carvão, qual?), e estão criando mais uma demanda por energia elétrica, os carros. Acredito que enquanto não resolverem a questão do armazenamento, não teremos carros elétricos produzidos em larga escala. a não ser os protótipos que já temos hoje.

  3. ivo rettor disse:

    ME PERMITA SÓ MAIS UMA COLOCAÇÃO FG

    Marcas americanas VAO DESAPARECER, as ultimas serao forde e gm/chevrolet, mas vao perecer, já as alemas japonesas e coreanas vao muito bem na terra do tio sam obrigado, a proxima marca a desaparecer deve ser a dodge, depois chrysler, depois cadilaque,(essas tres ja tao em contagem regressiva para sumir do mercado, vendas caem ano a ano), depois jeep e por fim ford e chevy….. vai sobrar somente a tresla eletrica !!!!

    • randy kohtz disse:

      Isso mesmo SR Ivo,
      Quando viajo aos USA vejo muito carro novo gm/ford e marcas alemas, nipo, coreana…. já as tradicionais cadilaque, doge, crysler e jeep são bem mais raras….. e as historicas buick, oldsmobile, lincon, saturn, mercury, etc só carro velho usado. E mesmo entre os novos a impressão que se tem é que a preferencia é pelas alemas, nippo e korean…. land rover e volvo tambem……. Flavio voce que é o cara das estatisticas vejam como andam as vendas faça comparativos etc….. ok estamos esperando! O americano classe média trabalhador normal pode ter um truck ford ou gm pra trabalhar, mas o carro de passeio dele é um corolla e ele sonha em um dia poder comprar um Porsche. Flavio mais uma dica pra ti meu caro (vou passar a cobrar pelas dicas viu) faça um comparativo em o que os ricos, classe média e pobraiada usa em termo de carro na america, no canada, mexico, brasil, argentina, europar (varios) japao, africa, oriente meido, asia, etc…. seria interessante ver uns dados assim, bem como quanto custa os carros, impostos, gasolina, revenda , etc…. Flavio tu és nosso guru então nos traga esse conhecimento please!

      • claudio conrak disse:

        Outro sinal de que a industria automobilistica americana tadricional esta com os dias contados é a cidade de detroit, outrora pujannte, agora só escombros e gangues de marginais, a cidade literalmente faliu e ninguem mais quer morar em detroit, investir muito menos. o tio sam vai ter que andar com carros fabricados por alemaes, japonesdes, dcoreanos, etc….

  4. ivo rettor disse:

    Automovel deve ser visto como uma ferramenta de transporte, transporte pessoal, de familia, a trabalho etc… e o carro elétrico surgiu antes mesmo da gasolina, o problema eram as baterias….. Não acredito na abolição do carro psrticular, ate ´porque todos querem ter sua casa, sua tv, seu cel, seu computer, sua bike, seu cavalo ( quem pode….) seu sofa, sua esposa ( ou marido) etc…. assim também as pessoas vao sempre querer teu seu carrao ( aquele modelo que gostam se identificam e que esta a sua disposição exclusivamente) , só que esse será eletrico, conectividade? ora isso se aplica a tudo não só a carros!!!! telefone publico ninguem quer mais, carro publico ninguem vai querer, mas com certeza a vida sera mais bem inteligente, os deslocamentos rotineiros e habituais como por exemplo ir ao trabalho, a escola, viagens a serviço, etc…. poderão ser feitos em veiculos compartilhados coletivos etc, mas agora aqueles passeios, viagens de ferias, saídas a eventos especiais, etc…. isso as pessoas vão querer fazer no SEU proprio veículo. mas uma vez aviso o brasil tá perdendo tempo em termos de carros elétricos!!! temos otimos engenheiros e empresas que poderiam fazer miuito, mas o governo só faz porcaria!!! quando eu era menino só conhecia marcas americanas e europeias: forde, geeme, volks…. depois fiat…. depois vieram as nipo toyota, mitsubicha, nissa, ondah, depois francesas e agora temos coreanas e chinesas MAS NAO SURGIU NENHUMA MARCA BRAZUCA!!!!!

  5. Giovanni disse:

    Não acredito que vá mudar tanto assim. Não é tão simples. A tendência é que todos os carros fabricados no futuro passem a ser pelo menos HÍBRIDOS (tipo de carro que já existe na Europa há mais de 10 anos).

    O que a Ford tá fazendo é o que muitas empresas já fazem há muitos anos: alterar a proposta da empresa pra, caso seja necessário, poder fabricar um produto que hoje é considerado “fora do escopo” da empresa. Nada demais.

    Por exemplo, a missão da Marcopolo, fabricante brasileira de ônibus, é ser uma empresa que “busca soluções para o transporte coletivo de passageiros”. Ela não cita a palavra “ônibus” porque se um dia ela achar conveniente fabricar vagão de trem pra transportar passageiros, ela pode, sem precisar dar muita explicação para seus interessados.

  6. Samuca disse:

    Que o automóvel vai mudar radicalmente no futuro, da forma como o conhecemos hoje, não há dúvida. Tome, como exemplo, que num espaço de duas semanas saíram duas matérias no The New York Times, abordando tais mudanças aliado ao papel que a China terá nisso – a eletrificação dos carros, se dá por exigência que o governo chinês já faz as montadoras estrangeiras, para que ofereçam carros elétricos já agora no país, como contrapartida para que elas possam continuar vender carros ‘normais, isto é, a combustão interna. ‘

    https://www.nytimes.com/2017/10/09/business/china-hastens-the-world-toward-an-electric-car-future.html

  7. Gerson Vecchi disse:

    Porra, não abandona esse blog!

  8. Roberto Torres disse:

    Perfeito, este GP às Dez. Grande comentário.

  9. Carlone Papa disse:

    Excelente colocação. Venho pensado nisso há anos. Automóvel será transporte publico, pelomenos nas cidades médias e grandes.
    Carros movidos a combustíveis fósseis ou equivalentes, serão peças de museu.
    Ter um próprio ou particular provavelmente vai custar uma pequena fortuna em taxas e estacionamento; Uma questão de tempo, ao meu ver.

  10. pedro araujo disse:

    sem pressa com a volta aos textos do blog, Gomes.

    quando der pra você voltar aos textos você volta, não esquenta.

  11. Manoel Sena disse:

    Grande postagem essa. Eu era apaixonado por carros. Escolhi a Engenharia Mecânica como profissão por causa deste amor. Tenho coleções de livros sobre automóveis e automobilismo. Tenho coleção de miniaturas de carros de corrida… Mas de quase três anos para cá adotei a bicicleta como meio de transporte URBANO individual. E aí, ao passar a andar de bicicleta no dia a dia, vi que os carros mais atrapalham que ajudam. Estacionados ocupando espaço das vias. Poluindo o ar (não estou falando de efeitos globais, mas locais). Causando engarrafamentos com uma pessoa por carro na quase totalidade dos casos. Ajudando a deixar as pessoas obesas e estressadas. Este cálculo que vc fez eu já havia feito há alguns anos. Sair com um carro de casa é a mesma coisa que sair sozinho levando junto o seu sofá, duas poltronas, um armário (o porta-malas), uma máquina térmica, etc. O golpe de misericórdia é o Uber. Na ponta do lápis, não ´preciso mais de ter um carro só meu para o transporte urbano. O carro ainda compensa para o caso de viagens nos finais de semana ou nas férias. Se vc faz deslocamentos muito grandes diariamente, o transporte coletivo é o ideal (ou o Uber). De 100% da paixão que eu tinha pelos carros, sobraram 10%, se muito (mas ainda é muita coisa, viu?). Meus filhos estão adolescentes. Interesse por carros: zero. Na minha adolescência o carro era de fato associado a utilidade e liberdade. Hoje, é mais facilmente associado a stress, custo elevadíssimo, dor de cabeça para estacionar, sedentarismo, … Não é chatice, infelizmente, é a realidade. O bom é que, em princípio, com o carro como um serviço, nos sobrará um pouco mais de tempo e dinheiro para cuidarmos mais de nós mesmos e das pessoas de quem gostamos. Abraços!

  12. Renato de França dos Santos disse:

    bem o Sr Henry Ford tentou comprar a Haley Davidson para fazer esse projeto na epoca da guerra e agora eles tao fazendo com as bicicletas

  13. Carlos Pereira disse:

    Sabe aquela estória “ou Ford ou sai de Simca” ? Pois é, Fordeu.

  14. Daniel Camillo disse:

    Indústria de mobilidade….da Havaiana ao foguete estará tudo dentro do escopo do negócio da Ford kkkkk

  15. Fernando Oliveira disse:

    FG, este serviço de bicicletas da FORD já está disponível em São Franscisco (que é um polo de novas tecnologias dos EUA).

  16. Garlet disse:

    Estive em Berlin mês passado, para um evento de ciclismo, e fiquei supreso por, 40% das bikes vendidas atualmente na Alemanha serem elétricas (hibridas, elas diminuem o esforço e fazem vc ir muito mais rapido e muito mais longe). Passatempo de final de semana é pedalar de Berlin a Amsterdam. Enfim, nada pode deter o progresso.

    • Giovanni disse:

      Traduzindo: essa bicicleta é uma moto elétrica.

      • Alessandro Silva disse:

        Não exatamente! Trata-se de uma bicicleta com um servo elétrico que diminui o esforço da pedalada. Mais o menos como acontece com a direção hidráulica ou as novas elétricas. Você ainda tem o trabalho de virar o volante, mas tem o esforço reduzido pelo com o auxílio do servo. Na bicicleta você tem de pedalar mas faz isso com menos esforço, principalmente nas subidas.

  17. Leandro disse:

    Sei que as modernidades de um video vieram pra ficar, mas eu preferia o modo antigo de ler as postagens do FG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>